36comentários

Como fazer filme redscale em casa (à luz do dia!)

por em 13/06/2012
 

Antes de escrever para o site, eu já era leitor do Queimando filme. E uma das muitas coisas interessantes que aprendi aqui foi sobre a possiblidade de se fazer filme redscale em casa. Fiquei todo empolgado, mas quando comecei a ler mais sobre o processo, desanimei… quarto escuro, mexer nas coisas às escuras…tirar o filme, dobrar o filme, voltar a colocar… estar a mexer num filme às escuras, sem saber muito bem que merda estou fazendo, e correr o risco de estragar, não é pra mim. Então eu meio que coloquei a ideia de parte. Até que…comprei um lote de filme e pensei “bom, vamo arriscar?!”

Voltei a pesquisar o processo no Google e encontrei uma forma de fazer filme redscale sem ser às escuras e vendo bem o que estou fazendo (ou quase)! Para todos os medrosos cuidadosos como eu, aqui fica um tutorial que roubei daqui:

 Material:

  • 1 rolo de filme
  • 1 rolo de filme vazio (com um resto de filme)
  • tesoura
  • fita adesiva

Passo a passo: 

  • Corte a parte do filme que é utilizada para o encaixe na câmera
  • Use fita adesiva para unir o filme novo ao resto de filme da bobina (rolo) vazia ATENÇÃO: lembre que o filme redscale funciona “ao contrário” por isso os filmes deverão estar opostos um ao outro.
  • Depois de colado, só tem de rebobinar o filme para a bobina vazia. ATENÇÃO: Por segurança, faça isso em um ambiente com pouca luz. ou cubra suas mãos, e os rolos, com um lençol ou pedaço de pano. Assim você previne vazamentos de luz pra dentro do filme.
  • Pra terminar, corta a língua do filme para encaixar na camera

E para terminar, vamos relembrar uma dica importante que o André já deixou aqui no site:

Quando usar um redscale caseiro, sempre programe a câmera pra um ISO um ou dois pontos MENOR que o do filme usado. Se o filme é 400, use na câmera 200 ou 100. Se for ISO 100, use 50 ou 25.

Tá, mas porquê?? O André também explicou:

O plástico dos filmes comuns não são feitos pra receber luz por trás. Portanto, eles são meio escuros, e impedem a passagem de toda a luz necessária pra formar a imagem no filme.

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • João Lucas
    11/07/2014 em 11:47 am

    Uma(s) dúvida(s):

    -consigo usar um filme já batido, fora do rolo pra fazer redscale?
    -isso vai fazer uma sobreposição, não?
    -no meu caso, uso uma olympus pen, como vou saber que o negativo está bem enquadradado, no caso as fotos que já foram batidas, vão aparecer nas outras que forem reveladas?

    não sei se fui bem claro! obrigado! :D

    Responder

    • Diogo G
      11/07/2014 em 12:25 pm

      Então João, vamo lá:
      – consegue! e vou querer ver o resultado disso!
      – certo! as novas fotos ficarão sobrepostas àquelas que já foram batidas antes.
      – não vai saber…a única forma seria marcar o primeiro frame antes de queimar o filme a primeira vez (por exemplo assim: http://goo.gl/S7BZrg). isso permite que na segunda utilização você saiba qual o posicionamento correto. sendo um redscale, não esqueça que vai utilizar o filme pelo lado inverso, então era bom tentar marcar dos dois lados mesmo. mas vai na aventura e vê o que acontece!

      Responder

  • Leticia
    23/05/2013 em 7:09 pm

    não tenho o rolo de filme!!!!!

    Responder

    • Diogo G
      27/03/2014 em 9:07 pm

      Poxa Leticia, só vi isso agora…quase um ano depois! Peça num laboratorio! eles têm imensos rolinhos vazios das revelações que fazem :-)

      Responder

  • Agatha
    04/04/2013 em 12:12 pm

    Boa tarde
    Adorei a ideia do redscale caseiro, já havia visto isso na faculdade quando fizemos pin-hole, e pensei em deixar uma forma diferente (talvez mais fácil ou mais difícil, não sei) para quem não tem capuchão ou locais com pouca iluminação. Ao fazer a pin-hole de caixinha de fósforo é só colocar ambos os filmes (vazio e cheio) com a parte de girar do mesmo lado. A caixinha, se bem vedada, evita entrada de luz e da mais segurança na hora de passar de uma bobina para outra. Também funciona se usado a própria pin-hole para fotografar, só calcular o tempo de abertura do furo para um ISO menor (se você esta com um ISO 400 usando 3 segundos de abertura, deixe aberto o furo por 6 segundos).
    Att

    Responder

  • 15/02/2013 em 11:07 pm

    Olá pessoal, adoro este site, aprendo muito com vocês! Parabéns e muito sucesso.
    Também fiz meu teste do redscale caseiro e apesar de algumas fotos terem ficado meio escuras, no geral gostei muito do resultado.
    Obrigada por compartilhar, abraços

    Responder

    • Diogo G
      22/02/2013 em 4:17 pm

      Oi Lu!
      você teve o cuidado de aumentar a luz que chega ao filme? indicando um iso maior ou caso a câmera não tenha essa opção, utilizando uma abertura maior?

      Responder

  • Bianca Moschetti
    14/02/2013 em 2:21 pm

    oi! acompanho o site de vocês há um tempinho já!
    acho ótimo! muito cuidadoso e dedicado. parabéns!
    quanto ao redscale… fiz um caseiro e tô terminando de bater ele.
    a minha dúvida é: mando revelar com o iso do filme (no caso 400) ou com o iso que eu bati as fotos (que foi 50)?

    Responder

    • Diogo G
      14/02/2013 em 4:47 pm

      Oi Bianca! Muito obrigado pelas palavras :)
      Em relação à sua pergunta: mande revelar com o iso original. Se bater um redscale 400 como 50 e revelar como 50, seria a mesma coisa que ter batido o filme em 400.

      Responder

      • betina
        09/12/2013 em 9:39 pm

        ok, agora esse comentario me confundiu. eu tava achando q deveria mandar revelar o filme no iso em que bati, já q senao nao serviria de nada ter diminuido 2 pontos… pra mim nao faz sentido usar um filme iso400, bater as fotos em iso50 ou iso100 e depois revelar em 400…
        e aproveitando, qual filme tem melhores resultados com redscale? algum especifico ou qualquer um colorido?

        Responder

        • 09/12/2013 em 9:51 pm

          Oi Betina! então, você bate o filme em ISO 50 para entrar mais luz no filme. Se você revelar como 50, o filme não vai revelar toda a luz “extra” que você deixou passar, ou seja, vai ser exatamente igual você ter batido o filme em ISO 400. quanto ao filme, qualquer colorido vai servir :-)

          Responder

        • 09/12/2013 em 9:52 pm

          Betina, vamos lá:

          Filme redscale funciona de forma diferente. Você bate o filme em ISO abaixo do original (seja 25, 50 , 64, whatever) para enganar a câmera e deixar passar mais luz. Como o filme é “invertido”, você tem que deixar passar mais luz para não ficar tão vermelho.

          Desse modo, você não bateu o filme em ISO 50, por exemplo, porque está “puxando” o filme. Você bateu porque queria que ele estourasse. Ou seja, você tem que revelar no ISO nativo, senão na hora da revelação seu filme não vai revelar toda a luz “extra” que você deixou passar. Entendeu? Se você bater como ISO 50 e mandar revelar como 50, vai ser exatamente igual você ter batido o filme em ISO 400 e revelado como 400.

          ;)

          Responder

          • betina
            13/12/2013 em 1:27 pm

            agora deu pra entender, muito obrigada! :)
            entao quanto menos pontos diminuir, mais vermelho vai ficar… interessante. mal posso esperar pra fazer o primeiro filme :)

            Responder

  • Carolina
    29/11/2012 em 6:34 pm

    Uma dúvida: fazendo isso, a revelação é normal ou preciso especificar alguma coisa pro atendente ou procurar um laboratório que revele o filme manualmente?

    Responder

    • 29/11/2012 em 7:50 pm

      Oi Carolina! Revela-se o negativo como qualquer outro negativo colorido. Na hora de digitalizar e/ou de imprimir/ampliar é que tem que explicar isso e pedir pra não corrigirem as cores, nem manualmente nem automaticamente. Alguns lugares vão fazer “ahã…” e vão corrigir assim mesmo. Mas como você tem o negativo, pode depois digitalizar ou imprimir em outro lugar se quiser.

      Responder

    • Diogo G
      29/11/2012 em 7:53 pm

      Oi Carolina,

      Na revelação não tem qualquer problema. Agora se pedir para digitalizar é que tem que especificar que é um filme redscale para não fazerem correcção da cor, assumindo que é um filme normal e a tonalidade avermelhada não está certa.

      Responder

  • 14/11/2012 em 5:18 pm

    Hoje fiz o meu primeiro Red Scale. Faz meia hora, foi fácil com esse tutorial ai. Depois posto os resultados.

    Responder

  • Davi Aquino
    10/08/2012 em 7:12 pm

    Acabei de fazer usando um capuchão. Só to com uma dúvida…
    puxei só umas 12 poses q é pra fazer teste. E coloquei em uma câmera que só tem configuração pra iso 100/200(uma opção só) e iso 400 e o filme é iso 100!!
    Não vou ter como puxar o iso pra baixo, como recomendado ali em cima…
    que faço? fotografo só cenas bem claras ou com flash?

    PS:To aprendendo demais aqui… meus parabéns!!

    Responder

  • 02/08/2012 em 12:15 am

    putz, andré!

    plantaram a dúvida na minha cabeça agora!

    o que aconteceria com meu filme caso aumentasse o iso na câmera? isto, em tese, iluminaria mais, não?

    é que vi o resultado de um redscale feito com um filme asa 100 em uma diana mini [que não regula iso, só exposição] e ficou excelente. agora bem que quero tentar, mas não tenho nem idéia do que pode acontecer além da granulação que apareceria forçando a câmera a um iso mais alto.

    e agora?

    Responder

    • 02/08/2012 em 7:22 am

      Oi Madelaine! Quanto maior o ISO do filme, mais sensível ele é à luz. Logo, quanto mais você aumenta o ISO na câmera, menos luz a câmera deixa entrar pro filme, porque o filme em tese precisa de menos luz…

      Logo, um filme ISO 100 em uma câmera configurada pra ISO 400 (ou uma Diana, cujo ISO recomendado é 400) vai estar sendo subexposto em dois pontos. Por isso fotos com Dianas em ambientes escuros ficam mais escuras do que o esperado :-)) Porém as fotos saem, porque a Latitude desses filmes coloridos e pb têm boas latitudes.

      Se for fotografar com ISO 100 com uma Diana, use flash, ou fotografe sempre em ambientes externos, ok?

      Responder

  • Daniel Vianna
    22/07/2012 em 8:10 pm

    Obrigado por compartilhar a técnica. Fiz com um rolo de 24 poses ISO 200 puxando para 100 na minha Olympus Pen da década de 70. Serão 48 redscale no final da brincadeira. Semana que vem eu termino o filme para revelar.

    Responder

  • Guilherme Mejias
    16/07/2012 em 4:50 pm

    Adorei a técnica, nunca fiz um redscale caseiro, mas com certeza vou tentar esse esquema!
    Lendo a matéria me passou pela cabeça a seguinte ideia, o que acontece se fizer esse processo com um filme PB?
    Alguma ideia do resultado?

    Responder

  • Henrique
    19/06/2012 em 2:08 pm

    Ótima técnica e muito interessante.
    O site esta de parabéns e esta me ajudando muito.

    Responder

  • 13/06/2012 em 9:09 pm

    Facinho, né?! :) Já fiz usando esta técnicas algumas vezes e só recomendo usar uma fita isolante preta (estas de eletricista) para vedar o encontro entre as bobinas… ali nos passo 3.

    Responder

Deixa aí seu comentário!