8comentários

Fotografando com analógicas em viagens – Parte 1 de 3

por em 04/06/2012
 

Desde há algumas semanas que eu tenho pensado sobre o que mais eu poderia escrever aqui no site. Verdade seja dita, o resto da turma que escreve é composta por fotógrafos aficionados que queimam filme quase todos os dias – se não todos os dias mesmo – e eu sou um cara que quase só pega a camera na hora de ir viajar. Então eu meio que tava sem assunto… Até que bateu… “É isso, vou falar de fotografia analógica em viagem!

Primeiro que tudo, porquê optar pela fotografia analógica para uma viagem? Alguns poderão achar um erro, argumentando que “numa viagem você quer ter garantia que as fotos vão sair legais!” ou que “você quer ter liberdade para bater o número de fotos que for”. Esse último argumento, tá, eu aceito. Todos sabemos que a fotografia analógica deixa nosso bolso bem mais leve. Agora, o primeiro argumento, eu vou contrapor com o seguinte: quer melhor forma de aprender de vez a mexer com fotografia analógica do que ter essa pressãozinha? ;-)
Além de que… no meio dos 400 turistas chineses com Canon 5D e teleobjectiva de 500mm, uma pessoa passar perto com uma analógica “mixuruca”, tem outro charme!!!

Outra questão, porque é que eu quase só fotografo quando vou em viagem? É simples: eu amo fotojornalismo e aquela coisa, que ultimamente se falou muito aqui no site, chamada de street photography. O fotojornalismo por vezes se funde com a fotografia de eventos, mas a vertente de fotojornalismo que eu gosto mesmo é aquela que tem como foco abordar novidades, acontecimentos diferentes do habitual, algo espectacular ou coisas estranhas e sinistras, e por aí fora. Por isso é que eu gosto de fotografar fora dos locais da minha rotina. Porque tudo é novidade! Tudo é diferente! Eu acredito que fotografar sempre a mesma coisa acaba dificultando o processo criativo. Você já viu aquilo mil vezes e a sua cabeça já processou a informação toda e já não dá para prestar mais atenção aos detalhes. É como quando se pinta um quadro: chega um certo ponto que você precisa ir embora, esperar uns dias e depois, quando voltar a encarar a tela, vai ver aquilo de uma perspetiva completamente diferente. Depois, é claro que o novo, o diferente, dá muito mais vontade de fotografar do que aquilo que se vê todos os dias.

“Tá, beleza, e o que é que street photography tem a ver com viagem?” Bom, para mim, fotografia de viagem não significa apenas fotografia de paisagens. Não se trata apenas de ruas diferentes ou de paisagens diferentes. As próprias culturas e pessoas são diferentes e têm uma outra forma de estar na vida. Adoro fotografar as pessoas de outras culturas. E para comprovar o que eu disse acima, sobre o incomum ser mais interessante, aposto que você acha aquela foto ali em cima, à direita, mais interessante, do que essa aqui do lado esquerdo.

Infelizmente o orçamento de viagens nem sempre me permite ir longe, mas sempre que posso, faço um pé de meia e me mando para um local onde eu saiba que realmente vou conseguir paisagens naturais ou urbanas incríveis. Mas mesmo que não vá muito longe, às vezes uma pouca centena de quilómetros já vai trazer coisas novas para se fotografar

Então, da próxima vez que for viajar e pensar levar só o celular ou uma camera compacta, NÃO FAÇA ISSO! Aproveite que vai estar num outro lugar, com outras pessoas, e se deixe impressionar! Ah, e se certifique que a camera que leva está funcionando, não vá acontecer o mesmo que aconteceu com o Bruno Almeida, que levou apenas uma camera para testar e se ferrou.

E, agora, me aguardem que eu vou escrever mais 2 posts sobre esse negócio de fotografar em viagens: um sobre retratos, outro sobre paisagens!

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixa aí seu comentário!