8comentários

Como funciona um Minilab – Parte 5: A Impressora

por em 19/04/2012
 

Clique para ver em tamanho legível ;-)

Você já sabe como funciona um filme colorido, como é a química para esse filme virar um negativo, conheceu a máquina que faz isso e já viu como se faz para não ter erro nas cores na hora da impressão. Agora falta a gente mostrar como é a máquina que imprime o negativo no papel.

Já a algum tempo a máquina trabalhava direto com o filme, fazendo todo o processo de ampliação e revelação do papel dentro dela. Não tem mistério: O papel vem em rolos, embalados em caixas a prova de luz, e dentro da máquina uma forte lampada projeta os negativos sobre o papel, por um certo tempo. Esse tempo, e a tonalidade da lampada são ajustados de acordo com o sistema de calibração (LATD ou ACCS).

Clique para ver em tamanho legível ;-)

Depois disso a imagem pega carona por uma esteira para os banhos químicos, num processo muito parecido com a máquina processadora de filmes, com revelador, depois um líquido que faz a vez do fixador e do branqueador, banhos de enxágue e condicionamento para finalizar. Depois disso passam no jato quente da secagem, e as fotos são cuspidas prontinhas, quentinhas e cheirosas da máquina, no momento de glória para todos nós!

Porém hoje essas máquinas estão ficando mais raras, pois estão sendo trocadas por máquinas mais novas, capazes de processar fotos digitais. O funcionamento básico é a mesma coisa de sempre. A diferença é que em vez de projetar o negativo no papel, um conjunto de raios laser (Pew pew pew!!!) faz esse mesmo serviço.

Mas chega de conversa: O pessoal da Cine Foto Brasil, como de costume, foi super atencioso e nos mostrou sua impressora em funcionamento, e fizemos o seguinte vídeo para o deleite de vocês:

Como vocês viram, apesar da máquina ser grande e complexa, a ideia por trás de seu funcionamento é bem simples: fazer de um jeito automático tudo que é feito em um laboratório manual. Agora pegue sua câmera, queime um filme e mande revelar, mas sabendo exatamente como a mágica está acontecendo!

Valeu Cine Foto Brasil!

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Victoria
    06/04/2013 em 10:14 pm

    Na verdade, segundo esse artigo da wikipedia bem que eles podem tar usando esse dry mini lab que não usa químicos :( http://pt.wikipedia.org/wiki/Minilab desculpa tantas perguntas, mas é que pra mim só faz sentido me aventurar na fotografia analógica se eu puder ter a qualidade analógica nas fotos impressas…

    Responder

    • 07/04/2013 em 11:04 am

      Victoria, vamos lá: É capaz que alguém tenha ainda um minilab antigão que tenha a lampada e o suporte do negativo pra projetar ele direto sobre o papel, porém estão cada vez mais raros.
      Se a impressão for feita em papel fotográfico (esse, sensível a luz) ela obrigatoriamente vai ter que ser feita com uma projeção (seja na lampada direto do negativo, seja com laser) e químicos para revelar a imagem. Porém há vários bueraus e casas de impressão que vão escanear isso e imprimir em máquinas jato de tinta ou de sublimação. Nesses dois processos, tinta é colocada sobre o papel, que pode ser de vários tipos, porém é um processo mais caro.

      Responder

  • Victoria
    06/04/2013 em 10:06 pm

    Ah, tá. Após rever o vídeo 2 vezes acho que “meio” que compreendi. Os arquivos tem que virar digitais para serem impressos depois mesmo. Mas… será que existe um meio desse laboratório que eu levo simplesmente escanear e mandar imprimir, sem que ele tenha que passar pelos químicos para revelar o papel fotográfico? Ou isso não existe, todo laboratório projeta as imagens sejam analógicas ou digitais no papel fotográfico através desses lasers e assim o papel precisa passar pelos químicos para aparecer?

    Responder

  • Victoria
    06/04/2013 em 9:43 pm

    Oi! Me responde uma dúvida? É que após ler esses 5 passos sobre o minilab eu fiquei confusa… é que aqui em Belém, eu fui levar o filme p revelar. Me deram o negativo, de boa. Preu escolher quais eu queria no papel. Mas como eu to iniciando nas analógicas perguntei p moça q trabalha lá como funcionava o processo de ampliação, já que não se usam mais aquelas máquinas com lanternas que projetam o negativo no papel fotográfico. E ela me disse que lá eles colocam num scaner próprio p filme e mandam imprimir. E que esse scaner automaticamente passa ele pro positivo. Ou seja: pelo que eu entendi eles não usam esse minilab que projeta com raio lasers e depois passa pelos químicos. Eles scaneiam, e imprimem O_O Será que foi isso mesmo que ela quis dizer? Até por que eu recebi as fotos e elas ficam com algumas linhas horizontais como se fosse marcas do scaner, sabe? Consegues me explicar o que ela quis dizer?

    Responder

  • 30/04/2012 em 11:52 pm

    Muito legal. Mas já viu, né? Escaneamento de 135 e APS. Médio ou grande formato só “artesanal”.
    [ ]

    Responder

Deixa aí seu comentário!