4comentários

Contando Até 10 com Alex Villegas

por em 11/02/2012
 

O entrevistado de hoje do nosso Contando Até 10 é o Alex Villegas, ou @_villegas pra galera do Twitter. Conheci o Alex outro dia, num almoço pra passar pra ele alguns filmes meus que ele queria comprar. Antes disso eu não o conhecia, nem o seu trabalho. Só depois fui saber de seus anos de experiência e trabalhos, livros e DVDs publicados, cursos e blog. Enfim o cara é uma estrela ;-)

Mas hoje, aqui, com a gente, ele é mais um amante da fotografia analógica. Um cara que, como eu e você, “tira retratos com uma máquina” (como diria o Leo Neves). Vamos ver o que ele tem a dizer…

1. Apresente-se pro povo…
Oi, eu sou o Alex! :)


2. O que faz d
a vida?

Retratos e fotos de moda – também gosto de dar aulas.

3. E a fotografia?
É minha melhor amiga. Tem sido minha profissão e maneira de tentar entender o mundo há seis anos.

4. E a fotografia analógica?
Na minha cabeça elas – analógica e digital – se confundem facilmente. Hoje eu trabalho com analógicas sempre que é possível; então, quando fotografo com digital, fica muito parecido – é difícil distinguir uma da outra.

5. Quais câmeras analógicas você tem?
Minhas duas favoritas, as que estão sempre trabalhando e nunca juntam poeira são uma Linhof Kardan 4×5 e uma Yashica Minister.

6. Tem algum filme de preferência?
Três, na verdade. O Fuji Acros 100 é o detalhado, preciso; o Adox CHS 50 Art é um filme classudão, com cara de anos 50. E oArista 100, que é da República Tcheca, todo impreciso e descolado.

7. Tem algum estilo de preferência, dentro da fotografia com filme?
Retrato, sempre retrato. E PB, sempre PB.

8. Tem algum fotógrafo que seja referência pra você nessa área? Porque?
O Paolo Roversi. O cara é um poeta, e transforma tudo em extraordinário. Se ele fotografa um gato, o que você vê na foto é uma divindade, algo como “O Grande Gato”.

9. Uma dica pra quem tá começando na fotografia analógica.
Preste atenção na luz.
Uma luz bonita deixa as coisas extraordinárias, e luz bonita está por toda parte, é só procurar.

10. Outra dica, pra não te chamarem de egoísta…
Tente sempre sugerir histórias, mesmo que seja uma foto sem pretensão nenhuma
– uma das coisas mais gostosas de ver fotos é imaginar quem é aquela pessoa, do que gosta, o que ela está fazendo, por que está fazendo aquilo. Fotos boas normalmente criam histórias maravilhosas.

E você pode conhecer mais do trabalho do Alex nos links do primeiro parágrafo, ok?

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixa aí seu comentário!