24comentários

Filmes puxados para baixo. Porque filmes maus vão pra onde quiserem…

por em 30/05/2012
 

Lomography Xpro 100 (puxado pra 50)

Esse site se chama Queimando Filme não é a toa… Aqui nós gostamos de experimentar, de fazer nossas próprias gambiarras e irmos por caminhos diferentes. Somos ousados, somos maus com nossas câmeras e filmes. E como diz o ditado, “Filmes bomzinhos vão para o álbum – filmes maus vão para onde quiserem”…

…ou algo parecido.

Como todos já sabemos, “puxar o filme” significa trabalhar com ele fora das especificações de fábrica (AINDA não leu o artigo do André a respeito ??? Aqui ó!). Claro que a Fuji quando fez o Superia 800 estava pensando em situações de baixa luminosidade ou em que o obturador estivesse bem rápido – vai que você quer congelar seu sobrinho saltando no ar ou guardar a cara de pânico espanto do namorado quando você solta o “Tô grávida” no meio do jantar romântico? É com ele mesmo – o filme, o namorado eu já não sei…

Mas, por mais que seja ótimo poder trabalhar com a grande variedade de filmes que existem no mercado hoje em dia, o fato é que nem sempre se acha o filme que se quer usar na lojinha do lado e eu, por exemplo, ainda não me rendi às compras online no que diz respeito às películas. Eu gosto de entrar nas lojas, conversar com os balconistas entrar no clima, sabe? E aqui em Brasília nem sempre é fácil achar bons filmes. A última vez que eu achei Neopan SS 100 por aqui, saudosos dois rolos, foi 3 ANOS ATRÁS. E como o único lugar que eu tenho notícia de achar ele é no Japão, vai demorar um pouco mais para conseguir botar as mãos em mais deles.

No geral, eu só consigo estoque regular por aqui de 5 filmes:

  • Da Kodak: ColorPlus 200, Ultramax 400 e – em UMA loja – ProImage 100 e Tri-X 400.
  • Da Fujifilm: Fujicolor 200 e Superia X-Tra 400.

Kodak Ultramax 400 (puxado para 100)

Tem uma outra loja que me fornece acesso aos filmes da Lomography, mas nada com que em posso contar sempre.

“Quer dizer que você só tem 1 opção de P&B e – tirando o ProImage, só filmes “de segunda”? Onde estão os Provia, Velvia, Portra, HP5 ou o PanF da Ilford, ou até mesmo um Tmaxzinho?” Não… Não tem. Não em estoque, não em qualquer lugar. E essa é a realidade de boa parte do nosso país, certo? Então como fazer para dar uma chance a esses filmes mais simples – e baratos – de nos presentearem com boas fotos? Puxando ora!

“Opa… Se estamos falando de filmes baratos, ordinários mesmo, será que eles aguentam mais esse abuso? Porque quando puxamos o filme, estamos forçando ele, né? Será que isso vai prestar?” Onde está o espírito aventureiro de vocês, hein? Pois vamos levar isso a outro nível então: que tal puxar para baixo?

Gambiarra Mode: ON

Say what? Isso mesmo, vamos levar o filme até o chão – Iremos aos ISO mais baixos que possamos conseguir! Para esse experimento, utilizei o que eu dispunha de mais abundância mesmo – Kodak Tri-X e Ultramax (ambos filmes originalmente 400) e para não deixar tudo muito pobre, um rolo de Lomography Xpro 100. Os Kodak eu trabalhei como ISO 100 e o Xpro como 50.

Para efeito de referência, todos os filmes foram fotografados com a mesma câmera/lente: Minolta SRT 303b com a Rokkor “Fat Mamma” 58mm 1,2. Vamos lá?

 

Kodak Ultramax ISO 400 puxado pra ISO 100:

Kodak Ultramax 400 (puxado para 100)

Uau… Cores! Uma das minhas principais reclamações com o Ultramax sempre foi que as cores saiam sempre meio lavadas. E somando-se a isso o grão razoavelmente grande para um filme dessa sensibilidade, esse acabava sendo um filme que eu só usava com algum filtro (normalmente um polarizador) para deixar as cenas mais interessantes.

Mas agora… Os resultados ficaram MUITO melhores do que eu esperava! Eu tinha lido arespeito dos benefícios de se puxar para 200 ou 100, mas o produto final ficou BEM interessante. E sem nenhum estresse por causa da puxada na exposição.

Nada mal para um filme de menos de R$20, hein? 

 

Kodak Tri-X ISO 400 puxado pra ISO 100:

Kodak Tri-X 400 (puxado para 100)

A latitude do Tri-X já é algo lendário na fotografia. Um filme que está por ai desde 1954 tem que ser respeitosamente explorado. O resultado não me decepcionou, mas não me deixou tão impressionado como na puxada do Ultramax.

Vejam bem, as fotos ficaram muito boas ao meu ver, mas eu JÁ conseguia resultados semelhantes usando ele de maneira padrão (e até mesmo como ISO 800). Posso dizer que a imagem não melhorou tanto assim, mas saber que ele aguenta todo esse abuso (um filme 400 indo de 100 a 800 sem sofrimento) me fez mais uma vez reverenciar o velhinho.

 

 

Lomography Xpro ISO 100 puxado pra ISO 50:

Lomography Xpro 100 puxado pra ISO 50

Eu já imaginava que isso seria uma grande viagem, mas não imaginei que iria voltar a Woodstock. As cores de um processo cruzado estão todas lá, mais tem muito mais contraste do que eu imaginei – nada que comprometa o resultado final, pelo menos. Eu esperava um ganho de nitidez maior por ter trabalhado com ISO 50, mas as imagens ficaram bem interessantes.

Francamente, não gostei tanto como gostei dos anteriores – eu adorei os resultados com os filmes Kodak, mas os efeitos são bem exóticos desse Lomography podem ser interessantes nas mãos capazes. Alguém se habilita?

Veredito:

Eu gostei MUITO dos resultados com o Ultramax – a maior nitidez junto com as cores mais saturadas deram um visual que eu poderia me acostumar. Já o Tri-X não me empolgou tanto. São boas imagens, sem dívida, mas como eu já tenho alguns rolos de Neopan 100 Acros, fica difícil eu usar ele nessa puxada – prefiro ele no original mesmo.

O Lomography… Bem, é um filme “experimental por natureza”, mas acho que vou usa-lo só no modo “standard”. Ele já é bem loco por si só e isso é algo que eu gosto nele.

Para quem se empolgou com a ideia, existem muitos outros filmes para se trabalhar fora do eixo – ainda não explorei as possibilidades do Kodak ColorPlus 200 e Fuj Superia X-Tra 400. Reza a lenda que ambos podem ter desempenho mais significativo se puxados. Mas para onde? Para cima? Para baixo?

Boas fotos para todos!

Ps: Aqui tem mais algumas fotos desse experimento para vocês  analisarem.

 

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • 02/01/2015 em 10:58 am

    Olá Nataly!

    Quanto ao comportamento em relação ao Lab, existem duas abordagens:

    – se for filme p&b: avise para que o laboratorista trate o filme de acodo com a puxada
    – se for filme colorido: pergunte se eles se conhecem/trabalham/sabem o que diabos é isso
    * Se sim, informe para qual o ISO que você quer puxar.
    * Se não, ou
    # Você raspa/cobre o código de barras que tem na bobina do filme para que o laboratorista TENHA QUE informar o ISO, ou
    # Procure outro Lab.

    Sobre “o ideal”, isso é bem de acordo com o gosto de cada um. Já vi filme colorido ISO 400, vencido, fotometrado para 800, e revelado como 200 – mui loco, né? É interessante fazer buscas na internet para ver os resultados que se consegue.

    Espero ter ajudado!
    (feliz ano novo)

    Responder

  • 23/12/2014 em 3:22 pm

    galera eu to meio perdida ainda hahaha me expliquem aqui. em relação a digitalização, preciso avisar no lab que puxei para um iso diferente do filme tbm?
    outra duvida, ex: se tenho um filme 200 e puxo ele para 400 o ideal é revelar em 400 ou 800?

    Responder

  • 21/09/2014 em 2:37 am

    E eu q só consigo o Kodak ColorPlus 200 na minha cidade, mas pra quem ta começando, acho q acaba sendo a melhor escolha R$

    Responder

    • 22/09/2014 em 10:02 am

      É Ivan…

      Por essas e outras que vale a pena MESMO juntar uma turma e experimentar fazer compras em lote pela internet – assim da para rachar os custos extras (impostos/frete) e economizar um pouco na hora de conseguir algo diferente do que aparece nas lojas físicas.

      Um abraço!

      Responder

  • 28/11/2012 em 5:18 pm

    Eu usei uns KODAK puxados pra cima e os resultados não foram tão bons.
    Tirei apenas fotos ao ar livre, até as 16h no máximo. Mas tem um porém, estava nublado.
    Ainda pensei: nem vai dar problema, porque são puxados pra cima…
    Contraste 0 no Ultramax 400
    Os que tiveram as fotos melhorzinhas foi o 200 básicão.

    Responder

    • 03/12/2012 em 4:20 pm

      Matheus,

      Recentemente eu puxei o Ultramax para 200 e a imagem ficou BEM ruim – o filme foi revelado no mesmo lab, então imagino que tenha sido algum problema naquele rolo. (um outro filme feito na mesma câmera no mesmo dia saiu numa boa) Também tenho tido resultados bons com o ColorPlus, mas nada de mais.

      O que tem acontecido comigo é melhores resultados com PB (qualquer marca) do que com Cor (ainda não comecei a experimentar com os coloridos da Fuji). E como está difícil achar chromo que preste por aqui, vou poupar-los um pouco e “só” fazer processo cruzado mesmo.

      Um abraço e boa sorte com os experimentos!

      PS: desculpe a demora em responder!

      Responder

  • Renato Naves Prado
    27/11/2012 em 8:34 pm

    Gente, quanto custa pra revelar um PB aí em Brasília?
    Aqui em Goiânia é R$ 15,00 o rolo. Como quero revelar vários, dependendo do preço compensa.
    Obrigado pela dica do post. Vou tentar muito com os coloridos.

    Responder

    • 28/11/2012 em 1:09 pm

      Renato,

      Por aqui o valor é entre R$10/15 – não muito diferente do que você encontra ai em Goiânia. Mas se você quer revelar muitos rolos de uma só vez, pode ser que você consiga um desconto… Vale apena tentar uma boa negociação.

      Um abraço!

      Responder

  • Pedro Paiva
    07/07/2012 em 4:10 pm

    Então eu fotografo um iso 400 feito 100. A revelação eu devo fazer a 100 ou a um outro valor da minha escolha?

    Responder

  • 30/05/2012 em 8:33 pm

    Bom, durante a saída fotográfica do workshop do QF aqui em Belém, sem querer, fotografei com o Fujifilm Superia X-Tra 400 puxado p 1600 (sim, por ter passado meses fotografando em iso 400 e, por ter mudado um pouco antes do WS p 1600, esqueci de conferir na hora) e.. olha… não gostei nem um pouco! hahahaha

    poucas fotos se salvaram, só as q foram tiradas uma luz bem difusa.. onde tinha um mínimo de sombra ficou beeeeeeem estranho heheheh

    dois exemplos aqui:
    http://www.flickr.com/photos/caiobrito/7290646298/in/photostream (essa eu gostei)
    http://www.flickr.com/photos/caiobrito/7251896566/in/photostream (reparem nas áreas escuras)

    ps: Bruno, podes me passar o endereço dessa loja q vende Tri-x em bsb?

    Responder

    • 31/05/2012 em 12:05 pm

      Caio,

      A loja chama-se Cine Foto JM. O endereço é SCLS 202, Bl A, Lj 08. O telefone deles é 3226-9856.

      Duas observações sobre a loja:

      1- Eles estão 100% automatizados, então nada de puxar filmes por lá.
      2- A pesar de eles venderem o Tri-X na loja, eles NÃO REVELAM O FILME
      (bizarro, eu sei)

      Com isso eu compro com eles o Tri-X (e o ProImage 100, que é um ótimo filme), mas acabo revelando na Photomídia (SCLN 302, Bl A, Lj 03 – tel. 3326-0801), que não tem Tri-X, as tem umas coisinhas interessantes também. E lá sim, eu consigo pedir para trabalhar o filme da maneira que eu quiser.

      Boas fotos!

      Responder

      • Luiz Gustavo Horita
        02/06/2012 em 10:34 pm

        Tem um Cine Foto JM tb na Asa Norte. Bem mais fácil de estacionar por lá.

        E da última vez que passei por lá, revelavam o Tri-X. Já revelei um Ilford tb.

        De qq forma, espero em alguns meses me mudar para um apartamento maior para fazer meu próprio laboratório de revelação…

        Responder

      • 26/06/2012 em 7:39 pm

        legal saber dessa Photomídia aqui em Brasília

        Responder

  • 30/05/2012 em 7:40 pm

    André, sempre que eu levava um filme puxado pra ser revelado em c-41 os caras do laboratório diziam que nada podiam fazer, que a máquina é automática… como e onde você faz, na prática? vlw

    Responder

    • 30/05/2012 em 7:45 pm

      Opa Sinclair! Eles provavelmente não estão mentindo. Os minilabs, que são as máquinas que revelam, lêem o código do filme do código de barras que existe no rolo do filme.

      É um direito do cara não querer aprender a ajustar na mão, mas não é assim em todo lugar. Eu moro em SP, e revelo no 337labfot.com.br. Mas existem muitos labs que fazem isso, em muitas cidades. O que sugiro é você procurar outro lab em sua cidade. Preferencialmente labs que sejam antigos na cidade, com laboratoristas experientes, e não apenas balconistas mal treinados. Nesse sentido, labs “perdidos” nos centros das cidades ganham dos labs novinhos e convenientes de shoppings e áreas comerciais mais novas ;-)

      Abs!

      Responder

  • Marco
    30/05/2012 em 6:58 pm

    Só um adendo, alguns laboratórios aqui do RJ com os quais trabalhei utilizam o termo “redução” para essa “puxada pra baixo”.

    Responder

  • 30/05/2012 em 5:43 pm

    O principal ganho de puxar o Tri-x de 400 para 100, além do contraste, é justamente o ganho na hora de ampliar, o tamanho do grão.

    Responder

  • 30/05/2012 em 5:42 pm

    Rapaz, eu já levei o Tri-x a 6400 e ele segurou as pontas Se liga: http://uesag.tumblr.com/#21265071835

    Responder

  • Douglas
    30/05/2012 em 4:42 pm

    Gostei muito do resultado do Ultramax puxado pra 100. Tive vários desses filmes, e agora deu uma vontadezinha de puxar ele pra 100!
    Na hora de mandar revelar, você avisa que ele foi fotografado em 100? Como funciona?

    Responder

  • carlos
    30/05/2012 em 4:33 pm

    Olá! Gostaria de pedir uma ajudinha, pois você provavelmente tem mais ~contatos~ que eu nessa área rs.
    eu tenho uma trip, mas gostaria de comprar uma um pouco mais completa, penso numa zenit.. ou alguma parecida. por um acaso vc conhece algum site, lojinha online que vendam essas cameras usadas? vi que na lojinha daqui nao tem haha..
    parabens pelo blog, está no nos meus favoritos há tempos!

    Responder

    • 30/05/2012 em 4:52 pm

      Opa Carlos!

      Acho que o que você procura é uma SLR mesmo… tenho vistom muita gente encontrando coisa boa no Mercado Livre. mas tem que saber escolher… se precisar da minha ajuda, me manda um email, ok?

      Tem também a http://www.angelfoto.com.br/ que tem uma sessão só de usados.

      Fora o ML e a Angel, não conheço nenhum site que tenha câmeras SLR usadas pra vender… mas tem que procurar pelos cantos mais obscuros da internet mesmo, viu? Não é que nem entrar na Americanas.com e procurar… é coisa de garimpar mesmo…hehehe!

      Responder

Deixa aí seu comentário!