22comentários

Dica Rápida: Câmera de “prástico”? Use filme de ISO alto, a não ser na praia…

por em 08/12/2011
 

Fulano pergunta no Twitter: Tenho uma Supersampler, e tirei fotos fora de casa, na sombra, com um filme ISO 100, mas só duas salvaram. O que houve?

Resposta: Prezado Fulano. Um dos fatores abaixo pode estar prejudicando sua arte. Ou mais de um. Ou todos, na verdade. Dá uma olhada.

Refração e aquele blablablá todo das aulas de física...

Refração e aquele blablablá todo das aulas de física...

1. Plástico não é vidro. Lentes de plástico comem luz no café da manhã: A olho nú, lentes de plástico (como de todas as toycams e câmeras Lomo, excetuando as mais caras, como LC-A, Lubitel 166+, Horizon Perfekt…) deixam passar pro filme a mesma quantidade de luz que uma lente de vidro de uma câmera, digamos, de verdade. Mas é pura lorota que ela está te contando. O plástico não é vidro e, se você lembrar das aulas de física do colégio,vai lembrar daquele lance de refração, que é a luz passando pela lente e formando a imagem (no nosso caso) no filme. Pois então, a lente de plástico não usa toda a luz que chega na lente pra formar a imagem. Ela desperdiça (reflete) boa parte dessa luz. Logo, pra uma lente de plástico, você precisa de mais luz, ou de um filme mais sensível (ISO maior) pra conseguir a mesma foto que conseguiria com uma câmera de lente de vidro.
Agora, quer ver como você já podia saber disso? Olha o manual da Supersampler:

“Só é adequado para uso em exteriores sob a luz solar, não é adequado para fotografia de interiores ou noturnas!” Viu? ;-)

“Mas eu fotografei no sol! Estava na sombra, mas era no sol!”… isso nos leva ao segundo motivo…

Diana e seus desenhozinhos de sol, núvem e etc.

Diana e seus desenhozinhos de sol, núvem e etc.

2. Exterior é embaixo do sol. Sombra é igual a interior: Independente de ser uma câmera de plástico ou não, se você está fora de casa, mas o objetivo de sua foto não está realmente sob a luz de um belo sol, não pense que você está fotografando sob o sol, porque não está. Quando se fala “fotos em exterior” está se falando de fotos sob a luz do sol. Se seu objetivo está na sombra, não está no sol, né? Logo, não espere resultados de um dia de praia.

Algumas câmeras têm seletores de luz ambiente (como a Diana, da imagem ao lado), permitindo que você abra ou feche mais a abertura da câmera. Se a sua não tem isso (e a Supersampler não tem), seja precavido e use filmes mais sensíveis à luz, como ISO 200 ou 400 (não saca muito de ISO? Dá uma olhada aqui).

Sabe quando um minilab iria ampliar uma foto dessas? NUNCA! Mas o scanner me mostrou a beleza dela...

Sabe quando um minilab iria ampliar uma foto dessas? NUNCA! Mas o scanner me mostrou a beleza dela...

3. O laboratório te sacaneou: Quem ainda não comprou seu próprio scanner, e ainda manda revelar seus filmes num laboratório comum, ainda depende da boa calibração do minilab, e fica refém da ignorância do pessoal que o utiliza. Primeiro porque quando um lab desses te entrega um negativo e diz que “X fotos não saíram”, ele está falando besteira. E explico porque. A foto sempre “sai”, a não ser que o cara cague a revelação do negativo e estrague o rolo todo. A foto pode estar escura ou clara o bastante pra você não ver nada (e aí é culpa sua), mas está lá, no negativo. Portanto, olhe pro negativo, e não pras cópias 10×15.

Moral da história: A foto está no ne-ga-tivo, e não no papel!

O que acontece é que se a foto sai clara ou escura demais, tanto o laboratorista quanto a máquina podem entender que ela “não saiu” e não ampliá-la (passá-la pro papel). Mas quem sabe se você não olhar o negativo vai encontrar uma foto que você goste?

Além do que, analisar seu negativo no scanner vai te ensinar a tirar fotos melhores depois: quando você se ver com a mesma câmera e o mesmo negativo em uma situação parecida, vai se lembrar que uma foto X não vai ficar legal, mas se você colocar aquela pessoa mais perto da luz do sol…

Bom, é mais ou menos isso. Dúvidas?

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Anna Lygia
    18/08/2012 em 4:09 am

    Oi, hoje busquei meu primeiro rolo da fisheye one. Como sabia que as lentes de plástico chupam a luz escrotamente, usei a kodak ultramax 400 (única com o maior ISO que achei por aqui), e tirei fotos, majoritariamente, de dia no sol! sol de tarde do rio de janeiro! e das 34 fotos que “saíram” do rolo, só 4 não estão terrivelmente escuras. o que eu faço? fiquei triste, não sei se fiz M… (acho que não, né, fotografei de dia), se foi o lab (que aliás cortou algumas da minhas fotos de um jeito esquizofrênico, e cortar zuado numa fisheye é um crime!)? ou se foi a vida mesmo? se for a vida mesmo me ferrei, porque não acho filme de 800 fácil =/
    as fotos também ficaram muito “lavadas” será que isso é culpa do filme? ou da bosta da revelação/ampliação mesmo?

    obrigada

    Responder

    • 18/08/2012 em 12:34 pm

      Olha Anna… Aparentemente você fez tudo certo. Tem como me mandar (pra contato@queimandofilme.com) umas fotos dos negativos? É importante aprender a ver as fotos nos negativos, e não no papel, pra avaliar quais foram os problemas… :-)

      Responder

      • Anna Lygia
        21/08/2012 em 4:43 am

        poxa, obrigada pela atenção, eu estava olhando os negativos mas nao sei avaliar, como não tenho scanner de negativo, até consegui tirar umas fotos fajutas (com um velho celular hahaha) e inverter e cor ficou certinha até (pra maluquice que foi essa foto), além da foto normal do negativo, mas como a qualidade é ruim (deveras!), não sei. descobri q um amigo meu tem um scanner de negativo, quando puder vou lá pra me aproveitar da amizade.

        Responder

  • Luiz
    03/07/2012 em 12:23 pm

    André, estou tendo problema com uma La Sardina, até achei que ela tinha algum problema. Veja se pode ajudar.

    Com filmes ISO100, mais da metade das fotos não saíram, e não saíram mesmo, pois o negativo parece realmente em branco na maioria delas. Claro que muita coisa não ia sair mesmo, porque o ISO era baixo e em um dia nublado, sem flash, mas o que estranhei é ter ficado em branco no negativo. Foi tão pouca luz que nem chegou a sensibilizar o filme?

    E com ISO 400 não foi muito diferente, o que me preocupou bastante.

    Já viu algo semelhante?

    Responder

    • 03/07/2012 em 2:50 pm

      Fala Luiz!

      Olha, pode ser sim mau uso do filme, mas pode também ser, sim, problema no obturador da máquina. Se o obturador não abrem não entra luz. Se não entra luz, o filme fica 100% subexposto e, como é negativo, 100% “branco/transparente”….

      Já fez um teste pra ver se o obturador tá abrindo? Abra a tampa de trás da câmera, aponte ela pra luz e dispare. Tente ver se você consegue ver, por uma fração de segundo, a luz passando pela lente pra dentro da câmera…

      Responder

      • Luiz
        03/07/2012 em 4:34 pm

        Então, fiz o teste e levei para algumas pessoas que entendem mais do que eu para fazer também e todos disseram que sim, aparentemente a câmera estava funcionando. Acho que o problema foi mesmo na peça do lado de fora dela rs…

        Só achei estranho que o filme, aparentemente, não foi em nada sensibilizado. Achei que, mesmo fazendo mau uso, algo aparecia.

        Responder

        • 04/07/2012 em 4:41 pm

          Eu também to achando estranho… a melhor forma de tirar a dúvida é comprar um filme 200 ou 400 (400 é o mais recomendado pra câmeras com lente de plástico, como essa) e tirar um rolo inteiro de teste (fotos aleatórias, só pra testar) em condições controladas… sol, sombra, meia-luz… daí você anota qual foto foi tirada em qual condição, e manda revelar. Nem precisa ampliar… pelo negativo você já vai ver no que deu :-) Se comprar um Kodacolor bem vagabundo e revelar no lugar mais barato da sua cidade, com 15 reais no máximo você resolve esse misterio…

          Responder

    • 23/08/2012 em 9:38 pm

      Ok Ana! É bem possivel que esse seu amigo saiba te ajudar mesmo :-) Mas pode contar comigo também, viu? :-)

      Responder

  • Andressa
    27/05/2012 em 8:03 pm

    Estou indo pra um evento ao dia e vou levar minha Diana com filmes de ISO 100(preto e branco), ISO 200 e 800(colorido).

    Queria saber se estou fazendo certo:
    ISO 100: se for sem sombra, sem flash (ajeita pro “N” e o solzinho). Com sombra: sem flash, mas posso mudar pra opção noturna e nublado? Ou na sombra posso usar flash e deixar na opçao dia e com sol?

    ISO 200: A mesma coisa do que eu acho que pode ser no ISO 100???

    ISO 800: Com sombra: deixo opção noturna e nublado? Uso ou não flash?
    Sem sombra: dia e sol, sem flash, tendo perigo de super-exposição?

    As fotos podem ficar super ou pouco expostas, não me importo e acho legal, mas é só pra saber se meu raciocínio está correto e pra evitar que não saia “nada” no rolo. :D

    Obrigada! :)

    Responder

    • 27/05/2012 em 10:44 pm

      Oi Andressa! É quase isso :-) A sua lógica parte do principio que o filme “normal” pra Diana é o 100, mas não é. O normal pra Diana é 0 400. Logo, Faça o seguinte:

      ISO 100: se for sem sombra, sem flash (ajeita pro “N” e a NUVEM COM SOL). Com sombra: sem flash, mas posso mudar pra opção NUVEM. Na sombra pode usar flash e deixar na opçao dia e com sol.

      ISO 200: A mesma coisa do que eu acho que pode ser no ISO 100, considerando que os filmes pb e colorido que você está usando têm boa latitude.

      ISO 800: Com sombra: deixa opção noturna e nublado. Usa flash só se quiser. Sem sombra: dia e sol, sem flash, tendo perigo de super-exposição, mas só se for MUITO sol… tipo praia em dia de verão. Fora isso, deve aguentar bem.

      Bjs

      Responder

  • Andressa
    09/03/2012 em 6:51 pm

    Aaaah, e sobre o ISO e câmeras: Aconteceu e MUITO comigo. Mas apesar da empresa ser ruim, acredito que errei no “tom” do ISO.

    E falando em Diana F: Usei um ISO 800 durante a noite e sem flash porque saí e esqueci de colocar a pilha hahaha. Deixei uns 10 segundos o obturador aberto em cada foto, será que alguma vai ‘prestar’? (se sair escura e linda como a sua foto ali em cima, tá valendo :D)

    Responder

    • 10/03/2012 em 6:23 am

      Pode sair sim. Mas como não sei o quão escuro estava o local, não tenho como garantir, né? ;-)

      De qualquer forma, o importante é que você fez o certo (noite sem Flash usando modo bulb e tal…). Da próxima vez experimente um bracketing: tire três fotos iguais mas com tempos diferentes. Se você acha que a foto vai sair boa com 10 segundos, faça uma com 10, outra com 5 e outra com 20 segundos. Uma delas deve sair boa! :-)))

      Responder

  • Andressa
    09/03/2012 em 6:47 pm

    Na cidade que eu moro tenho um problema enorme pra revelar, que é exatamente o que você disse: são ignorantes.
    Além disso, não conhecia essa “técnica” do scanner e a partir de agora vou adotar.
    Mas, de qualquer forma, enviei os meus filmes pra um laboratório que você indicou e que fica em SP: 337.
    Posso esperar uma revelação decente mesmo? Hahaha

    Responder

    • 10/03/2012 em 6:18 am

      Oi Andressa!

      Olha, nunca tive problemas com o 337. Eles revelam pra mim nesse esquema de só revelar e me entregar o rolo sem cortar nem ampliar desde 2010 e sempre foram ótimos.

      Vai dar tudo certo! :-)

      Bjs,

      Responder

  • Ygor Vasconcelos
    27/01/2012 em 5:16 pm

    Qual um ISO legal para usar com uma Diana F+ no interior quando uso o flash?

    Responder

  • Larissa
    12/12/2011 em 10:53 pm

    Aconteceu cmg a mesma coisa… o lab soh considerou umas 20 fotos boas… eu considerei umas 10, das 20 q eles revelaram… mas o problema foi q n me entregaram o rolo do negativo completo, soh me entregaram da parte que revelaram… vou procurar outro lab da próxima vez… queria mt saber pq as outras “não prestaram”

    Responder

    • 12/12/2011 em 10:56 pm

      Sem querer agourar, pode inclusive ter sido algum problema na máquina e ter estragado seu negativo… onde já se viu lab não entregar o negativo completo! Isso é apropriação indébita!

      Responder

  • Isabela Santos
    12/12/2011 em 11:53 am

    Usei um 400 na minha Holga e só 4 fotografias se salvaram. Não fotografei em praia. =/

    Responder

    • 12/12/2011 em 12:09 pm

      Oi Isabela! O que exatamente aconteceu com as fotos? Ficaram escuras? Claras? O “só 4 se salvaram” é opinião sua ou do lab? :-) Tem essas 4 publicadas no flickr ou algo assim? vendo elas talvez dê pra entender melhor o que houve…

      Abs!

      Responder

Deixa aí seu comentário!