2comentários

Semana Pinhole: E quando nada dá certo?

por em 23/04/2013
 

O post de hoje é sobre pinhole. Dãã!!! Tá no título, né? E já falamos do assunto aqui, aqui e tem uma publicação legal aqui. Pra quem ainda não sabe, eu sou apaixonada por pinhole. Tanto é verdade que está até na minha bio aqui no site e já falei disto no meu primeiro post. =D O que a maior parte das pessoas não sabe é que, mesmo sendo apaixonada por esta técnica, eu não consigo resultados satisfatórios.

Pô Dea, mas vc veio aqui reclamar que suas fotos não saem bunitinhas?! Ao contrário, meus caros amigos, ao contrário! O charme de se fazer pinhole é nunca estar satisfeito com os resultados…

A primeira pinhole de filme que eu fiz foi em 2005, usando a minha inseparável Pentax Spotmatic F e usei um filme P&B. Tava na faculdade e empolgada em ter um lab à disposição. Resultado? Nenhum que meus professores considerassem como foto de qualidade.

Daí deixei a câmera de lado e só resolvi voltar a fotografar no ano passado. E qual foi a primeira ideia? Fazer pinhole! Preparei de novo a minha querida câmera, coloquei um Kodak Ultra ISO400 e saí toda feliz pra fotografar.

 

E aí eu resolvi me arriscar construindo a minha câmera. Usei o modelinho que Queimando Filme disponibilizou link e lá fui eu montar a minha. Como nunca tinha feito nada deste tipo, não isolei bem. É sério! Em todos os tutoriais tem alertas pra vedar bem a caixinha e eu ignorei. Acabou num conjunto de ligth leaks. Eu gostei, embora não fosse o que eu queria.

Pinhole é uma técnica divertida e excelente pra aprender e entender o funcionamento da luz e dos filmes e é ainda melhor se gostar de construir coisas.

Tá, mas o que eu quero com tudo isto? Nada! Só tentar fazer você não desistir. Vai sem medo, tente, erre, divirta-se!

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Claudia
    23/04/2013 em 4:43 pm

    Andrea, sou como vc, uma “batalhadora das pinholes”! Já fiz com camera, com caixinha, com caixona, com papel, com lata… mas nao desisto. Eu, particularmente, gosto do resultado da maioria das fotos. Mas meus amigos acham beeeeem esquisito, pq muitas saem pouco “focadas” ou em “angulos estranhos” (“o q vc queria mostrar aqui???”). O melhor resultado q ue ja obtive ate hoje foi com lata e papel, ficaram sensacionais (na minha opinião..rsrs). Bom pinhole day para vc!

    Responder

    • 23/04/2013 em 6:23 pm

      Somos guerreiras! Hehe! Eu tive bons resultados usando lata e papel fotográfico, mas desisti porque não tinha como ficar revelando fora do lab da faculdade.
      Até por isto hoje batalho com pinhole de filme, mais fácil de revelar. Continue firme! O melhor do pinhole é o processo! =D

      Responder

Deixa aí seu comentário!