8comentários

Curiosidade: Como os satélites espiões funcionavam quando usavam câmeras de filme?

por em 19/02/2012
 

Ahá! Aposto que você nunca tinha pensado nisso. Mas é uma curiosidade justa, né? Como é que os satélites americanos que ficavam fotografando os russos durante a guerra fria (e vice-versa) faziam? Afinal, eles usavam filmes… E ai? Tinham rolos quilométricos de filmes que ficavam lá até o satélite cair?

Pois então, taí a resposta, retirados diretamente de um relatório do governo americano, que recentemente se tornou público:

De 1971 até 1986, 20 satélites foram lançados, cada um contendo 100 quilômetros de filmes, além de câmeras sofisticadas que orbitavam a terra registrando em fotografias panorâmicas a União Soviética, China e outros inimigos em potencial. Os filmes eram jogados de volta pra terra em baldes que desciam de para-quedas no Oceano Pacífico, onde aviões da Força Aérea os pescavam com ganchos.

Ou seja, chovia rolinho de filme durante a guerra fria, e ninguém sabia… ;-) E esse rolo de cem quilômetros de filme, hein? Já pensou o tamanho dele?

OBS: Esse post é uma tradução livre do post “How US Spy Satellite Photography Worked Before Digital Technology” publicado no site PetaPixel. Você pode lê-lo aqui.

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Cesar
    01/03/2012 em 7:16 pm

    Pergunta para os espertinhos: antes de haver câmera digital, como as sondas da NASA mandavam as imagens de outros planetas para a Terra, considerando que elas não voltavam para jogar os rolinhos de filme no oceano?

    Responder

    • 01/03/2012 em 7:36 pm

      Imagens enviadas por ondas de radio?

      Responder

      • Cesar
        01/03/2012 em 8:39 pm

        Mas imagens de onde? O filme tem que ser revelado para que as imagens possam ser transmitidas. E para transmitir, tem que digitalizar. E aí, como é que fica?

        Responder

          • Cesar
            01/03/2012 em 10:32 pm

            Não, desta vez quem levou nos dedos fui eu… :D

            As Mariner e Viking usavam câmeras de TV para produzir e transmitir imagens. O “lander” das Viking tinham câmeras “facsimile” ou “scan” (não consegui descobrir o que era isto).

            A missão Galileu parece que foi a primeira a usar câmera digital: tinha um sensor CCD com a fantástica resolução de 800×800 pixels (foi lançado ao espaço em 1989) ou 0,64 MPixel. Ela pesava quase 30kg (tinha um telescópio Cassegrain acoplado) e consumia 15W.

            Os equipamentos dos soviéticos usavam outra abordagem: tinham uma câmera de filme, um laboratório portátil de revelação automática e um scanner de negativos dedicado, chamado fotomultiplicador. Os equipamentos das Venera (que pousaram na Lua) parece que eram eletrônicos (um scanner que fixava ponto por ponto da paisagem e transmitia o sinal escaneado http://mentallandscape.com/V_Cameras.htm).

            Responder

  • Luis Fernandes
    01/03/2012 em 3:28 pm

    Muito interessante.
    Imagina as instruções para revelar o rolo de 100km de filme: insira o rolo no tambor de mistura; adicione 20 litros de revelador; fique preparado com outros 20 litros de interruptor e outro tanto de fixador; tenha pronta, em mãos, uma mangueira de bombeiro para a lavagem final; etc. (rsrsrs)
    Legal o post, parabéns!
    Abraços!

    Responder

  • Nirvana.
    19/02/2012 em 11:24 pm

    Legal, nunca parei para pensar!
    Agora, imagina como era para revelar todos esse filme??
    Vixii!!
    O blog está ótimo, como sempre ;)
    Abraços.

    Responder

Deixa aí seu comentário!