8comentários

Contando Até 10 com Guilherme Borin

por em 14/01/2012
 

neon

E no “Contando até 10” desse sábado, mais um fotógrafo amador pinçado do Flickr Group Queimando Filme, o Guilherme Borin. Ele conta aqui a história de como uma câmera com defeito o fez começar a fotografar com filme, e descreve com detalhes suas câmeras e o que gosta de fotografar com elas.

1. Apresente-se pro povo…
Guilherme Borin da Silva, 29 anos, paulista… nunca sei direito o que escrever nessas apresentações.

nightfall

nightfall

1. O que faz da vida?
Sou formado em engenharia mecatrônica, mas infelizmente não construo robozinhos. Atualmente trabalho com comercialização de energia.

3. E a fotografia? /  4. E a fotografia analógica?
(Prefiro responder às duas perguntas juntas, pois acredito que os dois assuntos estejam ligados.)

Desde que me conheço por gente, meus pais me fotografavam. Tinham uma câmera Canon preta grande e pesada de filme, que acabou enguiçando. Depois tivemos algumas compactas de filme, algumas bem moderninhas inclusive, que eram usadas praticamente apenas em viagens e confraternizações. O caminho natural foi ir para compactas digitais.

Nash

Nash

Fast Forward para 2009: um colega de trabalho foi comprar uma DSLR num desses “ching-ling” da Paulista e fui com ele. Acabei conversando um pouco com o vendedor e mencionei aquela câmera preta e pesada de filme que meu pai tinha, o vendedor me passou o endereço de assistência técnica para câmeras antigas e resolvi mandar consertar aquela câmera. No fim das contas, pesquisando na internet, acabei descobrindo aquela era uma câmera top de linha pra sua época, uma Canon A-1.

Passei a pesquisar e estudar um pouco mais de fotografia, pois até então não tinha noção nenhuma do que era ISO, abertura, velocidade de obturador, etc. E invariavelmente, nessas pesquisas acabei caindo em páginas sobre lomografia. Nesse meio tempo foi inaugurada a primeira loja da LSI no Brasil, em Ipanema e minha namorada, que mora no RJ, me deu de presente uma Actionsampler. A partir daí comecei a participar mais da comunidade do lomography.com, fazendo traduções e escrevendo artigos, o que me rendeu piggies, trocados por produtos (na época o sistema era um pouco diferente e era mais fácil trocar). Cheguei a ter fotos minhas em vários lomowalls e recentemente descobri que tenho algumas no da loja lomo em São Paulo.
O gosto por fotografia foi aumentando cada vez mais e há alguns meses adquiri uma DSLR da qual estou gostando bastante (heresia!). E sim, é perfeitamente possível conciliar a fotografia de filme com a digital.

bokeh

bokeh

5. Quais cameras analógicas você tem?

  • Canon A-1é a minha favorita. Essa câmera é a que meu pai comprou um tempo antes de eu nascer, então foi ela quem tirou a primeira foto da minha pessoa. Ela é uma SLR e pode ser automática ou totalmente manual, além de ter os modos Av e Tv ( quase sempre uso Av). Também permite múltiplas exposições. E tem uma lente 50mm f/1.4, que é uma beleza.
  • Lomo Actionsampler – outra que tem um valor emocional grande para mim, ganhei de presente de aniversário da minha namorada e foi minha primeira câmera Lomográfica. Essa câmera me rendeu uma das minhas fotos mais populares, que inclusive ficou por algum tempo como foto mais popular feita por uma Actionsampler na comunidade Lomography.com (foi ultrapassada por uma foto de um gato).
  • Lomo Fisheye – essa resgatei com piggies que ganhei participando de concursos e postando artigos no site da lomo. É uma câmera bacaninha, com flash embutido. Apesar disso nunca consegui obter imagens muito legais com ela, estou pensando em vendê-la.
  • Superheadz Wide&Slim – é a clone da clássica Vivitar Wide&Slim, comprada na toycamera.com.br. É o básico das toycameras: pequena, leve, lente grande angular de plástico, uma abertura e uma velocidade de disparo. Fotos à noite com ela nem pensar. É a câmera que está sempre na minha mochila carregada com filme.
  • Pinhole – Uma pinhole de cartolina que montei, foi divertido, só bati um filme nela e não saiu nenhuma foto. Ta aí, acho que vou tentar novamente.
  • Lomo La Sardina – Essa câmera eu ganhei da LSI como “beta-tester”, mas a demora no envio de Viena até o Brasil fez com que ela chegasse pra mim 3 dias antes do lançamento oficial e não deu pra testar muita coisa. A idéia da câmera é boa e ela bem bonitinha, infelizmente a minha quebrou no segundo rolo de filme, o que foi meio frustrante. Acabei emprestando a um amigo, que com algumas gambiarras, conseguiu tirar umas fotos bacanas com ela.
  • Câmera descartável – Uma descartável de uma marca obscura (Snapo) que veio de brinde quando comprei minha DSLR. Vi que o filme nela é um Ferrania Solaris 800. Um dia acho um bom uso pra ela.
Rio from the sky

Rio from the sky

6. Tem algum filme de preferência?
Colorido é o Kodak Portra 160NC, gosto do tons mais suaves que resultam dele, ótimo para tirar retratos. P&B é o Kodak BW400CN, que é revelado em C-41. Também gosto bastante de filmes Redscale. Cromos em x-pro, apesar de achar legal, não sou lá muito fã de tirar fotos com eles.

7. Tem algum estilo de preferência, dentro da fotografia com filme?
Acho que Fotografia de Rua e Retrato são meus estilos favoritos. Apesar de eu não possuir a cara de pau de sair tirando foto de estranhos na rua.

8. Tem algum fotógrafo que seja referência pra você nessa área? Porque?
Dos clássicos, tem o Winogrand e o Doisneau. Por esse tipo de fotografia dá pra ter uma pequena noção de como era o cotidiano daquela época. Dos atuais, tenho acompanhado o trabalho do Scott Schumann (do The Sartorialist) e do Erik Kim. Outro que vale a pena mencionar é Chase Jarvis, maior entusiasta da frase: “A melhor câmera é aquela que está com você” (ele tem até um livro com esse nome, mais voltado para a fotografia de celular).

Xmas

Xmas

9. Uma dica pra quem tá começando na fotografia analógica.
Conheça sua câmera, pesquise, leia os manuais, abra sua câmera, teste cada função dela. Pra quem nunca tirou foto com filme, as primeiras fotos vão muito provavelmente sair uma bosta, sério mesmo. Das minhas, a maioria ainda acho que sai. E quanto mais íntimo você ficar da sua câmera, melhores vão ser as fotos que vai tirar com ela.

10. Outra dica, pra não te chamarem de egoísta…
Não se intimide pelas limitações da fotografia com filme. É justamente nas limitações que a criatividade mais aparece.

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixa aí seu comentário!