3comentários

Antanas Sutkus: ele voltou pra contar (mais) história…

por em 01/02/2013
 

Você se lembra do nosso post sobre a fantástica exposição de Antanas Sutkus (que chamei de “o Cartier-Bresson da antiga União Soviética”) que publicamos a quase um ano atrás? Pois bem, o cara está de volta.

d4c7fcd5aad754afcfaa4ecb1581357dAliás, pra falar a verdade, ele nunca foi embora. Nesses quase doze meses a exposição dele vêm rodando o Brasil e, graças ao querido e amado Google, os organizadores dela (que eu não consegua descobrir nem a pau quem eram) descobriram aquele post aqui no QF e me escreveram pra dar noticias atualizadas. Vamos a elas! Com a palavra, Maria Vragova (sim, ela não é Brasileira… é russa), da Ars et Vita, organizadora da exposição

“Obrigada a todos pelos comentários, fico muito feliz se saber que a obra do Antanas é amada e apreciada no Brasil. A itinerância nacional continua pelo país, recebendo ótimos elogios do público, críticos e imprensa.

Neste momento (janeiro de 2013) a exposição está no Espaço Cultural Correios em Fortaleza e fica em cartaz até dia 09 de fevereiro. Depois, seguirá para São Paulo (Caixa Cultural) de dia 03/03 até 14/04, depois virá para Brasília (Caixa Cultural) de 14/05 até 30/06. Um pouco mais pra frente terei mais informações sobre as outras cidades em 2013.””

Aproveitei pra perguntar mais sobre quem é esse cara, o Antanas. Como ele é pessoalmente.

“Logo que viemos (a Ars et Vita) para Brasil, queríamos mostrar a obra dele aqui, ainda tão desconhecida. Ele é uma pessoa incrível, super inteligente, culta, amável. O Antanas veio para a abertura da exposição em Curitiba e depois mais uma vez, em setembro, para a abertura da exposição que fez parte do Festival Artes Vertentes em Tiradentes e para Belo Horizonte e Salvador e ficou aqui três semanas.

O Antanas não fotografa mais, só para registro dele pessoal, mas não profissionalmente, durante últimos vinte anos ele trabalha no arquivo dele que consta mais do que um milhão de negativos. Em todas as cidades a exposição é um grande sucesso, e em Belo Hotrizonte até foi considerada a melhor exposição da cidade pela Revista Veja BH. Depois da Fortaleza, aonde a exposição está em cartaz até dia 09 de fevereiro, ela virá para São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro e provavelmente, Recife.”

10dcf37fd159fb747a3359e3e7369ef5Perguntei ainda sobre o catálogo maravilhoso (lotado de fotos, recheado de entrevistas e com a qualidade gráfica de um livro da Taschen) que tive a sorte de comprar em Curitiba.

Em cada cidade (menos BH) estamos fazendo um catálogo, e além do catálogo da exposição está disponível para a venda o livro que foi lançado no Festival Artes Vertentes, “A Nostalgia dos tempos da pureza” com as fotografias do Antanas e poesias de 6 poetas que escreveram especialmente para este livro, inclusive o Evgeny Evtushenko, o poeta russo que foi nomeado para Prêmio Nobel em Literatura.”

Bom, não sei vocês, mas eu estou contando as horas pra exposição chegar em SP pra vê-la de novo. E, quem sabe, comprar um novo catálogo… :-)

E, repito. Se você ainda não viu as fotos do cara, e não entendeu o quão foda ele é (com o perdão do palavrão), não deixe de ler esse post aqui. E, abaixo, uma matéria do Correio, de Salvador, sobre ele.

Matéria CORREIO - Antanas Sutkus Um Olhar Livre

 

 

 

 

 

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Juliana Lautenschlager
    24/04/2014 em 11:05 pm

    André, tive o prazer de, assim como você, ver a exposição dele sem nunca ter ouvido falar de Antanas.
    A exposição “Nostalgia dos tempos de pureza” está agora no SESI de Botucatu, uma cidade do interior de São Paulo. Nasci em Botucatu e agora estou morando fora.Fui visitar Botucatu e o SESI por outros motivos, quando me deparei com essas fotografias maravilhosas! Também fiquei de queixo caído, apaixonada pelas imagens. Foi aí que cheguei até seu blog. Querendo saber mais sobre o fotógrafo pesquisei no google e te achei por aqui. Obrigada pelo registro, principalmente dos textos que eu amei ler!
    Um abraço.

    Responder

  • 27/07/2013 em 9:12 pm

    Oi, André!
    Que bacana saber que gostou também das fotos do Antanas.
    Estive na exposição em São Paulo (no último dia!), fui meio sem querer e fiquei super impressionada com as imagens.
    Não sabia que estavam vendendo o catálogo da exposição…=/
    Estou na busca para comprar o livro agora! =)
    Beijos!
    Camila

    Responder

  • ARI
    02/02/2013 em 11:23 pm

    Tenho 36 anos e atuo como fotógrafo desde os 12… Eu nunca vi nada igual até agora.
    Simples, requintada e humana…. Ele brinca com a infância e com a velhice com a mesma beleza! Incrível. Chorei toda a exposição. Visitei aqui em Salvador três vezes!
    Obrigado Caixa Cultural e produtores pelo presente!

    Responder

Deixa aí seu comentário!