4comentários

Cada marca com seu mount: Nikon

por em 21/01/2013
 

Mais um post sobre mounts, e dessa vez falaremos um pouco sobre os mounts utilizados pela Nikon. Sim, mounts, no plural, porque apesar da marca utilizar o F-Mount desde o lançamento de sua primeira SLR, a Nikon F, ela já se aventurou com outros mounts. No mais, vamos lá! ;)

Um pouquinho da história da Nikon, antes de começarmos efetivamente…

Fundada em 1917, a Nikon é uma junção de três empresas do ramo óptico, que iniciou sua trilha fabricando objetivas para a então novata Canon e lentes para binóculos, telescópios, lunetas, miras e outros produtos desse ramo. A empresa, após o período da Segunda Guerra Mundial, voltou-se ao mercado consumidor e decidiu adentrar no mundo fotográfico lançando sua primeira câmera, a Nikon I, em 1948. Curiosamente, a Nikon I também era uma rangefinder e, assim como a Hansa Canon, era extremamente similar à Leica II e outras rangefinders alemãs. Só que a Nikon resolveu adotar o mount da Zeiss Contax ao invés da Leica II, igual a Canon fez, o que significa que os usuários de Contax podiam usar suas lentes nas Nikon rangefinder – e vice versa. Só que é aqui que morava o perigo.

nikon_i

A Nikon I, primeira câmera (e rangefinder) da Nikon utilizava sua própria variação do S-Mount

Diversos usuários não entendiam porque suas fotos saiam fora de foco quando utilizavam objetivas Nikkor em suas Contax, ou o contrário, utilizando objetivas da Zeiss Contax em suas Nikon. O que aconteceu, explicado anos depois, foi um dos maiores erros da Nikon – que muitos podem dizer “bem feito” porque erraram por pura preguiça: Até o ano de 1948, a Nikon forneceu objetivas para a Canon e sua Hansa Canon e resolveu adotar a mesma objetiva para si e sua rangefinder. Só que a construção era diferente, sendo desenhada para o padrão Leica, o que alterava a distância entre o plano em que o filme estava e a objetiva, tornando a maioria das imagens fora de foco. Mas isso já é papo pra outro post, né? ;)

nikon_s_mount

Detalhe do S-Mount utilizado pela Nikon.

  • Nikon I
  • Nikon M
  • Nikon S
  • Nikon S2
  • Nikon SP
  • Nikon S3
  • Nikon S4
  • Nikon S3M
  • Nikon S3 2000*
  • Nikon SP Limited Edition*

O nascimento da legacia F

Em 1959, a Nikon apresentaria uma câmera que revolucionaria a indústria de SLRs e definitivamente colocaria a companhia entre uma das melhores do mundo no ramo de fotografia. A Nikon foi, junto com a Pentax, a unica a não abandonar o mount original com o surgimento do autofoco, e apenas adaptá-lo à nova tendência de mercado da época, o que significa que 95% de suas objetivas são utilizáveis em qualquer câmera da marca. Mas existem incompatibilidades e, digamos, elas podem sair bem caras – por exemplo, usar objetivas “A” na sua DSLR pode fritá-la na hora.

nikkor_50_1.4

Nikkor F 50mm f/1.4, da era pré- AI.

As objetivas A são as mais simples, e exigem que o usuário indique qual a abertura mínima e máxima da objetiva para que o fotômetro funcione perfeitamente.  Essas objetivas podem ser convertidas em objetivas “AI” para então serem utilizadas em câmeras mais atuais. Caso elas não sejam convertidas, apenas  modelos de câmeras podem utilizá-las sem causar nenhum dano ao equipamento.

F-Mount “A” – de 1959 até 1977

  • Nikon F
  • Nikkorex
  • Nikkormat F
  • Nikon F2
  • Nikkormat EL
  • Nikon EL2
  • Nikon FM

Uma alteração para a vida

A primeira alteração no F-Mount ocorreu em 1977, quando a Nikon decidiu adotar um chip de comunicação entre a objetiva e o corpo da câmera, transformando suas objetivas em “AI”. Essas novas objetivas seguem os mesmos padrões “A”, porém o chip de contato dispensa o “ritual” que o usuário tinha de indicar a abertura máxima e mínima da objetiva para a câmera para que o fotômetro funcionasse. Essas objetivas podem ser utilizadas em todos os modelos de Nikon lançados até hoje – essas objetivas, porém, não possuem autofoco. Ainda existem duas variáveis no sistema “AI”: “AI-d”, que representa as objetivas “A” modificadas para o sistema “AI”; e “AI-S”, que disponibilizava uma comunicação extra para alguns modelos de SLR funcionarem em modo de prioridade de abertura. Nas câmeras mais atuais, porém o sistema “AI” opera exatamente da mesma maneira que o “AI-S”.

F-Mount “AI” – de 1977 até os dias atuais

  • Nikon FE
  • Nikon EM
  • Nikon F3
  • Nikon FM2
  • Nikon FG
  • Nikon FE2
  • Nikon FG-20
  • Nikon FA
  • Nikon F-301
  • Nikon F-601M**
  • Nikon FM10
  • Nikon FE10
  • Nikon FM3A

O início da era do autofoco

nikkor_afs_vr_105

Nikkor AF-S 105mm VR Micro. No atual mount você tem um lever de abertura (acima, à esquerda) e chips de contato (na parte de baixo) responsáveis pela comunicação entre câmera e objetiva.

Em 1988 foi consolidada a era do autofoco, com todos os fabricantes de câmeras pensando em como transportar seu atual sistema para uma nova era. A grande maioria acabou trocando de sistema, mas duas fabricantes conseguiram manter o seu atual mount e adicionar a finalidade do autofoco: uma delas foi a Nikon; a outra foi a Pentax. Isso ocorreu graças à uma aposta de colocar um motor de foco dentro da câmera, ao contrário da Canon, por exemplo, que lançou um novo sistema com o motor embutido nas lentes. Essa aposta, porém, mostrou ser um problema para a Nikon nos tempos atuais, quando a empresa se viu perdendo seus consumidores para a maior concorrente, Canon, no mercado digital – novamente uma história que fica para outro post.

As objetivas “AF” possuem um outro chip, que possibilita a comunicação da CPU da lente com a câmera, possibilitando o foco automático. Há ainda algumas variações, como o “AF-D”***, que indica objetivas autofoco compatíveis com o sistema DTTL (que faz a fotometria através da distância dos objetos); “AF-I”,  sistema usado para indicar que a objetiva possuía um motor de foco; e “AF-S”, sistema introduzido em 1996 para substituir o sistema “AF-I”, porém com um motor de foco mais silencioso.

Na lista abaixo, com exceção da F3AF, todas as câmeras possuem motor de foco. A F3AF possuía uma gama de objetivas  com sistema “AF-I” e, por isso, conseguia fazer o autofoco. A maioria das objetivas “AF” funcionam nas câmeras já citadas nesse artigo, pois também são “AI”.

F-Mount “AF” – de 1988 até…****

  • Nikon F3AF
  • Nikon F-501
  • Nikon F-401
  • Nikon F4
  • Nikon F-801
  • Nikon F-401S
  • Nikon F-601
  • Nikon F-801S
  • Nikon F-401X
  • Nikonos RS
  • Nikon F90
  • Nikon F50
  • Nikon F70
  • Nikon F90X
  • Nikon F5
  • Nikon F100
  • Nikon F60
  • Nikon F80
  • Nikon F65
  • Nikon F55
  • Nikon F75
  • Nikon F6*****

E sobre o romance de Carnaval com o APS?

Tá, muitos de vocês talvez nem imaginem o que seja APS, mas como aqui é um site de fotografia analógica, cedo ou tarde a gente vai explicar o que é. Mas então, fica aqui apenas: assim como a Canon, a Nikon também teve suas SLR que utilizavam esse filme. Porém, ao contrário da Canon, que adotou o EF-Mount nas suas câmeras de APS, a Nikon resolveu adotar um sistema novo, o IX-Mount. Todavia, as SLR da Nikon que utilizavam filme APS também aceitavam as objetivas de sistema F-Mount. Assim como a Canon, a Nikon lançou apenas duas câmeras desse segmento.

IX-Mount – de 1996 até 1997

  • Nikon Pronea 600i
  • Nikon Pronea S

———————————

Observações:

* A Nikon S3 2000, lançada em 2000, e a Nikon SP Limited Edition, lançada em 2005, são releituras das câmeras originais, e foram lançadas em quantidade limitada apenas em território japonês. Todas as especificações originais das câmeras foram mantidas.
** A Nikon F-601M é uma versão mais barata da Nikon F-601, lançada sem o motor de foco.
*** As objetivas AF-G possuem as mesmas especificações que as objetivas AF-D, com apenas uma diferença: elas não possuem o controle de abertura na lente. As objetivas AF-G são compatíveis apenas com câmeras que possibilitem o controle de abertura através do corpo da câmera.
**** Apenas as câmeras analógicas da Nikon foram citadas.

***** A Nikon F6 é destinada a uso profissional e é a única câmera analógica que a empresa continua a fabricar.

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • 21/09/2014 em 2:16 am

    Tenho uma f801s, tava procurando um modelo melhor, qual vcs indicaria? ou fica com ela mesmo?

    Responder

    • 22/09/2014 em 11:03 am

      Depende. Não adianta muito eu dizer algo do tipo “compra uma F100” ou “compra uma N65” sem saber exatamente quais suas pretensões. Indicar por indicar, fica com a F-801s mesmo. ;)

      Responder

  • 02/07/2013 em 7:25 pm

    Bruno, fala aqui mesmo e agora sobre isso, fala? Que que há? :)

    “Essa aposta, porém, mostrou ser um problema para a Nikon nos tempos atuais, quando a empresa se viu perdendo seus consumidores para a maior concorrente, Canon, no mercado digital.”

    Responder

  • Victor
    24/01/2013 em 1:12 pm

    Pocha, bateu uma saudade da minha Nikkor F 50mm f/1.4. Quero ela de volta hahaha, lente otima!

    Responder

Deixa aí seu comentário!