64comentários

Não tenha medo das câmeras SLR. Elas são gente boa…

por em 14/02/2012
 

"zenit", por Marcos França. Uma SLR fotografada por outra...

O futuro é analógico, já dizia o slogan da Lomography, a maior empresa de câmeras analógicas para amadores da atualidade. O que isso quer dizer? Quer dizer que a galera que tem menos de 30 anos provavelmente nunca usou uma câmera analógica no passado, e se usou, meio que passou raspando. Quer dizer que pra essas pessoas, a fotografia analógica está no futuro, e não no passado.

Convenhamos, criar esse slogan foi uma sacada de mestre, né não? ;-)

Mas não é sobre isso que vou falar hoje. Pelo contrário, vamos falar de câmeras que a Lomography nem sonha em fabricar: as tais “câmeras profissionais”, “câmeras que trocam de lente”, “câmeras grandonas”, ou, simplesmente, câmeras SLR (single-lens reflex). Essas câmeras do passado são as melhores câmeras pro seu futuro analógico.

"Minha arma", por Larice Barbosa

Caaalma… não vou falar pra você jogar sua Holga fora, ou pra transformar sua La Sardina num vaso de alecrim. Só quero te mostrar que é bem mais fácil do que parece ir além das câmeras de plástico.

A maioria das pessoas que começa a fotografar com filme hoje, faz isso usando câmeras simples, ou compradas na Lomography ou na Toycamera, ou com câmeras encontradas em casa. Alguns poucos mais curiosos compram câmeras antigas, como a Olympus Trip 35, sucesso de público e crítica, e uns mais poucos ainda, partem pra uma SLR de filme (o que não faz sentido, já que uma SLR digital se chama DSLR, e logo, SLR sem o “D” é analógica ;-)

Sem Titulo / Untitled

"Mafalda", por André Corrêa

“Mas isso quer dizer o quê? Que quem fotografa com câmeras mais simples que uma SLR é mané?” Não, nem de longe. Câmeras são ferramentas, e eu sou daqueles que incentiva todos a encherem seus arm’rios de ferramentas, pra poderem escolher a vontade quando precisarem de uma. Câmeras SLR são como furadeiras (mais cara, complicada e assustadora pra quem nunca usou) enquanto que câmeras de plástico são chaves de fenda (todo mundo usa sem medo. É pegar e usar).

E aí vem a pergunta de todo dia: “Tá, e eu com isso?” O lance é que eu tô aqui hoje pra tirar seu medo de câmeras SLR. To aqui pra te deixar louco de vontade de comprar uma. Porque? Porque elas são gente boa…;-)

Pronto? Simbora:

Câmeras SLR…

Sem titulo, por Caio Brito

… são complexas, e não complicadas. Não confunda as coisas. Complexidade é sinal de liberdade. Você pode usar assim, assado, daquele jeito, do outro. Pode usar de noite, de dia, pode fazer bokeh, pode usar tripé, pode trocar lente. É quase um Transformer! Controla ISO, diafragma, obturador, foco… e, vai por mim, nem precisa fazer curso. Quando usei a minha primeira, aos 15 anos, ninguém me ensinou. Você pega a manha rapidinho.

… são intuitivas. Os caras vêm fabricando essas câmeras por décadas, brigando pra vender mais e mais, muito antes das digitais. Canon, Nikon, Olympus, Pentax, Minolta… todo mundo brigando pelo mercado. Com toda essa porradaria, sinceramente, você acha que eles não iam acabar dando um jeito de criar câmeras fáceis de usar, mesmo que não pareçam?

… são todas iguais. É mais ou menos que nem aprender a dirigir: de primeira dá um pouquinho de trabalho, mas depois você pode trocar todo ano de carro câmera, que o que você aprendeu não vai embora. Aprendeu, tá aprendido.

promises no more

"Promises No More", por Caio Brito

… são mais baratas do que você imagina. Sim, tô falando sério. Enquanto uma DSLR tá na casa de uns R$5.000,00, uma excelente SLR (usada, é claro, porque ninguém fabrica mais as coitadas) sai por volta de R$500,00. Rá! Viu?

… são mais fáceis de achar do que você imagina. Isso porque, antes da febre das DSLR, havia a febre das SLR. Então, existem centenas, milhares, centenas de milhares de câmeras SLR de otários fotógrafos que largaram o filme pegando poeira, esperando alguém fazer uma oferta por elas. Fóruns de fotografia, Mercado Livre, Ebay, feiras de rua, lojas de antiguidades, lojas de fotografia do centro da sua cidade. Molezinha achar uma que você goste.

… trocam lente. E trocar lente é vida. Porque LENTE é vida. Como você já deve saber, “It’s all about the lenses”. Câmera é uma caixa preta com um filme de um lado e um buraco do outro. É a lente que constrói a imagem, distorce, embaça, dá contraste, abre e fecha o quadro. E várias lentes te dão liberdade. Cada lente é como uma nova câmera por si mesma. E, o mais legal, lentes duram a vida inteira. Você troca a câmera e fica com as lentes pra usar na câmera nova!

É claro que tem complicação, mas não tanto. Pra resumir, digamos que lentes Canon só servem em câmeras Canon, Nikon em Nikon, e etc. E existem fabricantes só de lentes (Sigma, Tamron) que fabricam pra esses sistemas diferentes. Então, se você escolher um sistema (por exemplo, o das SLR e DSLR Canon), pode usar essas lentes em quantas câmeras Canon quiser (com algumas exceções, como as mais antigas). E ainda pode usar ESSAS MESMAS LENTES em uma DSLR da mesma marca!

… são confiáveis. Numa Diana ou Holga, La Sardina, ou similares, o índice de aproveitamento de fotos em um filme é de trinta a cinquenta por cento, concorda? O resto fica fora de foco, ou escura demais, ou clara demais, ou… enfim, você entendeu. Uma SLR é confiável. Você configura, clica, e a chance da foto sair do jeito que você queria é de 90% ou mais. O índice de aproveitamento de fotos em um filme em uma SLR é de noventa a cem por cento!

"Gato 3D", por André Corrêa. Multiplas exposições em uma SLR...

… também podem fazer fotos “cool”, “lomo”, “vintage”, blablablá. Isso porque a maioria dos efeitos que você quer 9supondo que você quer) nas suas fotos “Lomo” são resultado de o que você faz com o negativo, com a revelação, ou com a lente. Então, negativo e revelação não dependem de câmera. E lente… de plástico, pra SLR, tem? Agora tem! Você pode usar sua lente de Diana ou Holga favorita em uma Canon ou numa Nikon SLR! HOW COOL IS THAT, DUDE?!

[Update com dica de André Auke]… são tanques de guerra, elas duram muito, dão de lavada nas digitais novas, (que são muito frágil).

[Update com dica de Helder Novaes]… são mais trabalhosas que toycams, porém igualmente estimulantes e divertidas. Cada foto numa SLR é um aprendizado. Você tem realmente a sensação de que está construindo a foto. Pesquisando bem é possivel encontrar boas máquinas até mais baratas do que as Toycameras.

Chega por hoje? Tá bom. Mas a gente é chato, e a gente vai continuar. Nos próximos dias você vai ver outros posts aqui falando de câmeras SLR, e porque elas são legais de ter, de usar, de brincar, ok?

Enquanto isso, porque você não pensa enquanto brinca nesse simulador de SLR que uns malucos fizeram? Eu, que já tenho duas, passei horas brincando! :-D

E você, que tá lendo esse post porque JÁ TEM  uma SLR? Que motivos você acrescentaria na lista aí de cima? Coloca aí nos comentários pra gente conseguir convencer esses medrosos! ;-)

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Isis
    21/08/2015 em 6:10 pm

    Olá, estou prestes a comprar uma SLR e tenho medo de fazer alguma coisa de errado durante o processo de colocar o filme e tirar fotos que possa estragar a máquina =p não tenho experiência nenhuma. Tem alguma dica do que não fazer com a câmera analógica?

    Responder

  • 09/05/2014 em 1:00 pm

    Além de toda a qualidade já dita, acrescente que SLR não possui delay no disparo, como as DSLR. Não tem coisa melhor pra fotografar expressões faciais genuinas sem perder o timing. Aniversários, crianças, animais. TUDO É PERFEITO!

    Responder

  • Márcio
    23/03/2014 em 10:49 pm

    Uma russinha Zenit 12 XP com tele e grande angular é minha companheira há 20 anos nas alegrias e nas tristezas. Tenho também até hoje um carro Lada (da mesma época) que gosto muito mais do que o meu outro carro zero. Pois é… os russos sabiam fazer as coisas.

    Responder

  • Rogério Di Nicoló
    21/12/2013 em 1:45 am

    Desde que decidi a entrar para o mundo das reflex ( há uns 4 meses atrás) venho acompanhando seu site, que por sinal me deu excelentes dicas deste mundo tão maravilhoso das máquinas fotográficas de filme. Antes estava pensando em comprar uma reflex digital ,uma Nikon D5200 estava quase ganhando a licitação quando me deparei com a idéia de comprar uma SLR……mas que sensacional, achei uma Nikon FM10 (35-70mm) comprei um rolo de filme e sai a disparar. É bem exagerado falar que sai a disparar pq demorei mais de uma semana pra bater as 36 poses rsss, visto que na minha digital prosumer (Fuji HS30) faço isso em menos de um dia. Levando em conta que eu queria ver logo os resultados da minha máquina “nova” realmente me fez pensar que quando vc usa filme é obrigado quase que inconscientemente a tentar fazer daquela foto, A FOTO. Vc pensa, ajusta, olha por outro ângulo até achar o que procura. Faz a pose valer a pena.
    Me apaixonei e me surpreendi com os resultados. Fotos muito boas com alto contraste e cores vibrantes.
    Gostei tanto que quando eu vi uma Yashica FX-3 super 2000 largada num brechó numa cidadezinha do interior paulista(Guararema) tratei logo de tirar a poeira dela tb e coloquei um filme P&B ainda esperando o rolo terminar pra ver os resultados.
    E para minha surpresa minha avó vendo meu interesse pela fotografia me deu de herança uma máquina que pertencia a meu bisavô ( uma No 1 Pocket KODAK ) que logo tratei de carrega-la com um ILFORD XP-2 120 P&B que tb não vejo a hora de ver os resultados
    Obrigado pelas dicas e pelo incentivo indireto mas eficaz rsss
    Um grande abraço

    Responder

  • 01/12/2013 em 3:55 pm

    Meu pai é um amante da fotografia. Eu sempre gostei de ser fotografada, mas recentemente me despertou uma super paixão por fotografar! Meu pai tem duas câmeras analógicas, eu peguei o final dessas câmeras…agora comprei um filme e vou fazer uns testes! Alguma dica? Ah, ótimo post!

    Responder

    • 01/12/2013 em 6:02 pm

      Ellayne, o site inteiro é feito pra pessoas como você que está descobrindo esse mundo. Comece lendo os posts da sessão “para iniciantes” e depois passeie pelo resto :)

      Bem-vinda e boas fotos!

      Responder

  • Matheus
    02/08/2013 em 10:01 pm

    André, gostaria muito de saber que lentes eu posso usar nas SLR. Porq é meio difícil encontrar lentes, tipo, só lentes, e eu queria saber se posso usar a lente das digitais nelas. Em uma canon A1 por exemplo

    Responder

  • Leticia
    15/07/2013 em 5:58 pm

    Oi, André! Tudo bom? Achei esse post enquanto procurava mais infos sobre máquinas reflex de 35mm (analógicas). Como vou começar um curso de revelação não queria pagar muito caro nessa câmera (que é, afinal, o primeiro passo). Você saberia indicar alguns modelos que seguem isso? Analógica/reflex/35mm? De qualquer forma seu post já me animou bastante :)

    Obrigada!

    Responder

    • 15/07/2013 em 6:06 pm

      Oi Leticia! A boa noticia é que existem centenas (sim, CENTENAS) de modelos que seguem essa fórmula “Analógica/reflex/35mm”. E essa também é a má noticia, porque fica – no mundo analógico – muito difícil te dizer um lugar e um modelo pra comprar. Você já tá de olho em alguma em especial? Ou tem preferencia por algum lugar pra comprar?

      Responder

  • Giovana
    19/05/2013 em 7:10 pm

    descobri aqui em casa Uma tron , se nao me engano SK1000( ta apagado) mas nao consigo achar nenhuma informaçao sobre ela na internet, alguem conhece algum link para me passar?

    Responder

  • Rafael
    28/03/2013 em 6:12 pm

    Quero comprar uma Zenit 122. Primeira pergunta: dá pra ajustar o tempo de exposição dela (pra tirar fotos das estrelas)? Estou Fazendo um bom negócio? Ela é muito complicada (controles, lentes, etc)? Essa lente helios é realmente confiável?

    Responder

  • luis antonio de
    01/03/2013 em 12:03 pm

    olá, tive uma canon t70 que comprei de um amigo que veio dos EUA e trouxe fotos para a turma ver, adorei as fotos e quis porque quis comprar a camera dele. dois dias antes dele voltar ele me vendeu. fiquei com ela por quase vinte anos quando ela travou e não consegui mais consertala, mais a um ano encontrei uma no mercado livre e comprei ela de novo, agora tenho uma objetiva de 50mm canon, uma tele de 50 a 80 e uma tele de 80 a 200mm, voltei a tirar fotos com ela, e onde vou todo mundo quer vela e tirar uma foto com elas. Obs tenho uma digital, mais nada é mais gostoso do que buscar o filme e ver as fotos reveladas.

    Responder

  • Mariana Xavier
    09/12/2012 em 7:05 pm

    Uma dúvida: com uma Olympus Trip 35 é possível fazer lightpainting?

    Responder

  • Ju Akemi
    09/11/2012 em 11:28 pm

    onde posso encontrar em são paulo? na santa efigênia?
    tem algum lugar que vc recomenda par eu encontrar a minha slr? :)

    Responder

  • Silvia
    04/10/2012 em 10:50 am

    Oi André eu tenho uma zenit igualsinha essa da foto ai do post e a lente é a mesminha……que saudade dela….

    Responder

  • Eduardo Toda
    24/09/2012 em 10:27 pm

    Opa, belo relato, desse jeito as minhas Canon EOS5 e EOS10 deve estar pulando de alegria na dry box. A EOS10 fo a minha companheira, tirei centenas de fotos com ela, agora estão como múmias, paralisadas e quietas a 10 foi usada pela ultima vez em 1994 e a 5 se não me engano 2000…..que dó…

    Responder

  • 14/07/2012 em 7:38 am

    SLR é o q há! Tenho usado uma Minolta SRT 101 há uns 6 ou 7 meses e é um barato. A complexidade nunca assustou, e sim inspirou a tirar fotos bem legais. Eu recomendo!

    Responder

  • Adelmo
    25/06/2012 em 5:41 pm

    Adorei o site. Por indicação de um sobrinho meu. Logo de cara, fiquei fã de carteirinha(e tem?).

    Câmeras analógicas são o máximo. Aprendi a fotografar com elas. Minha primeira máquina fotográfica era de foco fixo. Usava filme 127. Fiz centenas de fotos com ela. Tinha meu laboratório. Era o banheiro de casa. E na hora que o pessoal queria usar o banheiro? Era complicado pois só tinha um banheiro e por conta disso, só trabalhava no “laboratório” a noite. Usei muito o reveleador D-76, Microdol X e também fazia meus proprios reveladores. Além do Microdol X, tinha um que gostava muito de usar mas não lembro a quantidade exata de cada componente químico mas lembro que usava metol, sulfito de sódio, hidroquinona, carbonato de.. não lembro o elemento agora, acho que era sódio e brometo de potássio. Fixador era o mesmo lance. Ou comprava pronto ou eu mesmo fazia. Hipossulfito de sódio era fácil de achar e comprar. Banho de interrupção nunca usei nessa época. O famoso ácido acético. Eu tinha um livro da Agfa com centenas de fórmulas de reveladores, fixadores, banhos de interrupção e todas essas fórmulas serviam para um determinado tipo de aplicação. Esse livro, tempos mais tarde foi surripiado por um amigo do alheio. Como não tinha ampliador, usava papel contato. Mais tarde, começei a trabalhar com ampliador e os papéis de ampliação em laboratórios de amigos meus. Essa foi a minha incursão na fotografia. Tempos mais tarde, um amigo emprestou-me uma Minolta mas não ela não era SLR mas permitia foco. Mesmo assim, fiz muitas fotografias interessantes com ela. Depois fiquei um bom tempo com uma Yashica Eletro 35. Essa aí fiz muitas fotos com ela. Essa sim era reflex. Fiz muitas fotos de estrelas, Montei tripés, fazia montagens. Enfim, muitas experiências e na maioria das vezes, reveladas em meu próprio laboratório. Pensam qu eue tinha timer? Meu timer era minha contagem. Fiquei catedrátcio em contar o tempo no escuro. Eu revelava os filmes numa banheira pois não tinha tanque fechado de revelação e nem espeiral. Era tudo na mão. Para não riscar o filme, enrolava e desenrolava o filme na baheira, sem conato com o fundo. No fixador era mais fácil pois eu tinha arrumado uma banheira onde eu podia fechar a dita cuja mas antes, passava alguns minutos usando o processo de enroa-desenrola dentro do fixador. Quando estava perto dos minutos finais da fixação é que eu deixava o filme ainda no fixador e tampava a banheira com um pano grosso e bem escuro saia do banheiro. E ba hora da limpeza? Tem que limpar bem o filme para tirar os vestigios de hiposulfito de sódio. Lava beem mesmo. Até hoje, os negativos estão aí para contar a estória. Tempos mais tarde, a minha primeira máquina ficou encostada e com o tempo enferrujou o maquinário. Ela era muito simples mas me proporcionou muitas alegrias. Usei também uma Olimpus Trip que foi de meu irmão. Digo que foi do meu irmão porque anos atrás, ela foi roubada. Atualmente eu tenho uma Canon SLR EOS5000, uma FinePix 5100, FinePix 1300 e uma Yashica ME1. Todas doadas por um cunhado(Êêêê cunhado bão). Ele doou as máquinas porque ele sabe da minha paixão por fotografia e cada vez que ele arruma uma máquina nova ele passa a antiga pra mim. A Canon está parada pois estou bolando uma gambiarra bem feita para poder alimentá-la já que as pilhas dela (2 de 3 volts – CR123 A) são dificeis de achar(onde moro). Sei que existe um dispositivo que usa 4 pilhas e liga-se na máquina pelos contactos das pilhas CR123 A. Já vi esse adaptador in loco. Por isso to bolando uma maneira que faça o mesmo trabalho sem usar as 2 pilhas de 3 volts. Atualmente, faço muitas experiências com a 5100 mas sinto falta do dispositivo reflex como tem na Canon mas é tudo uma questão de hábito. O LCD da 5100 é pequeno e como tenho presbiopia, já viu né? Nesse caso uso óculos para ver as imagens mas prefiro usar o visor interno apesar de ser menor ainda mas o que importa é o enquadramento e a criação da imagem. De todas essas máquinas a que guardo uma lembrança de carinho foi a primeira, não desdenhando das que eu usei e as que uso atualmente mas por ser a primeira que eu comprei e por fazer ingressar-me no mundo da fotografia, Seu corpo era de plástico, a lente era de plástico mas fiz centenas de fotos com elas. Até hoje, tenho esses negativos que um dia, ainda irei digitalizar. Muitas estórias para contar, muitas experiencias ao longo desse percurso. Aos poucos, gostaria de passar algumas ideías se for possível. A última experiencia que fiz foi criar um flitro polarizador que usei na FinePix 5100 e ficou show. Só falta agora bolar, criar um suporte para o mesmo. Tenho que fazer esse suporte para a FinePix 5100 e para a Canon.
    Já ia esquecendo… Começei com fotografia aos 12 anos de idade. Atualmente tô com 58. Houve um intervalo de tempo grande que não fiz mais experiencias por não ter máquina e com o advento da máquina digital, facilitou muito mas como ganhei a Canon, o fôlego está voltando. E conhecendo esse site, melhor ainda. Dá para passar informações e também aprender. Óbvio… A gente nunca sabe de tudo não é mesmo?

    Abração a todos vocês.

    Responder

    • 25/06/2012 em 9:54 pm

      Rapaz, que depoimento, Adelmo! :-) Quel legal ter leitores experientes curtindo o site junto com os mais leigos e amadores com menos experiência, como euzinho aqui ;-P

      Sobre a carteirinha, de repente lanço uma dia desses! Hehehe…

      Abraços e obrigado!!

      Responder

  • 06/06/2012 em 10:11 am

    Tenho uma Nikon f-601 e AMO as fotos que tiro com ela! Mas ainda estou no esquema do medo, pois só uso a câmera no automático :(
    Ela é uma SLR super moderna, com visor digital e tudo, e por enquanto só tenho uma lente tele, mas como ela é grande e pesada não levo sempre, e fico meio desajeitada com ela ainda! haha
    Até baixei o manual, preciso criar vergonha na cara e ler!

    Responder

  • Heitor Iglesias de Paula
    01/06/2012 em 8:24 pm

    olá amigos a pouco ganhei uma nikon Slr, mas hoje fui pega-la e dar uma sonhada em comprar um filme até que a tál “cortininha” rsrs ficou trava e não volta ao normal como antes, pois verifiquei q estava a velocidade em auto, será q ela pode ter travado? Vc conhecem algum lugar que faça revisões em SLR?
    Se tiver algumas sugestões me envie um email heitoriglesias@gmail.com

    Responder

  • Munir Michel
    19/05/2012 em 9:01 am

    Por essas e outras que eu nunca vou encostar a minha Pentax K1000!

    Um abraço, André Corrêa!

    Responder

  • Pris Chryssogelou
    18/05/2012 em 11:32 pm

    E eu que fiquei com vontade de comprar uma começo por qual?????
    Beijo

    Responder

  • Anderson
    24/04/2012 em 10:10 pm

    Eu estou apaixonado pela minha Yashica fx-3 super 2000 é muito gosto ouvir a puxado do frame do filme e click do obturador. Pena eu estou usando uma lente de 28mm e para fazer fotos street to achando difuculdade para angulos fechado, afinal é uma lente grande angular e eu estou acostumado com fator de crop de 1.6 da canon com sensores apsc.
    André Sabe quantos filmes eu consigo revelar com kodak d76 para 1 litro. Acha mais vale pena comprar filmes preto em branco cromogeno ou pancromico?

    Responder

    • 25/04/2012 em 8:37 pm

      Opa Anderson!

      Olha, como não comecei a revelar em casa ainda, não sei dizer quantos dá pra revelar. Mas imagino que entre 10 e 20…

      Já sobre o tipo de pb, gosto dos dois. Acho que vai variar do uso que você vai fazer. Eu particularmente nem escolho entre os 2. Deixo as pequenas diferenças me surpreenderem. Mas de repente é uma boa usar Pans com filtros pra pb…

      Responder

  • Camila Moraes
    30/03/2012 em 5:11 pm

    consegui “desemperrá-la”.

    Responder

  • Camila Moraes
    30/03/2012 em 4:02 pm

    Olá, consegui hoje uma praktica toda preta, emprestada, to apaixonada, ela é linda, mas tem uma questão, o dono me mostrou como ela funciona, abriu e td mais pra eu saber como mexer e fechou, mas agora não consigo abrir pra colocar o filme rs socorro! Ela pode ter emperrado ?

    Responder

    • 30/03/2012 em 5:17 pm

      Oi Camila!

      Olha, o ideal é ter o modelo da câmera, pra gente procurar o manual na internet e descobrir como ela abre. Você consegue me passar o modelo? Mas fica tranquila. Não deve estar travada não. Algumas câmeras são muito “criativas” na forma de fechar e abrir, e às vezes fica complicado adivinhar… :-)

      Responder

  • 25/02/2012 em 7:30 pm

    O companheiro acima que disse que as “digitais” são “frágeis” provavelmente nem chegou perto de uma Canon 7D ou uma Nikon D300. Elas são feitas para voltarem de guerras funcionando. Pegam chuva, caem da mão e nem tomam conhecimento.

    Sempre recomendo cuidado na hora de tomar partido, pois sua preferência só faz sentido se você conhecer bem aquilo que decidiu não preferir. Não conhecer o que não prefere é caminho certo para o preconceito.

    Para não virar um chato de equipamento, o remédio é usar um pouco de tudo, tendo à disposição analógicas, digitais, compactas, SLRs, rangefinders etc. Conhecendo as vantagens e limitações de cada uma, em todas elas as fotos ficam como eu quero que fiquem, não como a câmera quer que fiquem.

    Sei que essa maneira de pensar tecnicamente não é a mesma dos amadores de tendências experimentais que se sentem atraídos pelas camerinhas de plástico, mas acho que é necessário primeiro entender como fazer uma foto tecnicamente impecável para depois entrar na onda dos efeitos e truques e ter controle e entendimento completos do processo. Em outras artes, como pintura e música, funciona desse jeito também, ora.

    Responder

    • 25/02/2012 em 7:49 pm

      Mas os “amadores de tendências experimentais” são exatamente isso: amadores que gostam de experimentar coisas diferentes do que já é feito. Se não quisessem, bastava comprar uma SLR digital caríssima, girar o botãozinho do AUTO e mandar ver com fotos perto do perfeito (porque afinal a câmera faz QUASE tudo sozinha, mas precisa ainda de um olhar diferenciado…). Quanto as câmeras digitais serem frágeis, bem você pode comprar uma analógica fortíssima com lentes de grande qualidade por menos de 500 paus no ML. Já as digitais que você citou não saem por menos 3 mil reais cada – vamos combinar que um a “amador” não lançaria mão de um equipamento tão caro para brincar de aprender a fotografar. No mais, concordo: um profissional ou hobbista dedicado deve ter muitas câmeras em mão para garantir que vai poder tirar a foto da maneira que quiser.

      Responder

  • 25/02/2012 em 5:20 pm

    Quando conheci o site da Lomography, fiquei logo doida por uma toy camera. Garota dos anos 80,todas as minhas memórias fotográficas remetiam aos tempos do analógico. Comprei uma Holga 135BC que até hoje me dá uma dor de cabeça incrível por conta de paralax. Eu gosto – aguça e afia o olhar. Foi aí que lembre que lá nos idos de 1994, ganhei do meu pai uma Zenit 122. Revirei armários e caixotes até encontrar a mocinha russa, deitada em berço esplêndido, com 15 anos de poeira nas costas. Pois foi botar o filme e fotografar por aí (ainda naquela coisa do “vamos testar pra ver se funciona, sem muitas expectativas). Já mais safa do que eu era quando a ganhei, fucei mil sites em busca de orientações básicas. E, logo de primeira, bum! O rolo quase todo saiu, as fotos, MARAVILHOSAS! Cores bonitas e fortes, foco lindo, bokeh alucinante (quem tem uma Helios em casa sabe do que estou falando!). Claro que tem o desafio supremos da SRL – o foco todo manual, as super/sub exposições (é preciso sensibilidade para aprender a entender como sua lente enxerga a luz, mas é mágico: quando a foto sai perfeita, você sabe: 100% daquele trabalho duo foi seu, todo seu. É uma sensação viciante: quem tenta não quer saber de outra coisa! Ainda tenho em casa minha Nikon digital, uma D40 que serve para registrar momentos importantes quando não dá pra contar só com minha perícia no analógico. Mas, definitivamente, o filme é minha maneira quase que exclusiva de pensar fotografia. OBRIGADA, Zenitinha do coração!

    Responder

  • Aline
    16/02/2012 em 3:16 pm

    Quando estava na faculdade de rádio e tv via os alunos brigarem por uma Canon Rebel DSLR enquanto me deliciava com uma Pentax velha que ficava jogada em um canto do estúdio. Na mesma época ganhei uma Zenit 12xp e então foi como descobrir o mundo. Câmeras SLR é puro desafio e surpresas pois até aquela foto que você planejou de uma maneira e que por algum erro sai de outro você vai gostar pois foi você em seu acerto ou erro quem fez aquele efeito. Atualmente registro com uma Canon novíssima adquerida por módicos 200,00 no mercado livre e iniciei abusos de isos baixos e filmes vencidos para chegar a efeitos cada vez mais adversos. E são as possibilidades infinitas e as surpresas maravilhosas que me fazem amar esse tipo de câmera não me permitindo troca-las por nenhum outro tipo.

    Responder

  • 15/02/2012 em 9:53 pm

    Algo que eu percebi logo que comecei a fotografar com analógica é que a foto fica mais “pensada”. Você acaba tendo mais cuidado com o que tá fazendo. Tanto cuidado que quando a foto não sai como você queria, já sabe onde (provavelmente) errou. Afinal, com as digitais você pode tirar até milhares de fotos sem descarregar, dependendo da qualidade, tamanho da imagem e do cartão de memória. Já na SLR, são no máximo 36, né? haha

    Comecei a utilizar as analógicas por curiosidade, com algumas que eram do meu avô e ficaram guardadas. O uso da SLR me deixou ainda mais curioso e me fez correr atrás para entender cada vez mais suas funções e possibilidades de foto. Dei sorte, tenho umas 7 ou 8 câmeras, fora as que ganhei de quem não usava mais ou de presente, só comprei uma Olympus Trip 35, pois a que eu já tinha e usava, estava com o fotômetro morto.

    Fiquei super surpreso de ficar sabendo que tinham sido usadas duas fotos minhas aqui, afinal, adoro o blog. Parabéns pelo trabalho!

    Abs.

    Responder

  • Aline
    15/02/2012 em 4:08 pm

    Minha primeira câmera foi uma Zenit (maravilhosa) que meu pai comprou em um bazar, acho que custou R$20,00 acreditam? Ela está um pouquinho esquecida, mas depois desse post, acho que vou tirá-la do armário.

    Responder

  • Hildo Alegria Filho
    15/02/2012 em 11:01 am

    Bah eu tenho uma DSLR e um SLRS (Minolta Maxxum 400si) que adoro e comprei, muito barato (que avaliando bem foi dado) no digiforum.
    Alem do barulho ser muito mais legal, a infinita possibilidade que uma full frame te ofereçe na hora de compor é outra coisa é quase como re aprender a fotografar.
    Gosto também de um barulho do filme sendo retrocedido !
    No mercado livre se tem lentes M42 a 200 300 reais ! da pra fazer um belo set gastando muito pouco !

    Acabei de mandar revelar meu primeiro filme (pro image 100) agora quero partir pros ILFORD pra ver como é que sai !

    Não tenho uma toy cam ainda, mas sou facinado pelo filme acho que o ato fotografico com o filme é muito mais complexo e reflete mais a carga emocional que o fotografo quer passar !

    Abraços

    Responder

  • Dorival F Silva
    14/02/2012 em 11:46 pm

    André e Ana Carolina,
    Me permitam entrar no meio da conversa de vocês.
    Os adaptadores ou extensores para lentes macros, nada mais fazem do que afastar a distancia focal, ou seja enganam a lente com relacao ao filme. Tinha-se uma pequena perda na qualidade final.
    Em contrapartida, se vocé deseja fazer focos macro, sugiro que procure os filtros close ups, que nada mais sao do que as lupas que conhecemos que sao acopladas na frente na lente. Esses filtros so encontrados nas medidas, +1, +2 e +3. Veja qual o diametro da sua lente e encontre filtros na mesma medida. Muito melhor (e mais facil de achar) que os adaptadores.
    que vocês comentaram.
    Novamente desculpem a intromissão, mas o assunto é apaixonante e nao tive como passar batido.
    Espero ter ajudado.
    Dori
    De Curitiba

    Responder

    • 15/02/2012 em 7:07 am

      Oi Dorival! Excelente dica. Eu mesmo, quando me interessei pelo assunto, comprei um kit desses filtros, aí mesmo em Curitiba, na Diafilme…

      Obrigado, e sinta-se sempre a vontade pra opinar, ok?

      Abs!

      Responder

    • 16/02/2012 em 9:54 pm

      Dorival, não seria o contrário? Os tubos de extensão, como não possuem elementos óticos, não causam perda na qualidade da imagem. (não confundir com teleconversor, que é outra coisa..)

      Já os filtros de close-up causam perda na QI, porque são mais um ou mais vidros pra ficar entre o filme/sensor e o objeto a ser fotografado. São mais baratos, mais fáceis de achar mas você precisa de um pra cada diâmetro de lente diferente e têm alguns problemas de distorção, aberrações e afins, como colocar uma lupa na frente da sua câmera.

      Nunca usei os tubos, mas já brinquei um com lentes close-up e são uma ótima diversão.

      Abraço!

      Responder

  • 14/02/2012 em 6:27 pm

    Olha, gosto de de toy cameras, mas arrisco em dizer que quando vc (que ainda não experimentou) pegar um SLR para brincar… Humm… Corre o risco de deixar as toy mais tempo guardada, rs.

    Olá Ana Carolina.
    Dica para quebrar o galho: tira a sua lente da camera vire ela ao contrario. Pronto vc tem uma lente macro, rs.Lógico vai ter que segurar na mão ou passar um fita e o foco ajusta pela aproximação e distanciamento da lente no objeto.

    Xara, outra coisa que eu diria é: São tanques de guerra, elas duram muito, dão de lavada nas digitais novas, (que são muito frágil).

    Essa zenit da foto então (12xp). É forte…

    Responder

    • 14/02/2012 em 11:35 pm

      Oi André obrigada pela dica, minha lente é uma 35-55-80 ela chega bem perto (muito mais perto do que estava acostumada com as toys principalmente) queria uma macro de verdade mais pela curiosidade, vi sobre extensores que dá pra adaptar na lente e faz dela macro, queria saber como funciona porque a minha como chega bem perto se rolasse o extensor chegaria MUITO perto mesmo, hehe.

      Responder

  • Nirvana.
    14/02/2012 em 6:22 pm

    Quando eu ganhei a minha SRL,(dei sorte que tinha uma perdida na casa do meu primo e sem dono) fiquei facinada pq ela fazia o que eu já estava procurando a muito tempo, BOKEH!!! Adoroo! Ainda não revelei o meu “filme teste”, mesmo que não sai nada, foi divertido brincar. Parece que a gente vê um mundo diferentes com aquela lentes, fica tudo mais bonito, mais dramático.
    Quando eu vi aqueles F/x, 1000, 500 e tals, realmente fiquei com medo, mas as tabelinhas de exposição nas caixinhas da Kodak me deram uma boa noção.
    Falei de mais…
    Adoroo esse blog ;)
    Abraços

    Responder

  • 14/02/2012 em 6:17 pm

    é bem legal usar a SLR
    te da uma técnica mais apurada, sendo técnica definida como parte material de uma arte, é bem vinda uma câmera onde você a aprimora!!!
    e as lentes você acho em peregrinações, ou sortes… carol procura alguma assistência tec. e vê se la tem alguma indicação (eles concertam, provavelmente algumas lentes eles devem recondiciona para revenda!)
    a minha SLR eu sou fascinado ! ainda mais vindo com uma desejada 50tinha que é usada na minha digital…
    eu quero ainda é conseguir usufruir da utilização da rollei de meu padrasto! pô é uma rollei com obturador concêntrico …

    Responder

  • 14/02/2012 em 3:25 pm

    O romantismo é meu maior motivo, além de você não precisar carregar um milhão de pilhas, baterias e carregadores.O que já facilita bastante.

    Responder

  • 14/02/2012 em 2:49 pm

    Além disso, dá pra tirar fotos excelentes com elas, que não perdem nada pras DSLR!

    Comecei com fotografia analógica quando descobri que tinha 2 SLR aqui em casa. Acabei comprando uma terceira, mas quero vendê-la, pois é igual a outra que já tinha…

    Responder

  • 14/02/2012 em 2:27 pm

    Só posso dizer que fotografar com SLR é mais “trabalhoso” porém igualmente estimulante e divertido. A minha Praktica ainda é da época da escala DIN! Cada foto numa SLR é um aprendizado. Você tem realmente a sensação de que está construindo a foto. Pesquisando bem é possivel encontrar boas máquinas até mais baratas do que as Toycameras.

    Ah, e o click de uma SLR é bem mais sonoro!

    Responder

  • 14/02/2012 em 1:06 pm

    Esse tópico pra mim veio na hora certa, ainda estou aprendendo a mexer na minha SLR e pra falar a verdade to usando bastante as funções “pré-definidas” que ela tem porque ainda não aprendi direito sobre abertura e velocidade, podia ter um post sobre isso né?

    Falando em lentes, estava dando uma pesquisada e só tenho achado lentes pra DSLR, onde andam as lentes “antigas” com aquele precinho camarada? E você sabe como funciona aquele extensor de lente pra transformar a lente em macro?

    Desculpe o bombardeio, as dúvidas já estavam todas aqui, o tópico me fez colocá-las pra fora.

    Responder

    • 14/02/2012 em 3:18 pm

      Oi Ana Carolina!

      Olha, lentes antigas você vai encontrar mais em lojas de equipamentos usados. Acho que a Angel Photo vende online (na loja fisica eles têm dezenas): http://www.angelphoto.com.br.

      Sobre o post sobre abertura e velocidade, não se preocupe. Já está em desenvolvimento ;-)

      Sobre adaptadores, olha, infelizmente não sei… :-(

      Espero ter ajudado!

      Bjs,

      Responder

    • SamuelPaz
      15/02/2012 em 8:31 am

      Oi Ana.
      Conheço gente que usa esses adaptadores (o nome é tubo extensor, tá?) em DSLR (SLR digitais). Eles funcionam muito bem. A desvantagem é que não têm os contatos eletrônicos que permitem controlar o diafragma e foco automático. Deve ter algum que venha com os contatos, mas nunca vi.

      No caso das analógicas isso talvez (eu disse: tal-vez) não seja um problema, principalmente em câmeras mecânicas, como a Pentax K1000.

      Dá uma olhada nesse link do Mercado Livre:

      http://lista.mercadolivre.com.br/tubo-extensor

      Responder

Deixa aí seu comentário!