14comentários

Campanha “Quero Sua Camera Velha”: Veja quem se deu bem ;-)

por em 11/10/2012
 

Por Carolina Ziwian

Já se passaram quantos meses? Sei lá… mais de seis meses desde que lançamos aqui no Queimando Filme a campanha “Quero a câmera que está pegando poeira no fundo seu armário” (ou “Quero Sua Câmera velha”, pra resumir :-).

Não conhece a campanha ainda? Então olha o que já rolou de post sobre isso por aqui:

No começo as pessoas estranharam um pouco, e acharam que eu estava pedindo câmeras pra mim (até hoje tem gente que acha isso! :-D ). Mas ao lerem os textos, vendo os cartazes que alguns designers fizeram pra apoiar a campanha, e se lembrando do que poderia estar nos armários da família, uma galeeeeera começou a participar da campanha, falando com amigos e parentes, postando os cartazes nas redes sociais e até fazendo novos amigos que queriam doar/receber câmeras. Enfim, um sucesso! \o/

Pois bem. Hoje resolvi trazer pra vocês alguns depoimentos de pessoas que conseguiram câmeras desse jeito. Alguns são curtos e expressam apenas a alegria e o orgulho de quem conseguiu uma “nova câmera velha”, outros maiores, com belas histórias compartilhadas, como a do Tadeu Bara (história que merece virar filme!).

Por isso, o post vai ser grande, mas garanto que a leitura vai ser divertida, e vai passar rápido. E aposto que, nos comentários dessa página, logo teremos ainda mais histórias, tornando essa página um enorme caderno de depoimentos com resultados da campanha. Quem bom! Essa era a idéia! ;-)

Vamos aos depoimentos?

Andrea Xavier:
“Eu ganhei uma Zenit 12XP depois que a minha amiga viu o cartaz da campanha. =D”

Beatriz Maria:
“Eu fui numa viagem de ultima hora pro interior, e quando um primo mais velho meu que mora la na cidade viu que eu gostava de fotografia disse que tinha uma Yashica. Eu nem imaginava que logo desse primo iria sair uma camera super amor, mas no fim ele me deu a Yashica de presente ♥” 

Bruna Gomes: Kapsa Pinta Vermelha

Bruna Gomes Afonso:
“Quando vi a campanha facebook saí perguntando na família se alguém tinha uma câmera analógica abandonada pra me dar. Eis que minha madrinha/tia diz que na mudança da minha tia avó, que já faleceu, ela pegou uma câmera e que tava guardada. Pela descrição cheguei até a pensar que era uma Rolleiflex, mas não era hahaha! Alguns meses se passaram e ela trouxe a câmera pra mim. Era uma Kapsa (pinta vermelha) com uma capinha de couro e tudo mais :D

A Kapsa pinta vermelha é uma máquina da década de 50, de fabricação brasileira. Ë linda e daquelas que tem que por na altura da barriga pra conseguir olhar a imagem pela lente. Limpei, comprei filme 120mm na Sete de Abril e estou esperando ansiosamente terminar o filme pra revelar.”

Fabi:
“Desde que começou a campanha, consegui uma Palmat Automatic (da década de 60), uma Tron (dessas compactas) e uma Yashica Me1. Sem contar algumas cameras antigas que tinha lá em casa que ressucitei hehehehe!!!”

Gabriel do Rio: Qual estava atrás do torno? ;-)

Gabriel Do Rio:
Ganhei essas duas do meu tio. Uma estava atrás de um torno mecânico num galpão e outra num armario, adinhe qual é qual? :) ” 

Jocilene Abreu:
“Eu consegui uma Olympus Trip 35! doada por uma vizinha :D fiquei igual criança neh rs e a emoção de ver o fotômetro funcionando?! hahah”

Luty Mota:
“Eu acabei ganhando essa belezura depois de compartilhar uma das imagens da campanha. Nunca imaginei que meu tio tinha uma câmera guardada!”

Tadeu Bara:
“Assim que a campanha começou, compartilhei os cartazes pelo face, e logo de cara consegui 3 câmeras: Uma Olympus Pen, uma  Instamatic e uma Winpro 35 – uma câmerazinha de plástico da década de 50, muito legal mas infelizmente não esta funcionando.

Avô de Tadeu Bara, que conta sua história nesse post.

Depois de alguns dias, meu primo viu o cartaz no meu face e me deixou uma mensagem, dizendo que tinha uma câmera guardada que havia pertencido ao nosso avô. Não me empolguei, mas pedi para ele me mandar uma foto. Ao me mandar a foto descobri que era uma Halina 35x com um flash tipo leque e um timer, coisa linda ! A Halina  é toda manual com uma lente 45mm 1:3.5. Ao chegar na minha mão vi que ela estava novíssima, inclusive com a caixa original. Mandei fazer uma revisão e ficou demais!

Mas tem mais. Ao ver a câmera minha mãe contou que meu avô a comprou quando ela nasceu para registrar os primeiros anos de vida dela. Junto também estava um timer analógico e o manual, onde haviam anotações do meu avô. Ele adorava foto até trabalhou como assistente de um estúdio quando jovem.

Meu avô faleceu quando eu tinha 7 anos, ele não teve tempo de me ver crescer e se apaixonar pela fotografia. Mesmo assim, sem ele imaginar, me deixou a melhor herança possível. Se não fosse pela campanha ela ainda estaria em um porão esquecida em uma caixa…”

Thomas Kodaky: Halina

Thomas Kodaky:
“Eu ganhei 3 cameras na campanha, 2 já foram “reanimadas” e a última tá na fila pra ir pra revisão. Por enquanto, a maior diversão é com a Halina.”

E ai? Curtiu?  Quer contar sua história também? Coloca aí nos comentários! Ou, se achar que ela merece um post, ou quem sabe virar uma superprodução cinematográfica, manda um email pra gente! ;-)

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixa aí seu comentário!