8comentários

Filosofia metafórica da semana: Quantas lasanhas você ja comeu? E de quais se lembra com mais carinho?

por em 13/03/2012
 
Amigo

Por Lomocouple

Hoje é dia de filosofar, ok? Mas é filosofia de boteco… então relaxa e aproveita ;-)

Já escrevi aqui sobre o valor das fotos analógicas pelo menos umas duas vezes que eu me lembre (aqui e aqui). Como digo nos workshops, pedir uma lasanha no seu restaurante favorito é legal, gostoso e tal… mas fazer sua lasanha em casa, tem seu valor. É diferente. É a SUA lasanha. Até quando ela queima… é a SUA lasanha queimada! :-)

Por Alile Dara

Pois bem. Ontem achei um artigo da FStoppers falando sobre um levantamento que foi feito de quantas fotos foram tiradas no mundo desde que a fotografia foi inventada. Bom… o número em sí não interessa. É um daqueles que ninguém tem noção de quantos zeros têm: 3,5 trilhões de fotos.

Mas aí, como curioso que sou, me bateu a curiosidade de ver quanto dessas eram analógicas, e quantas digitais. Como todo mundo imagina, o número aí em cima multiplicou-se várias vezes nos últimos anos com as câmeras digitais, celulares com câmera e etc (sim, a pesquisa conta TODAS as formas de fotografia).

Olha o gráfico:

Número de fotos tiradas a cada ano

Pois bem. Pelo gráfico dá pra ver a queda das fotos analógicas, entre 2000 e 2005, com a popularização das câmeras digitais. Mas observem com atenção. Os números não são cumulativos. Ou seja, cada número representa quantas fotos foram tiradas NAQUELE ANO. Em 1930 foram tiradas 1 bilhão de fotos, em 1980 foram tiradas 25 bilhões. ok?

Por Marcos França

Agora repare na comparação entre os anos 2000 e 2011: foram 86 bi em 2000 e 380 bi em 2011! Nem precisa saber quantos zeros tem em “bilhões” pra ver que a quantidade de fotos tiradas quadruplicou desde que as câmeras digitais ficaram populares, enquanto que nas décadas anteriores esse número nem dobrava década após década.

“Que bom, né?” É… de certo modo é bom, porque todo mundo pode tirar a foto que quiser, na hora que quiser…

Mas e o valor dessas fotos? Não valor em $$$, mas o valor pra você…?

Voltando ao exemplo da lasanha, pense bem: de qual lasanha você vai se lembrar mais, contar mais histórias sobre, lembrar mais do sabor? Da lasanha de todo dia do restaurante, ou da lasanha que você fez, escolhendo ingredientes e tudo mais, colocando no forno, esperando ficar pronta…? Qual terá mais valor na sua vida depois de alguns anos? E quantas lasanhas você FEZ, e quantas COMPROU? A proporção deve bater com a das fotos digitais versus analógicas, né?

Por Marcos França

“Ah! Mais a lasanha do restaurante é muuuito mais gostosa!” Não confunde as coisas, pô! Não tô falando de qualidade. Tô falando de importância emocional, afetiva. Se a lasanha não tá convencendo, tente pensar em outras coisas que tenham sido feitas por você, ou por pessoas que você ama, versus coisas compradas prontas.

Essa é a filosofia de botequim da semana. Fotos digitais não são exatamente feitas por você. São mais uma parceria sua com aquela caixinha preta cheia de coisas invisíveis e confusas que é a câmera digital. Ele é seu cozinheiro. Você vira pra câmera e diz: “faz essa foto aê”… e ela faz.*

“Porra! Tá de sacanagem, né? Que coisa mais xiita e radical! Então foto digital não é fotografia?! Não tem valor afetivo? Não tem…” CALMA! Respira… respira… não, não é isso que tô dizendo.

Pentax K1000

Por Maria Alice Mazzucco

O que eu tô dizendo é que quantidade não é qualidade, e que quanto menos artesanal uma coisa, mesmo que ela seja linda, deliciosa, fantásticamente perfeita, não TE comove (o autor) tanto quanto uma mais artesanal, comparativamente. E, comparativamente, uma foto analógica é mais artesanal que uma digital, é isso.

Agora respira fundo, toma um chá de camomila, e pensa nisso. Com carinho. Não tem nada de errado em fotografar com digital. Eu tiro fotos com digital mais do que com analógicas! Com minha DSLR, com minha Lumix compacta, com meu iPhone… mas essas fotos são mais valiosas pra mim do que as analógicas que eu tipo de vez enquando?

Acho que você sabe a resposta.. ;-)

* Sim, estou sendo reducionista ao falar das digitais como sinônimo de modo automático e tudo mais. É claro que dá pra usar uma DSLR no modo manual, e aí a diferença entre uma DSLR e uma SLR é bastante reduzida no que diz respeito ao “artesanal”. Mas aí a filosofia de boteco perde a graça, né? Não leve a vida tão a sério…;-))

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • 14/03/2012 em 2:31 pm

    Embora leia o Queimando Filme (ah, como fiquei contente ao descobrir o blog e ver quantos malucos feito eu existem por aí) por conta da paixão pela fotografia analógica, preciso confessar: seus textos tornam a leitura ainda mais prazerosa, André! Adoro a descontração e como parece que você está conversando com os leitores.
    Ah, e sua ‘filosofia de boteco’ faz todo o sentido! Eu duvido que qualquer um que fotografe ou já tenha fotografado com filme não sinta esse prazer do ‘trabalho artesanal’. x)

    Responder

    • 14/03/2012 em 2:34 pm

      Geeeente! Assim eu fico encabulado, enrubescido! :-D Obrigado pelos elogios, Jess! A idéia é essa mesmo: conversar com quem lê. Por isso fico tão feliz com a quantidade enooorme de comentários que vocês deixam aqui. Bom demais!

      Bjs!

      Responder

  • Daisy
    14/03/2012 em 11:05 am

    Comecei um cursinho básico de fotografia que não levou mais que 6 sabados e cada um deles com 6h de aula. Meu professor é tão alucinado que me deixou mais louca ainda por fotografia do que ja sou.Comprei uma digital simples finepix fujifilm. Mas a lasanha de casa é verdadeiramente melhor.Saí que nem uma louca a caça das analógicas e hoje estou com Yashica B,Olympus Trip,Nikon F55 e outras na lista de espera.O gosto de “tirar a lasanha do forno” é algo que me seduz muito mais do que ir ao restaurante e o pedido chegar em 5 minutos…Enfim se precisar de uma louca por analógicas encontrou, mas claaaaro tb dou grande valor as digitais sem desmerece-las.Não sou uma expert no assunto ainda, mas apaixonada isso sei que sou!! E parabéns mais uma vez por este cantinho que me ajudou amadurecer mais ainda em termos de fotografia e refinar meu olhar.Obrigada e bjos

    Responder

  • 13/03/2012 em 11:32 pm

    Adoro o seu jeito de escrever! E de fato fotos analógicas têm mais valor para quem tirou…da mais orgulho e vontade de dizer: sem filtrozinho escroto de photoshop, biiitch!!!

    Responder

  • 13/03/2012 em 6:59 pm

    Valeu! :-) A gente tenta. né? :-P

    Responder

  • Hildo Alegria Filho
    13/03/2012 em 4:07 pm

    Cara teu jeito de escrever é muito bom !

    Responder

  • GabRio
    13/03/2012 em 3:33 pm

    por isso que quero ler muuito sobre a fotografia raça! não no sentido de raça pura, mas sim no de ser feita mesmo, participar de cada processo que hoje tenho acesso(um dia faço uma expo com daguerreótipos) ainda nesses dias ganhei um baita formulario fotografico que eu fiquei verdadeiramente emocionado e vislumbrado, bem é isso! faço em casa minha lasanha, aqui ainda posso adicionar uns ingredientes secretos que a melhorem a meu modo!

    Responder

Deixa aí seu comentário!