4comentários

Pedro, Juliana e o “Fotografe”. Um pequeno museu de beldades analógicas…

por em 06/11/2012
 

A foto que vi no Flickr…

Outro dia estava olhando as fotos do Flickr Group Queimando Filme, quando vi algumas lindas fotos digitais de câmeras analógicas (sim, isso pode. Afinal, o tema é fotografia analógica, então um pouco de “camera porn” de analógicas não faz mal a ninguém ;-). Fui fuçar de quem eram, e assim, sem querer, descobri um blog de um projeto bem interessante de dois amantes das analógicas – Pedro e Juliana – que resolveram fazer algo mais do que comprar câmeras novas e vender as antigas (coisa que muitos de nós já fazemos).

Pedro e Ju, no site cameradefilme.blogspot.com.br (ou, simplesmente “Fotografe”, que é o nome do site) fazem incríveis reviews das câmeras que possuem, e as colocam para venda, pra que possam assim arranjar grana pra comprar novas. Daí eles fazem tudo de novo. Fazem review, fotografam exaustivamente as bixinhas, publicam e, quando for a hora, vendem.

Ou seja, o site é um museu virtual de câmeras em construção… que vende suas peças.. Cada nova câmera é um novo post, e – em alguns casos – um novo produto pra ser vendido.

Pra entender melhor como funciona esse museu que também é uma loja, conversei com os dois criadores por email.

Por Pedro Moriyama

Pedro: Pedro Moriyama, arquiteto meio período e 3D man no outro, vou de skate a todos os lugares que posso. Meu trabalho visual é formalista e estético, e com as câmeras não é muito diferente mas nascido e criado no eco do modernismo brasileiro, não consigo pensar sem computar a função.

Juliana: Juliana Tolosa (30 anos), paulistana. Sou professora de biologia e estudante de filosofia da USP. É através do curso de filosofia que consigo aprofundar meus estudos em historia da arte e estética. Atualmente estou interessada em aprender técnicas de revelação de filmes e ampliação de fotos através de cursos de fotografia oferecidos pelo SESC Pompéia.

O que é esse projeto de vocês? Quero dizer… no site explica o projeto em si. Mas, pra vocês, o que ele significa? Porque perder/gastar/investir tempo nisso? Quanto tempo tem o projeto?

Pedro: Gostamos de fotografia. O clima, os tons, as formas, as cores e os degradês, tudo. E, desde a primeira Spotimatic SPII em 2003 até agora, nossa pesquisa foi sempre em busca da melhor ótica, dos comandos mais intuitivos, do viewfinder mais claro e nítido, do grão mais suave (nem sempre né?). E assim, toda semana a gente descobre um modelo novo que encaixa melhor na mão ou que seja discreto.

Outra do site deles…

Juliana: Começamos a idealizar o projeto a 3 meses (julho/agosto de 2012). Primeiramente nosso interesse era pôr em circulação algumas câmeras que havíamos adquirido a mais tempo, que já conhecíamos o seu funcionamento e que acabavam paradas na estante pois sempre tínhamos uma máquina nova para conhecer e usar.

No entanto, não queríamos somente nos desfazer delas, porque gostamos dessas peças. Mas colocá-las em circulação era necessário para que pudéssemos adquirir novos modelos… e dai surgiu a ideia de manter a coleção (no sentido fraco do termo) como um acervo virtual. Decidimos fotografar as peças, escrever sobre o que sabíamos delas e sobre nossas impressões para deixar registrado no nosso acervo.

Vocês já ficaram ricos vendendo as lindas câmeras que tem no site de vocês?

Pedro: O trabalho praticamente se paga. Se você colocar no preço o tempo gasto entre pesquisar e comprar as câmeras, limpá-las, levá-las até o conserto quando necessário e fotografá-las, daí já saímos no prejuízo. Mas se colocar no preço a nossa satisfação em fazer isso o trabalho volta a se pagar.

Juliana: Se alguém pretende ficar rico, não aconselho tentar fazer isso vendendo maquinas fotográficas analógicas. A manutenção muitas vezes é mais cara que os objetos, e quando as adquirimos não sabemos qual seu real estado de conservação até que se coloque um filme para ser queimado nela.

Por Pedro/Juliana

Outro problema é que muitas câmeras são vendidas por leigos, pessoas que não sabem nada sobre o funcionamento das câmeras, que anunciam o produto como “em bom estado de conservação” quando na verdade não estão. Por exemplo, as pessoas raramente verificam se o light seals está em bom estado (e muitas vezes não está!) e, quando isso acontece precisamos ir atrás de novos para trocá-los.

Vocês Photoshopam as câmeras do site de vocês? Porque, meu, elas tão lindas demais! :-D

Pedro/Juliana: Valeu o elogio! As câmeras estão realmente muito bonitas e, onde não estão, fazemos questão de mostrar. A composição do valor de cada câmera vem de um equilíbrio entre disponibilidade/procura do modelo, usabilidade, qualidade da construção, imprevistos (receita federal, conserto), acessórios inclusos e por ultimo mas não menos importante, a condição física e mecânica da câmera. Se ela tem alguns riscos pelo corpo, um amassado na quina e o logo um pouco gasto, é essencial que a pessoa que vai receber-la saiba disso antes de fechar o negócio.

Não vamos ficar ricos com isso então não vale a pena perder os amigos por causa de um amassado e no fim das contas nossas câmeras não são exemplares de coleção, estão todas em pleno uso !

Uma das Trips mais bonitas que já vi…

Vocês só gostam de câmera ou gostam de fotografar também? Se gostam, quais câmeras/filmes usam, que estilos gostam, onde podemos ver as fotos que vocês tiram?

Pedro/Juliana:Fotografamos bastante, em filme 35, 120 e também digital. Na fotografia digital damos preferência a objetivas fixas e mecânicas, pois além da operação descomplicada, as objetivas antigas possuem excelente ótica e muita textura. O kit Nikon FTN mais Nikkor 50mm 1:1.4 é o nosso predileto sem duvida nenhuma, mas para situações onde tamanho e peso entram na conta temos sempre uma rangefinder a mão.

A gente gosta do supéria 400, do portra 400, do txmax 400, velvia 400, ektachrome . Não fizemos muitas experiencias fora disso mas estamos correndo atrás.

Aqui tem um pouco do nosso trabalho relacionado a cidade, e aqui e  aqui um pouco de filme.

E ai? Curtiu? Legal, né? Eu mesmo fiquei babando numa Minolta Hi-Matic 9 que eles têm lá… mas achei que a minha Olympus 35 SP ia ficar com ciúmes :-/

Mas, enfim, a coisa não para por aqui. Depois dessa entrevista continuamos o papo, e combinamos do Pedro e da Ju fazerem reviews pro Queimando Filme. É isso mesmo! Em breve vocês verão reviews exclusivos desses dois aqui no QF! Legal, né?

Enquanto isso, curtam o “Fotografe”, leiam os reviews e, se conseguirem se controlar, tentem não comprar todas as câmeras (deixem alguma pra mim! ;-)

 

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • 13/11/2012 em 3:33 pm

    Amei a dica vou lá correndo pra ver essas belezuras que os dois vendem!

    Responder

  • Matheus
    06/11/2012 em 8:18 pm

    Secando as câmeras do site neste momento.

    Responder

  • Rogerio Martins
    06/11/2012 em 2:22 pm

    Falaê André!

    Legal esse post. Eu também já tive mais de 100 câmeras de filme, entre rangefinders, SLR’s, médio formato, a maioria revisada e em perfeito funcionamento. Mas tive que vender o lote completo a preço de banana uma época que estava apertado… Sabe cumé, duas filhotas pra criar, tava desempregado etc…

    Tem um site bem legal sobre câmeras antigas do Matt Denton. Você já deve conhecer, senão vai aí a dica: mattsclassiccameras.com
    O legal desse site é que ele faz um review bem legal da câmera e, ao se clicar na foto da mesma, aparece um foto tirada com a própria câmera…

    Abraço!

    Responder

    • 14/11/2012 em 3:05 pm

      Fala Rogério,
      Tristeza saber da tua coleção, vendida dessa forma. Temos uma coleção em vista, se ela chegar a nós, teremos uns bons meses de “fartura” no blog. Tomara.
      Quanto Ao Matt Denton, ele é uma grande referência nossa, e pelo volume de coisas que ele tem lá, ele deve viver por isso e a muito tempo. Gostaríamos de construir um esquema onde seria possível ver a capacidade de cada equipamento através das fotos feitas com ela, chegamos lá!
      muito grato pela dica

      abracao

      Responder

Deixa aí seu comentário!