18comentários

Canon A1: Preta. Sempre Preta.

por em 17/04/2013
 

Bonita, robusta, reta, bem equipada, precisa, moderna, com exposição automática até 30 segundos e preta, feita somente preta. A A-1 não foi feita para amadores apesar de ter um modo completamente automático. As câmeras pretas eram procuradas por profissionais, já que as versões em cromo são pouco discretas e a A-1 é preta, sempre preta.

Eu tenho uma certa queda por Pentax. As SP 500 e SP 1000 são charmosas demais e essenciais (além de usar lentes de baioneta/mount M42), e a K1000 a evolução natural neste processo. A ótica Nikon é indispensável e, até onde eu sabia, no filme ela era a soberana com o sistema F,  o mais versátil de todos os tempos. Eu uso Canon para fazer videos e o sistema EOS chegou uns 20 anos antes do projeto similar nas objetivas Nikon, mas foco manual analógico era Nikon.

Até eu conhecer a A-1.

Análoga as FE, OM-2 e Pentax ES e KX, a A-1 dá um banho em tecnologia e modernidade em um projeto contemporâneo que iria definir o setting das câmeras SLR eletrônicas que vieram depois dela. É só olhar os modos de disparo da A-1 e comparar com uma 5D mark ll, os modos Av e Tv equipam ambas e funcionam em prioridade a abertura e prioridade a velocidade, respectivamente.

A A-1 é pra quem gosta de eletrônicos e além dos modos automáticos de exposição e abertura, a A-1 ainda conta com self timer programável para dois ou dez segundos e exibe ainda a função dupla exposição, acionada por alavanca conectada ao avanço do filme.

Também é equipada com modo completamente manual que funciona em sistema de sobreposição, usando a câmera em Tv e deixando a objetiva fora do A. Possui botão liga-desliga do fotômetro, que indica a fotometria correta via leds vermelhos na barra inferior do finder, padrão usado desde então por quase todas as marcas. Funciona totalmente a pilhas  6v (LR44), facilmente encontradas em lojas especializadas.

Para os fotógrafos de paisagem e longa exposição, a A-1 conta com cortina que fecha a janela do Finder, evitando a entrada de luz pelo sistema de visualização e é capaz de calcular até 30 segundos de obturação, automaticamente. A A-1 era equipada com objetivas standart (50mm), com aberturas máximas entre 1:1.4 e 1:1.8 e é considerada por muitos, mais confiável que as F-1, muito sujeita a panes elétricas e mecânicas, além da complexa mecânica.

A A-1 é um projeto clássico do final dos 70, início dos 80 e representa (em minha humilde opinião) os tempos áureos da fotografia analógica SLR amadora (OM, FM, A-1, K1000, KX, FA, AE-1 x-700, ES), com projetos de muita qualidade e respeito ao fotógrafo, com sistemas minimalistas e precisos,  e muito bem construídos.

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • 26/02/2014 em 12:43 pm

    Estou tendo problemas com a minha Canon A1. Além da missão (quase) impossível de encontrar as baterias para usa-la, as pilhas que usei não estão durando nem um rolo de filme inteiro! Desligo a camera e deixo em modo L (locked) e mesmo assim minhas baterias não duram nada! Deixei uma novinha na câmera para teste, e sem nem usar a câmera a bateria tinha acabado em 2 dias. O que fazer?

    Responder

    • 26/02/2014 em 2:24 pm

      Olá! A bateria da A-1 é relativamente fácil de encontrar, já que ainda existem fabricantes que a fazem. Aqui em SP é tranquilo de achar sob o nome de 4LR44, sai de 13 a 20 reais, dependendo do lugar em que voce compra.
      Este problema com as baterias é crônico deste modelo, e também da AE-1, e como os flat cables dela ressecam, são raros os técnicos que aceitam abri-la. Essa A-1 do post estava com o carretel de avanço do filme trincado, mas funcionando perfeitamente, e como iria pra venda, resolvi fazer a troca do carretel por um novo. Após muita insistência com meu técnico ele aceitou fazer a troca, a um valor super alto. Depois de realizada a troca a camera parou de dar sinal elétrico, culpa de um desses flat cables ressecados.
      Envia tua camera para teu técnico, veja se ele aceita fazer a manutenção, se precisar de alguma ajuda nesse processo escreve no cameradefilme@yahoo.com e a gente vê como fazer

      abração

      Pedro

      Responder

  • jz
    08/08/2013 em 6:53 am

    essa câmera é irada mesmo. conversando com um tec ele me mostrou o funcionamento e fiquei impressionado com a precisão dela. disponho de uma OM-4 que é bem parecida. toda negra.

    Responder

  • Luis Marcelo
    18/04/2013 em 12:25 am

    Ah, esqueci de falar que quando usei essa câmera pela primeira vez e vi aquele quadradinho na parte de trás dela, juro que pensei “Dá pra ver a foto aqui?” Sério, era uma câmera tão incrível que na minha inocência achei que era possível! Mal sabia eu que teria que esperar ainda uns 15 anos pra ver essa tecnologia se tornar realidade. Muitas lembranças com essa câmera!

    Responder

  • Luis Marcelo
    18/04/2013 em 12:18 am

    Meu pai usava uma Olympus OM-1 e comprou uma Canon A-1. Mas achou um pouco complicada. Um dia pedi emprestado uma câmera para levar num passeio da escola, achei que ele iria me emprestar uma Trip 35, mas ele resolveu me pregar uma peça e me emprestou a A-1, junto com o manual, pra ver se eu me virava com ela. Li o manual, descobri o automático e fiz as fotos, revelei e mostrei para ele. Como ele achou que eu consegui usar a A-1 direitinho, me deu a câmera. Tenho ela até hoje, e depois que ele se foi fiquei com a OM-1 também. Mas foi com a A-1 que aprendi a fotografar. Essa fica comigo pro resto da vida.
    http://www.flickr.com/photos/lmzan/6347567407/in/photostream

    Responder

  • 17/04/2013 em 10:55 pm

    Um dos mais técnicos e amorosos artigos sobre cameras de filme. Parabéns. Concordo com cada modelo comparado OM, FM, A-1, K1000, KX, FA, AE-1 x-700, ES. Tenho grande parte delas em pleno uso e fico meio bolado quando vejo cameras tão otimas em desuso.

    Responder

    • 18/04/2013 em 12:47 am

      Valeu o elogio! A gente anda numa campanha pra mantê-las em uso por aqui, são máquinas com muita qualidade que eram o sonho da maioria dos fotógrafos dos 80e hoje são encontradas a preços módicos. Hoje a gente tem acesso a muita qualidade sem precisar pagar muito, bora aproveitar.

      Responder

  • 17/04/2013 em 9:46 pm

    Acabei de publicar sobre a AT-1 que comprei. Tô apaixonada.
    Acho que essa linha da Canon é coisalindadedeus.

    Mas devo confessar que acho o case prata mais charmoso… Hahaha.

    Responder

  • 17/04/2013 em 10:20 am

    meu xodó!
    amo essa camera!

    Responder

Deixa aí seu comentário!