10comentários

Sete Razões pra Fotografar com Filme: 3 – Valor

por em 10/11/2011
 

O valor de uma foto É realativo...

Continuando a série, vamos para o terceiro motivo…

3. O Custo

Pode parecer estranho incluir o custo como um motivo para se voltar a fotografar com filme, mas me acompanhe no raciocínio. Toda vez que você coloca um rolo de filme na câmera, isso te custa dinheiro. Esse custo continua com a revelação e ampliação. Toda vez que você tira uma foto ruim, isso tem um custo, no seu bolso. Mas o outro lado da história é que cada vez que você faz uma boa foto você vai apreciar o valor do seu conhecimento sobre fotografia.

É muito fácil hoje em dia confiar a uma câmera a criação da imagem. Delete as ruins e guarde as boas. Quando você tem que pagar por cada imagem (boa ou ruim), você aprende que cada uma conta. E isso vai fazer toda a diferença quando você voltar pra sua câmera SLR digital.
– Jason Row

"Dia!", por André Corrêa

Vamos esquecer a palavra “custo” e pensar na palavra “valor”. Uma foto analógica vale mais que uma digital, em termos de grana? Provavelmente não só por ser analógica, certo? Mas e o valor PRA VOCÊ? Vamos ir além do texto do Jason e pensar no valor que uma foto pode ter pra você, porque VOCÊ  a fez. Isso mesmo… FEZ, e não simplesmente  “tirou”… você escolheu a câmera, o negativo, a hora, o lugar, o foco, o quadro… a foto é mais SUA do que qualquer foto digital pode ser.

Umbral / Umbra

A história ao lado é a história real desta foto...;-)

Quer ver? pense nisso: você queima um rolo de fotos, espera uma semana pro negativo voltar do lab. Abre a latinha/envelope e olha… a primeira vista não saiu foto nenhuma! Todas subexpostas… um rolo no lixo. Mas, espere! Tem alguma coisa ali no meio! Parece… sim! Parece que UMA se salvou do desastre! Rápido! um scanner! E #TODOSCORRE pro scanner e ficam, ansiosos, esperando a imagem surgir. E eis que ela surge. Entre tantas outras apagadas, escuras, sem conteúdo, uma mostra, no meio das sombras, aquilo que você fotografou com tanto carinho e cuidado…

E ai? vai dizer que você não vai ficar sorrindo que nem um bobo olhando pra essa foto? ;-)

E ai, o que achou? Deixe seu comentário!

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Anderson
    12/05/2012 em 12:22 am

    Alias isso me lembra eu tenho um filme revelar pena não achar uma filme preto e branco que seja revelado pelo revelador c41 mesmo do colorido.

    Responder

  • GabRio
    04/03/2012 em 10:11 pm

    cada filme que rende por completo é um tremendo orgulho!
    sem ser redundante, eu me supero nas tecnicas! nossa é somente a coisa mais interessante de se fazer quando quer ter um aprendizado!

    Responder

  • 03/02/2012 em 11:59 am

    André,

    Esse texto me lembrou de um vídeo muito bacana chamado “The Edit” – acompanhando um rolo chegando “do forno” e as fotos aparecendo pela primeira vez para o fotógrafo. Acho que você vai gostar (se é que não já conhece).

    Grande abraço!

    Responder

  • 27/12/2011 em 10:39 am

    Muito legal o texto, André. Traduziu muito do que senti quando comecei a fotografar como um hobby, justamente com uma câmera de médio formato. Fotografar com filmes de 120mm envolve um delicioso ritual mesmo… abrir a embalagem, ajeitar o filme no interior da câmera, ver as bolinhas e os números passando… sem contar com o trabalho de compor a foto. Prazeres que nenhuma câmera digital proporciona.

    Responder

    • 27/12/2011 em 1:20 pm

      Pra mim o ritual é, no mínimo, 50% do prazer fé fotografar com filme. Por isso gosto de comparar com cozinhar. Pra quem gosta de cozinhar, preparar os ingredientes, experimentar temperos, observar o prato nascendo… Tudo isso é às vezes mais gostoso do que comer o prato em si. E nada dá mais prazer do que você poder dizer com orgulho “eu que fiz, de ponta a ponta”, no final do processo…

      Responder

  • 26/12/2011 em 10:20 pm

    Ah como eu entendo… não tem sentimento mais animador/empolgante que ver o resultado de uma fotografia analógica bem sucedida. Só quem gosta de fotografia pra saber mesmo.

    Responder

    • 29/12/2011 em 8:30 pm

      Oi Tassia! Por algum motivo seu comentário ficou “preso” na caixa de spams do WordPress até hoje :-( Mas agora tá no ar! :-))

      Pois é… o fato de uma fotografia analógica demorar a poder ser vista aumenta em muito a alegria de ve-la.. :-)

      Responder

Deixa aí seu comentário!