8comentários

Filmes pra se conhecer: Adox Color Implosion

por em 28/02/2013
 

Depois de ver a Kodak cair, muita gente se perguntou que rumo levaria o mercado de filmes, apesar de parecer um futuro inseguro, pequenas empresas vem mostrando que estão aqui para perseverar, e elas surgem inovando e oferencendo diferentes opções para quem ama os rolinhos de cheiro engraçado.

Nesta leva está a empresa alemã ADOX, que fabrica filmes, papel fotográfico e químicos para revelação, e que apesar de já estar no mercado desde 1860 com produtos mais “sérios”, decidiu introduzir algo completamente diferente, atual e até um tanto descompromissado: Color Implosion, o negativo 35mm de cores distintas e resultados inesperados. color_implosion copy

Espera, um filme instável? Como os da Impossible Project? Tô Fora!

Calma! Não é nada tão trágico como as primeiras tentativas da Impossible, afinal, eles começaram do zero! O Color Implosion é sim um filme um tanto quanto imprevisível, mas é garantido que funciona, existirão apenas variações que podem ser tomadas como aventuras radicais e novas experimentações para você, caro amante do analógico.

O filme tem a seguinte proposta: apresentar cores e tons que se assimilam à fotos tiradas durante os anos 70, sabe aquele tom amarelado e/ou cores meio pastéis? Então. E mais, ao escolher fotografar em diferentes ISOs, o contraste e outras características vão variar mais ainda, você pode escolher qual te agrada mais:

ISO 400, suas fotos ficarão com cores apagadas, contraste mais fraco, de tons mais puxados para o azul e muitos grãos (ou “Toxic Grain“, como a própria empresa nomeia).

page81-1044-full

ISO 200, desta vez é o vermelho que perde a timidez, onde se destaca entre as cores verde e azul. Os grãos ficam avermelhados também!

page81-1016-full

ISO 100, por fim, as cores de suas fotos apresentarão uma atmosfera “surreal” e bem retrô-verão-de-maiô-cavado, ou algo assim… O “Toxic rain” se torna mais amarelado e não tão consistente. (Acho que prefiro esta variação, e vocês?)

page81-1040-full

A empresa ainda afirma que ao tirar fotos e conhecer melhor o filme, seus resultados podem se tornar previsíveis (deixando então, a pose de instável da qual todo mundo parece temer), mas o que deixa a coisa toda mais inconstante (e divertida) é na hora de mandar revelar, pois cada lab/scanner possui uma configuração diferente e isto irrecusavelmente vai criar distinções únicas em cada filme. Eles aconselham ainda você escanear seus negativos (!), pois assim você mesmo pode ter controle das correções de cor e não submeter as fotos à uma edição que vá destoar as características do filme/exposição/ISO.

Há muito se dizendo sobre o filme. Dizem ser um filme originalmente de ISO 800, por isso as variações, outros presumem se tratar de algum filme já fora de catálogo sendo vendido como novidade, mas nada disso realmente importa se você levar em consideração a real intenção da empresa ao disponibilizá-lo. Quotando um dos representantes da ADOX,É um filme divertido, não é para fotografia séria e não será necessariamente fabricado para sempre.

blocks_image_12_1O filme não está à venda no Brasil (pelo menos ainda), encontra-se em lojas online e físicas de alguns países, inclusive no site da Freestyle (mas está esgotado por hora) por um preço bem bacana!

Aos conservadores, eu aconselho procurar uma pontinha de seu “espírito lomo” e apenas se divertir, sem pretenções ou altas expectativas. ;-)

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Luiz
    13/10/2014 em 9:36 pm

    Fiquei na duvida, essas variações acontecem quando o filme é puxado na revelação ou só na maquina e revelado normal?

    Responder

  • 07/09/2014 em 1:11 am

    Eu usei em uma viagem e adorei o resultado. Achei ele sem querer ano passado em Berlim e só usei agora. Se quiserem ver o resultado http://cargocollective.com/135mm/Gwangjang-Market-II-Seoul

    Responder

  • Tiago
    04/03/2013 em 4:53 pm

    É engraçada essa história de “apresentar cores e tons que se assimilam à fotos tiradas durante os anos 70”, porque as fotografias dos anos 70 (ou 60 ou 80…) não tinham tons diferentes dos de hoje. O que acontece é que geralmente vemos fotos que sofreram desgastes com a ação do tempo, e não que foram feitas com filmes que não reproduziam bem as cores :)
    Eu já vi uma matéria, em um blog, com scans de fotos coloridas antigas (feitos a partir dos negativos, provavelmente) que estavam com as cores perfeitas. Nos comentários, todo mundo queria saber qual era a câmera que o fotógrafo tinha usado, hahaha…

    Responder

    • 04/03/2013 em 5:02 pm

      É deste desgaste do tempo e manuseio que as pessoas se referem mesmo, Tiago. Fotos tiradas durante os anos 70, mas vistas hoje em dia, em condições diferentes da época, amareladas e desbotadas. Não é à toa que existem tantos serviços de restauração de fotografias por aí, porém, para alguns, ao invés da foto com cores restauradas, o que agrada é justamente as fotos do jeito que estão, transmitindo uma narrativa ou simbologia diferente. :)

      Responder

      • Tiago
        07/03/2013 em 5:09 pm

        Sim, sim :)
        Mas eu me referi às pessoas que acham que antigamente as fotos eram malfeitas (e tem muitas). Por isso falei que é engraçado.

        Responder

  • Bianchi
    02/03/2013 em 1:58 am

    To louco para experimentá-lo, esse estilo anos 70 sem nenhum appzinho para simula-lo, é muito atrativo!Você já usou Larice?

    Responder

    • 02/03/2013 em 7:53 pm

      Ainda não usei também, Bianchi! E como você, louca para experimentar! Estou de olho no site da Freestyle, vou abocanhar uns 3 assim que estiver em estoque novamente. :)

      Responder

Deixa aí seu comentário!