7comentários

Zone focus: fotografando com foco sem precisar focar…

por em 29/11/2012
 

“Estamos em greve” | Foto tirada usando a técnica de zone focus

Em 2012, depois de 6 anos, eu retomei a fotografia analógica e, ao mesmo tempo, resolvi levar (literalmente) para a rua o meu desejo desde pivete: o de fazer fotografia de rua (ou street photography, como preferir). Comecei a fazer street photography, e o maior problema sempre foi o foco.

Mesmo usando equipamento digital, com autofoco, nem sempre ele é confiável e eu tinha um aproveitamento de, sei lá, 60% das fotos que eu tirava. Resolvi buscar referências mais atuais sobre street photography e acabei caindo em um vídeo do DigitalRev onde o apresentador, Kai W., estava fazendo o review de uma Leica M2 e, ao seu lado, Eric Kim com sua Leica M6.

Não sei se vocês também são assim, mas eu sou do tipo que se interessa muito mais pela forma com que aquelas fotosforam feitas do que pelas fotos em si. Ver o vídeo do Eric Kim fotografando as pessoas, na maior cara de pau e interagindo com elas, foi fascinante – mais do que as fotos propriamente tiradas. Só que algo me chamou a atenção: todas as fotos estavam com foco.

Acho que todo mundo que curte entender fotografia acaba estudando outros fotógrafos, em especial Robert Capa e Henri Cartier-Bresson. Relembrando aulas que tive no Senac, lembrei de uma colega de curso que perguntou “como eles conseguiam fotografar com câmeras totalmente manuais e, além disso, as fotos terem foco?”, mas me lembrei mais ainda da resposta do professor “Isso é uma técnica chamada zone focus”.

Pesquisando, acabei caindo em um vídeo do próprio Eric Kim, onde ele explicava como usar essa técnica. O vídeo está aqui abaixo:

Claro, o vídeo explica como utilizar a técnica com uma Leica, porém isso se aplica a qualquer câmera. Isso mesmo, qualquer câmera! – desde que você consiga controlar a abertura dela. ;)

O pulo do gato é o seguinte:

Use ISO alto aliado a lentes angulares (abaixo dos 50mm, ou seja, mais “abertas”, que pegam mais elementos na foto).

Sabe a sua viagem pra praia em que tudo fica lindo e maravilhoso com ISO 100? Pode botar um 400. Sabe aquela 50mm f/1.4 que você custou a achar e comprou? Você não vai usá-la em f/1.4.

“Mas como assim?!” Então… quem viu o vídeo aí de cima deve ter visto ele mostrando uma “escala” sobre a lente e como ela funciona. Pois bem, se você tem uma lente fixa dessas antigas, provavelmente você terá a mesma escala na sua lente.

Tá vendo?

Vejam essa minha Canon FD 50mm f/1.8 (ao lado). Vocês conseguem ver a área que eu destaquei em branco, abaixo do anel de foco (que, na foto, vai de 1m ao infinito)? Não tem uma escala com números repetidos? Pois bem, essa é a sua escala do zone focus, ou zona de foco, ou foco por zona.

Os números repetidos, no caso, são os f-stop. Isso mesmo: ele mede, na própria lente, o que estará em foco. Pegando essa mesma imagem como exemplo, o foco está travado em 3m, correto? Pois bem, se você utilizar essa lente em f/8, significa que tudo que estiver dentro dos números 8 dessa escala estará em foco. Uma imagem para ilustrar:

Se o foco estiver travado em 3m, utilizando essa lente, em f/8 toda a área entre 2,5m e pouco antes de 5m estará em foco. formado mesmo jeito, caso você utilize uma abertura maior (f/16, por exemplo), toda a zona entre os números 16 estará em foco – no caso do exemplo, entre 2m e 10m!

“Tá, entendi essa parte. Mas porque usar ISO alto, então? E por que usar lentes angulares?”

O uso de lentes angulares é por dois motivos: quanto mais angular a lente, maior sua profundidade de campo; e quanto menor sua distância focal, menor sua chance de tremer se for necessário o uso de velocidades mais baixas. Quanto ao ISO, simples: é só para evitar que você acabe utilizando uma velocidade muito baixa e tenha uma foto tremida.

O ideal, na minha preferência, é utilizar velocidades acima de 1/125 – aqui, claro, fica a gosto do cliente. ;)

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Juliano nicoletti
    30/11/2012 em 8:20 am

    Otimo texto. Essa é a famosa distancia hiperfocal, bastante usado tambem para fotos de paisagem. Apenas como exemplo, tenho uma 24mm que em f8 foca tudo desde 1,2m ate o infinito.

    Responder

  • Andrea Xavier
    30/11/2012 em 8:15 am

    Eu sempre olhava estes números na lente e não tinha a menor ideia de que e pra que serviam. Eu que adoro uma fotografia de rua e principalmente fotografar sem parecer que tô fotografando, gostei muito da técnica. Ótimo post. =D

    Responder

  • Fábio de Oliveira
    29/11/2012 em 10:02 pm

    Adorei o post… vivendo e aprendendo!!!!

    Responder

  • 29/11/2012 em 2:54 pm

    Acho que eu nunca tinha reparado que os números se repetiam. Agora tudo ficou claro :D Valeu pela explicação, Bruno!

    Responder

Deixa aí seu comentário!