18comentários

Você sabe o que é uma câmera pinhole?

por em 03/01/2012
 

Créditos: Gearfuse

Pin = alfinete Hole = furo
Pinhole = Furo de alfinete
Pinhole Camera = Câmera de furo de alfinete 

Pinhole é o nome informal dado a uma câmera fotográfica que utiliza somente um furinho de alfinete como “lente”. Na verdade não é lente. Pra ser lente teria que ter um vidro, plástico ou algo do tipo. É só um furo, bem pequeno, que deixa a luz entrar.

“Tá… e daí?” E daí que pinhole é a forma mais “roots”,  mais básica, mais vintage, mais natureba, mais artesanal, mais manual de se fazer fotografia. É algo que parece coisa da idade média… na verdade não chega a tanto. Mas parece :-)

Esquema de uma pinhole

Mas antes da pinhole em si, vamos a uma aula básica de fotografia: toda câmera usa o conceito de “camara obscura, que nada mais é do que uma caixa com entrada de luz de um lado e a formação da imagem que entra por esse buraco do outro lado. Nas “câmeras de verdade” a luz/imagem entra pela lente e se forma no filme (nas analógicas) ou no sensor (nas digitais). Beleza? Beleza.

Créditos: Escape Into Life

Uma pinhole é uma câmera que usa os conceitos mais básicos da camara obscura. É um furo de um lado, o negativo do outro, e só. Sem lente, sem foco, sem fotômetro, sem visor. Dá pra fazer câmera pinhole com uma penca de coisas. Qualquer coisa que dê pra fechar, fazer um furo de um lado, e colocar um negativo do outro, pode virar uma pinhole. Caixa de fósforo, Lata de bebida…

“E como eu faço a minha pinhole?” Rá! Você acha que a gente não pensou nisso? ;-) Amanhã o Julio França vai ensinar, aqui no post, como fazer uma pinhole! Até lá, você pode continuar pesquisando sobre o assunto. A Wikipedia tá com um ótimo texto sobre o assunto, e com uma quantidade assustadoramente linda de links de outros sites.

Créditos: The Life of Luxury

Mas se você tem preguiça de fazer sua pinhole, Surpresa! Talvez você já tenha uma em casa! Se você tem uma Diana F+, parabéns, você já tem uma câmera pinhole. Mas existem várias câmeras pinhole à venda na Lomography (Diana Pinhole) e na Toycamera (Holga Pinhole), e o resultado delas é tão legal quanto o das câmeras feitas em casa (você só vai deixar de ter o prazer de fazer sua própria câmera :-). São fotos com um foco embaçado, vinhetas (aquelas bordas pretas legais), algumas distorções, e… bom, dá uma olhada aqui nesse resultado de uma busca no Google. Você vai se surpreender!

É isso. Até amanhã, com nossa aula sobre como fazer sua pinhole!

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • 05/04/2012 em 10:34 pm

    Ano passado nós montamos um laboratório de revelação e várias câmeras pinhole na minha escola pra fazer um trabalho e foi super legal, o resultado das fotos não sairam lá aquelas coisas mas a experiência valeu! Acho a técnica pinhole incrível, há cada coisa que você consegue fazer com um simples potinho fechado com um furinho que é bem surpreendente.

    Responder

  • 27/03/2012 em 2:29 pm

    Excelente post hein.

    Mesmo sendo uma técnica bastante difundida, ao meu ver, sempre as pessoas tem um pouco de dúvida e um pouco mais ainda de surpresa ao ver uma foto feita com a técnica do Pinhole.

    Parabéns garoto. E lembrando, a revista de Pinhole Foto Inversa, já está com a 3ª edição no forno e com bélissimas imagens hein!!! Por enquanto os leitores do teu excelente blog podem ver a 01 e a 02 no http://www.issuu.com/fotoinversa

    abraço.

    Responder

  • 14/03/2012 em 6:37 am

    Ola irmao, parabens pela iniciativa, gosto muito dos seus posts sobre fotografia. É isso aí!

    Sabiia que na favela da maré a gente faz esse trabalho com as crianças de lá? O resultado é muitoo satisfatório e encantador.

    dá uma olhada depois, querendo saber mais, só falar:

    Responder

  • Nirvana.
    03/01/2012 em 10:25 pm

    Já fiz esse tipo de câmera no meu tempo de escola, é muitooo legal. Você acaba intendendo mas de como funciona a fotografia. Como o furo é muito pequeno, tem que deixar o filme exposto por bastante tempo, então acaba que eu uso muito pouco o pinhole da minha Diana.
    Blog maravilhoso ;)
    Abraços.

    Responder

  • Daniel Pascoal
    03/01/2012 em 6:29 pm

    Impressionante foto com exposição de 365 dias!! Isso mesmo, 1 ano de exposição, com uma câmera PinHole!
    http://www.thestar.com/news/article/1109339–year-long-exposure-of-toronto-skyline-produces-dreamy-image

    Responder

  • 03/01/2012 em 2:14 pm

    Pura coincidência:

    Hoje recebi um lote de filmes Lucky e fiz minha primeira pinhole com um deles. Não quis me arriscar com filmes mais caros.

    Usei uma caixa de fósforos e muita, mas muita fita isolante. Um exagero. Nas próximas tentativas prometo me esforçar para fazer melhor.

    Se funcionar mostro as fotos depois.

    Fiquei na dúvida quanto ao tamanho do furo. Achei um site (http://www.mrpinhole.com/calcpinh.php) que até calcula o diâmetro necessário, além de distância focal, fstop, etc, etc, etc e tal, mas fiquei com preguiça e fiz do meu jeito (provavelmente errado).

    Segui a seguinte lógica: se quando fazemos uma câmara escura a nitidez aumenta conforme diminuímos o tamanho do furo, na pinhole deve funcionar da mesma forma. Fiz então um furinho bem pequeno. Só enfiei a agulha e dei uma giradinha para aumentar um pouco o buraco. Será que dá certo?

    Olha a monstrenga aí (foto de web-cam):
    http://farm8.staticflickr.com/7143/6628599511_11e467afb3.jpg

    Responder

  • 03/01/2012 em 1:25 pm

    Nossa! O link para o resultado de busca no google é sufocante! De tirar o fôlego!
    Contando os minutos pra aprender a fazer a minha amanhã! ;)

    Responder

Deixa aí seu comentário!