7comentários

Ih! Travou. A Câmera? Não! VOCÊ Travou!

por em 05/12/2011
 
Sem Título, por Samuel Paz

Sem Título, por Samuel Paz

Um dos maiores problemas de quem tá começando a fotografar com filme é  ficar super preocupado em escolher, pensar, analisar, esperar…o resultado, é óbvio, é que você acaba não tirando foto nenhuma, ou muito poucas. Você está lá, com a câmera na mão, mas fica paradão, travadão, sem apertar o disparador.

Em inglês existe uma expressão que define isso: “Paralisys by Analisys,” que em português perde a rima, mas significa “Paralisia por Análise” (que vou a partir de agora chamar de PpA porque escrever o nome todo o tempo todo é muito chato).

feira dos paraíbas, por Spread the Photo Love

feira dos paraíbas, por Spread the Photo Love

Pois bem, a PpA não é doença, não é síndrome, não é um problema sério. É simplesmente medo, cagaço, receio, lerdeza. E, como tal, dá pra resolver. Essa paralisia acontece principalmente em fotos de rua, onde não conhecemos as pessoas que queremos fotografar, temos receio de não esperar o momento certo, nos preocupamos com nossa segurança ao ir nesse ou naquele lugar. A primeira dica é a mais simples, e a mais eficaz:

Não pense demais na hora de tirar uma foto!

Pense somente o necessário. Viu a cena que quer fotografar? Aponte, ajuste, dispare. Pá, pum! Rápido assim. Pensou demais, perdeu. “Ah, mas e se eu quiser esperar o momento certo, que sei que vai acontecer cinco segundos depois?”. Bom. Se são só cinco segundos e você SABE que aquele momento vai acontecer, isso não é PpA. Pelo contrário, é frieza, controle, e isso é bom. Mas se você não sabe quando o instante decisivo vai aparecer, então mete o dedo no disparador e garante a primeira foto. A experiência mostra que, depois do primeiro click, o PpA começa a desaparecer. O primeiro click assusta. Os próximos nem tanto.

A segunda dica também é simples:

Acredite nos seus instintos.

Contando Histórias / Storytelling, por André Corrêa

Contando Histórias / Storytelling, por André Corrêa

Se você, em uma fração de segundo, viu uma imagem que vai dar uma boa foto, reaja instintivamente. Deixe seu corpo responder, levantar a câmera e disparar. Não o impeça com medos, pudores e frescurites. Se você percebe que tem um piano caindo na sua cabeça você não deixa o instinto tomar controle e tirar seu corpo do perigo? Então! :-)

E como terceira e última dica, uma lição que o tempo ensina, mas não custa nada falar aqui…

Pegue uma câmera (e uma lente) e fique com ela.

Antes de sair de casa você separa quais câmeras/lentes quer levar, quais acessórios, etc etc etc… daí, quando chega a hora de tirar a foto, para pra escolher a lente certa, a câmera certa… é claro que não vai dar tempo e você vai perder a foto, né? Agora, se você estivesse com apenas uma câmera na mão, com uma lente, você passaria por isso? Ou levantaria a câmera, tiraria a foto, e pronto? Pense nisso… :-)

Sem Titulo, por buiu

Sem Titulo, por buiu

Bom, é por aí. Mas, pra terminar, quero fazer uma confissão: eu sofro de PpA. Portanto, sei que não é tão fácil assim. Meu principal problema é a vergonha de fotografar pessoas que não conheço. Mas venho trabalhando nisso. Mas isso fica pra outro post… :-)

DISCLAIMER: Esse artigo é uma leitura livre do tema abordado por Erik Kim em seu site.

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixa aí seu comentário!