8comentários

Tudo que você precisa saber pra começar na fotografia de filme

por em 29/10/2012
 

Atenção: aviso e comunico que esse é um post pra quem tem pouca ou nenhuma experiência em fotografia analógica. Se você já é um cara experiente… bom, leia do mesmo jeito, porque a gente sempre pode aprender mais uma ou outra coisinha, né?

Vocês se lembram dos posts da Diana Etaiha, do The D-Photo, que publicamos aqui outro dia, sobre como escolher o filme certo pra cada situação? Pois bem, esse texto aqui também é dela. E ele, como aqueles dos filmes, não tem nada de milagroso ou fantástico. Simplesmente é um excelente resumo de algo. Naqueles ela resumia bem os tipos diferentes de filmes. Nesse aqui ela resume… tudo que você precisa saber pra começar na fotografia de filme! ;-)

Mesmo não sendo inovador, é legal ver um texto onde a autora resume de maneira simples coisas como alcance dinâmico, filmes vencidos, dentre outros temas. Leia e veja se não concorda comigo. Se concordar, aproveite pra mandar esse post praquele amigo que tá louco pra começar a fotografar com filme, mas nunca começa :-D

Fala Diana!

Cada tipo de filme tem suas características próprias: performance, resposta à luz, qualidades e efeitos. É bastante útil experimentar cada filme por algum tempo pra que você se sinta familiar com suas características e, mais tarde, seja capaz de tomar uma decisão consciente sobre quais tipos de filme atendem melhor a você e aos seus gostos. Existem ainda filmes pouco populares por aí que definitivamente merecem ser testados e experimentados devido aos seus resultados especiais.

As emulsões fotográficas tiveram que passar por  consecutivas evoluções (e de certo modo ainda estão passando) até chegarem às versões que conhecemos hoje.

O Que é a Emulsão Fotográfica?

A emulsão é uma camada sensível à luz  que é aplicada em papéis e filmes, e é formada por grãos finos de sais de haleto de prata (suspensas, ou “apioadas”em gelatina) com diferentes tamanhos de cristais que determinam a sensibilidade, o contraste e resolução do filme. Quando a emulsão fotográfica é exposta à luz ela forma uma imagem invisível, da qual pode se extrair mais tarde uma imagem visível através de uma série de processos químicos chamados de revelação.

O tamanho, formato e proximidade (entre si) dos sais de haleto de prata têm relação direta com a granulação e sensibilidade à luz dos filmes. Desde grãos finos (e menos sensíveis à luz) até grãos maiores (mais sensíveis).

Porque Filme?

Apesar da fotografia digital parecer estar ganhando mais e mais espaço, a fotografia com filme continua viva. Ela ainda é usada por consumidores, fotógrafos profissionais e artistas.

Uma das principais razões pra que algumas pessoas (incluindo eu mesma) ainda prefiram a fotografia com filme é o alto alcance dinâmico que ele proporciona.

Alcance dinâmico é a diferença, em termos de luz, entre o valor mais brilhante e o mais escuro que um filme, ou um sensor digital, consegue captar.

[Nota do Tradutor: Procurei por MESES por uma frase tão simples que definisse Alcance Dinâmico… obrigado Diana! \o/ ;-) ]

O olho humano consegue captar até 24 pontos de diferença entre esses dois valores, levando-se em conta a dilatação e contração da pupila como resultado da variação de luz ambiente. Câmeras, porém, fazem apenas exposições instantâneas. Com filme, ou caríssimas câmeras digitais de médio formato, é possível capturar até 12 pontos de diferença. Já com outras câmeras digitais você consegue capturar apenas 5 pontos de diferença, ou menos.

Isso significa que o que fotógrafos digitais batalham pra conseguir (especialmente fotógrafos fãs de HDR) é possível de ser conseguido com filmes sem nenhum esforço

Tipos de Filme – Filme Negativo Colorido:

Negativos coloridos são o tipo mais popular de filme, especialmente no formato 35mm. Praticamente todo mundo, fã de fotografia ou não, já teve em mãos um desses rolos que a gente costumava comprar antes da fotografia digital chegar e tomar conta do mundo.

Negativos coloridos, principalmente em 35mm, são produzidos em grandes quantidades em todas as variações de velocidade modelos. A partir deles você pode imprimir impressões coloridas e até preto e branco em alguns laboratórios, com custos relativamente baixos. Você pode ainda pedir ao laboratório que digitalize suas imagens e as coloque em um CD pra que você possa compartilha-las com amigos e publicar álbuns online.

Tipos de Filme – Negativos Preto e Branco:

Filmes Preto e Branco produzem imagens monocromáticas de suas fotos sem a distração das cores. O problema com esses filmes, porém, é que muitos laboratórios já não os revelam mais já que os químicos necessários pra sua revelação são diferentes dos usados pra revelação de filmes coloridos.

Se você não conhece um laboratório que revele filmes PB pra você, você ainda pode usar alguns tipos específicos de filme monocromático como o Kodak BW400CN ou o Ilford XP2 que podem ser revelados com os mesmos químicos usados pra revelação de filmes coloridos, só que tendo um resultado em preto e branco.

Tipos de Filme – Filme Slide/Cromo Colorido:

O filme colorido slide/cromo é um filme reversível no qual a imagem se forma em positivo (diferente dos negativos), o que permite ver a imagem diretamente no negativo, ou através de projetores. É claro que você também pode conseguir impressões em papel dessas fotos, mas o custo pode ser mais alto.

[Nota do Tradutor: Ela está falando aqui da ampliação tradicional. Se você mandar scanear seus slides e mandar imprimir, sai pelo mesmo preço de negativos. ]


Informações dos Filmes:

Quando você for comprar um rolo de filme, é importante prestar atenção no que a caixa do filme diz. Na caixa você vai encontrar todas as informações importantes que você precisa pra fazer a sua escolha, como velocidade do filme (ISO/ASA), temperatura de cor, data de validade, número de poses, tipo e marca do filme e tamanho do filme.

Em termos gerais, filmes de ISO (ou ASA) 100, oferece a melhor saturação de cores e gradação tonal, assim como grãos finos e pouco ruido. É claro que, quanto mais baixo o ISO, menos sensível à luz o filme será, e portanto mais luz será necessária pra uma exposição correta.

Filmes de ISO alto são mais sensíveis à luz, o que pode ser bem útil em situações de pouca luz, especialmente se a sua câmera oferece uma variedade limitada (ou nenhuma variedade) de velocidades de  obturador. Filmes de ISO alto são também mais caros. Pra fotografia geral, filmes de ISO médio são os mais convenientes.

Data de Vencimento:

A data de vencimento (ou “expiration date”em inglês) é a data até a qual você deve usar seu filme. A data de vencimento. A data de vencimento, que pode ser encontrada na caixa do filme, é gerada com base em condições de armazenamento recomendadas, como manter o filme longe do sol, calor e umidade. Pra extender a vida útil do filme, algumas pessoas guardam os filmes na geladeira.

Com o tempo a sensibilidade do filme à luz tende a diminuir e as cores sofrem um desbotamento. Eu pessoalmente não guardo meus filmes na geladeira,…

[Nota do Tradutor: Eu guardo!!! E recomendo! ;-) ]

…mas os mantenho sempre em um local seco e longe do calor direto. Vale dizer, porém, que filmes vencidos ainda podem ser utilizados, muitas vezes gerando resultados únicos e imprevisíveis!

Número de Poses:

O formato mais conhecido de fotos feitas em filmes de 35mm (filmes 135) é o de 24mm por 36mm, o que permite se tirar de 24 a 36 poses dependendo do tamanho do rolo de filme, sendo que existem ainda rolos menores que entregam 12 fotos nesse formato.

Câmeras de Filme:

Uma câmera é basicamente uma caixa com uma lente na frente através da qual a luz entra, e algum tipo de material sensível à luz na parte interior traseira que é atingido pela luz e que dessa forma registra a exposição. Em câmeras digitais, esse material sensível à luz é o sensor, enquanto em em câmeras de filme a superfície é o filme fotográfico.

As câmeras de filme nos dias de hoje tendem a ser de um desses quatro tipos: câmeras compactas, câmeras reflex de lente única (ou “Single Lens Reflex”, ou “SLR”), Lentes reflex de duas lentes (“Twin Lens Reflex”, ou “TRL”), ou cameras técnicas. Já os filmes tendem a ter um desses três formatos, de acordo com o tamanho das imagens: o 35mm tradicional, o médio formato (dentre eles o conhecido 120) e grande formato.

Fotografar com câmeras de filme é geralmente algo simples e prático, muito similar a fotografar com uma digital. Podem haver algumas pequenas diferenças dependendo do modelo da câmera que você estiver usando, mas a mais óbvia é a necessidade de se determinar o ISO do filme na câmera. Apesar de que algumas câmeras de filme mais modernas são capazes de identificar automaticamente o ISO do filme inserido nela através da leitura do código de barras que existe no rolo. Câmeras antigas costumam possuir  botões seletores através dos quais você consegue determinar o ISO desejado. Isso, é claro, pode ser bastante útil em câmeras com fotômetros embutidos, já que uma vez que você escolher a abertura e a velocidade, a câmera vai poder te avisar de alguma forma se você está expondo corretamente a foto.

Conclusão:

Entrar no mundo da fotografia com filme pode parecer meio confuso a princípio, especialmente quando você segura a câmera em suas mãos pela primeira vez e percebe que muitos dos luxos com os quais nos acostumamos, principalmente em câmeras digitais profissionais, podem não estar ali. Porém, acredite em mim. Se você já fotografa (profissionalmente ou não), não levará mais do que 20 minutos até que você entenda uma SLR analógica inteira.

No final das contas, todas as câmeras servem ao mesmo propósito, e câmeras SLRs analógicas e digitals (DSLRs) funcionam da mesma forma.

Eu particularmente fotografo com digitais desde que comecei nessa profissão, mas uma vez que botei as mãos pela primeira vez em uma SLR analógica velha, barata e empoeirada, nunca mais olhei pra trás.

Você vai precisar se acostumar com a idéia de ter que pagar por rolos de filme e revelações, mas a qualidade e o clima das fotos que você vai fazer não terão preço.

Você pode conseguir uma boa SLR de filme por menos de 20 dólares, jogar nela um rolo de filme “voilá”! Você está pronto! Boas fotos! =)

 

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Bia
    26/12/2015 em 12:30 am

    Belo post! Gostaria de saber sobre os filmes preto e branco: queria saber se além do Kodak BW400CN e do Ilford XP2, existe outros filmes pb que podem ser revelados com as mesmas químicas usados pra revelação de filmes coloridos. O Kodak Tri-x Pan e o Ilford Delta servem tbm? Obrigada

    Responder

  • Danilo
    17/04/2013 em 7:12 pm

    Excelente post, to querendo começar na fotografia analógica já a algum tempo, só namorando umas câmeras no ebay, filmes e tudo mais, e esse site está me ajudando muito nesse processo, obrigado!

    Responder

  • Renato Naves Prado
    08/11/2012 em 2:07 pm

    Tradutor, talvez você tenha encontrado dificuldade na expressão “alcance dinâmico” porque é uma expressão traduzida literalmente. Na verdade, em português os estudos fotográficos usam a nomenclatura “Latitude fílmica”, que é a mesma coisa. Para quem gosta de PB eu aconselho os livros de Ansel Adams.

    Responder

  • 29/10/2012 em 11:01 pm

    Post maravilhoso me esclareceu muitas coisas sobre fotografia analógica. Adorei.

    Responder

  • 29/10/2012 em 5:08 pm

    Ótimo post! Sempre bom ter um texto desse à mão

    Responder

Deixa aí seu comentário!