7comentários

Na Sua Bolsa #14: Luciano Queiroz

por em 13/10/2012
 

O “Na Sua Bolsa” de hoje é com um cara que tem uma das profissões mais poéticas do mundo, e que tem o espírito do artesanato, tão importante pra quem gosta de improvisar, experimentar com fotografia de filme, nas veias.

Sabe aquelas pessoas que transformam sua mochila em praticamente um kit de sobrevivência na selva? Pois é, eu sou um deles. Não consigo me convencer a carregar pouca coisa!

Com exceção de alguns raros trabalhos fotográficos em que o cliente vem até mim, minha profissão real é a Luteria, a fabricação artesanal de instrumentos musicais. E talvez por ter sempre à mão dezenas de ferramentas específicas todos os dias não consigo reduzir o que carrego na minha mochila, acho que sempre vou precisar de tudo! E por azar ou capricho do destino, sempre preciso do que não tenho no momento!

Como todo mundo nascido da metade pro final dos anos 70, vivi a era analógica através dos cliques dos meus pais, com câmeras automáticas que faziam tudo sozinhas. 

Porém, quando comecei andar pelas minhas próprias pernas, caí direto na era digital e me desliguei dos filmes por uns 10 anos. Mas a pouco tempo resolvi voltar pros filmes e curtir os cliques com toda a emoção envolvida por essas câmeras, e hoje convivo felizmente com os dois sistemas.

Com exceção de quando saio com a ideia de clicar somente com filmes (ocasiões em que nem levo a mochila e carrego somente minha Canon AE-1 e uma Canonet 28) vai tudo como está na foto!
Canon 5D MarkII mais lentes 24mm f/2.8, 35mm f/2.0, 50mm f/1.4, 85mm f/1.8 e zoom 70-300mm IS. Um flash e difusor porque posso precisar!

Ah, mas aí tem que levar pilhas e carregador também né? E de que adianta o flash sem um disparador via rádio? Viu como vai começando a aumentar a tralha?

Vai também… um estojo com cartões de memória, leitor de cartões, um Clip pra cinta (capture clip sistem) pra carregar a câmera pendurada fora da mochila, caneta LensPen, caneta de retroprojetor (sei lá pra que), lanterna mini Maglite (nunca se sabe né?), filmes sobressalentes, cartões de visita e até um canivete – acredite, você pode precisar de um! Ah, e mais alguns filtros, bombinha de ar, e outros pequenos cacarecos que nem apareceram na foto!

Geeente… até eu fiquei cansado ;-P Valeu Luciano!

 

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • 01/11/2013 em 11:09 am

    Cara, realmente é coisa pra caramba que tú leva, na maioria dos trabalhos levo o corpo mais 3 lentes(fixas), acabo usando só a que esta no corpo. kkk

    O que eu adorei da tua foto e fiquei super curioso em perguntar foi, onde tú comprou essea correia de punho?
    Ela é show de bola, dá um detalhe de analógicas nas digitais, gostei bastante.

    Forte abraço amigão!

    Responder

  • 15/10/2012 em 12:24 am

    Ih, já conhecia de longe (muito longe) esse luthier lá na seção de analógicas do fórum mundo fotográfico..!

    que equipo fino, parabéns, fotografia levada a sério!

    só invejei mesmo a frase ” e hoje convivo felizmente com os dois sistemas”. Depois que consegui minha Canonet QL 17 G III que saiu do cofre do batman de tão nova, estou cada vez mais desinteressado e desmotivado com minha Canon Rebel T3i. Não vejo mais graça, parece que perdeu o grande encanto que tinha com ela.. sem contar que tem que importar as fotos, fazer uma pószinha básica no LR, separar pra impressão… enquanto na analógica combino uma pitada de experimentalismo e irreverência, rebobino e mando revelar/ampliar e fico muito mais satisfeito com os resultados e o processo em si.

    Vamos não quero abandoná-la, preciso rever e me organizar melhor!

    Abraços

    Responder

  • 14/10/2012 em 4:26 pm

    Vc não postou nenhuma foto sua ou link de flickr ou qualquer outra divulgação de trabalho!!

    Responder

  • 14/10/2012 em 9:18 am

    Eden.. essa é a Vanguard UP Rise 46… maior que ela é a 48, mas aí é grande demais e não aumenta o número de repartições dentro.. passei por várias mochilas até chegar nessa e estou bem satisfeito com ela.

    Responder

  • 14/10/2012 em 9:01 am

    Cara, como carregar o equipamento é sempre um problema. Tenho mochila, 2 bolsas de ombro, mala com rodinhas, cinto, e agora, comprei uma alça dupla de ombro. Minha mulher quer me matar sempre que começo a namorar outra bolsa, hehehe
    E o mais estranho é que por mais opções que você tenha, sempre falta espaço pra carregar tudo :)

    Parabéns pela materia com o Luciano. Lutier e violeiro caprichoso e ainda fotógrafo esmerado.

    Abs e boas fotos

    Responder

  • 13/10/2012 em 1:07 pm

    Sou parecido com você também. Todo trabalho profissional acabo levando uma 35mm pra de repente clicar algo de bacana.

    Queria só saber que mochila é essa? Uma Vanguard? Modelo?
    Tô atras de uma bolsa compacta e caiba tudo mais separado como esta. Vi que coube ate a 5D com grip!

    Bacana mesmo!

    Responder

Deixa aí seu comentário!