21comentários

Você não é feito de açúcar – sua câmera muito menos…

por em 09/05/2013
 

“Na chuva” por Bruno Massao / Canon EOS 5 + Fuji Superia 400

Ok, vou começar o post pelo final e explicar porque essa é a minha opinião: vocês deveriam fotografar mais debaixo de chuva.

“Porra, mas não destrói meu equipamento?”

A resposta para essa questão é simples: sim e não. Explico.

Obviamente que sua câmera não é à prova d’água (a não ser que seja). Mas isso não significa que ela vá morrer assim que tomar algumas gotas de chuva – ou um banho repentino. Isso vale para o seu equipamento digital mas, principalmente, para seu equipamento analógico.

Todo mundo sabe que um equipamento analógico é mais resistente que boa parte das câmeras digitais disponíveis no mercado (a menos que você tenha uma Canon EOS 7D, porque ela é indestrutível) e, justamente por isso, essas câmeras aguentam o tranco. E não falo apenas sobre aguentar condições climáticas adversas: eu falo sobre, literalmente, aguentar quedas, areia, vento, água, maresia, etc.

Pense assim: sua câmera digital, DSLR ou não, é um soldado novato, cheio de aparatos tecnológicos, pisando em território inimigo pela primeira vez; já sua câmera de filme é um veterano louco durante o dia D, saltando de paraquedas em território inimigo armado apenas com uma M1 Garand e gritando “BRING IT, BITCHES.” Acredite, as chances do veterano louco se dar melhor são bem maiores do que o soldado novato.

Por Bruno Massao / Canon AE-1 + Lomography Xprochrome 100

Por Bruno Massao / Canon AE-1 + Lomography Xprochrome 100

Eu nunca fui de ter dó de equipamento. Todas as minhas câmeras – com exceção da Rebel T3, que só viu uma garoa fina até hoje – já enfrentaram coisas adversas, desde chutes em um moshpit (Canon EOS A2E) até temporal com alagamento (Canon EOS Rebel XTi), passando por quedas (Canon EOS 5), banhos de cerveja (Lomography Fisheye #2) e lambidas de cachorro (Canonet QL17). E não é porque eu sou descuidado, não. Eu simplesmente acredito que equipamento foi feito para ser usado, abusado e, de certa forma, destruído. Não destruído de simplesmente destruir, não, mas sim destruir de ser usado, destrinchado. Tipo All Star velho e surrado, ou Nike Dunk cheio de silver tape.

E desde que eu comecei a praticar street photography, o clima de São Paulo sempre foi um empecilho…

…até o dia em que eu liguei o foda-se.

Sério. Se eu nunca tinha tido dó do meu equipamento digital, porque eu estava “me impedindo” de fotografar durante uma chuva? Pior ainda: se eu não tinha dó do equipamento digital, não faria sentido algum eu ter dó do meu equipamento analógico para os mesmos fins. Então eu decidi que não seria uma chuva que me impediria de fotografar determinadas cenas do cotidiano paulistano. 

Sendo assim, o ponto mais importante é que você tem que ter consciência de que seu equipamento pode não aguentar o tranco e sofrer avaria. Eu tenho essa consciência e também sei que não são todas as pessoas que têm a coragem – tampouco a vontade 0 de fotografar debaixo de chuva. Só que, na minha opinião pessoal, o resultado pode te surpreenderAssim sendo, com todas as letras, eu digo: vai fundo, pois vale o risco.

Você não é feito de açúcar, sua câmera tão pouco. Vista um agasalho, uma capa de chuva ou mesmo um guarda-chuva e vá se aventurar em terras molhadas. Depois de se aventurar, seque a câmera com cuidado, usando um pano macio e deixe a câmera em um local seco e arejado para dissipar totalmente a umidade. Pronto, você vai ver que sua câmera tá pronta pra outra!

Abaixo tem uma galeria de fotos minhas, feitas na chuva. Tem a descrição do equipamento usado nelas. Espero que vocês se inspirem e saiam para fotografar mais. ;)

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Jenifer
    31/03/2014 em 10:01 am

    Lindas fotos! =]

    Responder

  • 24/12/2013 em 12:31 pm

    vou pra Minas, estrada real, no ano novo. previsão para primeira semana de janeiro: CHUVA. O jeito é se equipar com capa e guarda-chuva e sair fotografando. Noo fim do dia a gente seca a câmera e toma uma cachaça, artigo abundante nas terras mineiras, pra não resfriar.

    Responder

  • Ricardo
    25/07/2013 em 8:40 pm

    Fico receoso com a minha digital, mas na minha Leica M6, arregaço mesmo na chuva. Depois passo um pano seco e tá nova! :)

    Responder

  • Lonez
    07/06/2013 em 3:57 pm

    Cara, hoje de manhã eu pensei: e que tal gastar um filme tirando fotos na chuva?
    Daí eu lembrei que vi uma postagem aqui no site com o titulo: “Você não é feito de açúcar – sua câmera muito menos…”
    Cheguei em casa do trampo, vim correndo ler pra ver se eu podia mesmo fazer isso, e pã! QUERO CHUVA!

    Responder

    • Lonez
      22/06/2013 em 5:31 pm

      Varias fotos tiradas na chuva! Estamos MUITO ansiosos pra ver as fotos ampliadas!
      Molhamos a Diana e a Holga! Foi bem divertido esse momento em família (minha esposa e eu) “brincando” na chuva. :)

      Responder

      • 26/06/2013 em 2:59 pm

        Boa! Compartilha com a gente depois! :D

        Responder

        • Lonez
          27/06/2013 em 5:29 pm

          Infelizmente o resultado nos negativos não parecem bons… afinal estamos só começando no mundo analógico.
          Outra que o lab onde pedimos pra revelar não presta, então eles nem sabem digitalizar direito… enfim…

          As fotos tiradas com a Holga 120 (filme 135 Kodak 400) ficaram claras demais pelo que percebe-se no negativo.

          Mas vamos fazer mais testes, também quero comprar um scanner pra digitalizar em casa! Assim que der eu compartilho as fotos sim! :D

          Responder

  • 30/05/2013 em 9:31 pm

    O texto me fez lembrar de uma chuva que tomei e tive que secar minha K-1000 com secador de cabelo. E ela ainda está viva!

    Responder

  • Agatha
    09/05/2013 em 5:36 pm

    Oi Bruno… Ótimo post! Uma vez cheguei em Paranapiacaba para fotografar, e alem da neblina, estava garoando muito (e o dia inteiro)… No começo fiquei com receio de fotografar, mas depois resolvi arriscar e deu certo, sem prejuízos ^^. Agora quando resolvo fotografar e começa a chover forte, uso um guarda-chuva pra proteger. Mas bom saber que não estraga (tanto) o equipamento.

    Responder

  • Thiago
    09/05/2013 em 4:08 pm

    Num assunto semelhante, olha aqui o depoimento de um fotógrafo onde levaram suas câmeras e lentes pra fotografar as famosas “Corrida das Cores”. Nada legal…
    http://petapixel.com/2013/05/08/photographing-a-color-run-will-destroy-your-camera-gear-dont-do-it/

    E o legal é que nos comentários o pessoal fala que devido a robustez, ou por serem mais baratas, levariam câmeras de filme! rs

    Responder

    • 12/05/2013 em 1:23 pm

      Opa, Thiago!

      Nós estávamos comentando sobre esse lance da Color Run no QG secreto dos colaboradores do Queimando Filme. E, olha, confesso que eu já imaginava esse tipo de coisa rolando nesses festivais com pó hiper-colorido (tipo o HOLI, que vai rolar em SP em setembro).

      Minha sugestão, de verdade, é usar o equipamento mais barato possível, ou proteger seu equipamento usando uma caixa de estanque. Ou usa uma tele e fotografa de longe. A grande diferença é que água evapora, e esse pó não.

      Em tempo: no PetaPixel mesmo foi postado o vídeo de um outro fotógrafo que cobriu a Color Run também, usando uma Nikon (analógica) com um rolo de Kodak Ektachrome E100S. Dá uma olhada aqui: http://petapixel.com/2013/04/28/shooting-an-uber-colorful-5k-on-35mm-slide-film-from-the-pov-of-the-camera

      Responder

  • Thiago
    09/05/2013 em 9:58 am

    “BRING IT, BITCHES.” – demais! rs

    Responder

  • Vanclécio
    09/05/2013 em 9:21 am

    Que artigo legal, Bruno!

    Começaram as chuvas em minha cidade, daí que teve um fim de semana recentemente que eu estava num parque lindo, com muitas árvores, e começou a chover forte, um verdadeiro aguaceiro, eu estava de guarda-chuva mas fiquei com receio de usar a câmera. Hoje mesmo também não tirei uma foto por causa da chuva. De agora em diante, foda-se ligado! :D

    Ah e as fotos ficaram lindas.

    Responder

  • Vanclécio
    09/05/2013 em 9:16 am

    Que legal esse artigo, Bruno!

    Começaram as chuvas aqui em minha cidade, daí teve um fim de semana que eu estava num parque lindo, com muitas árvores, e desabou o maior toró, ficou um clima surreal no parque. Resultado: não tirei nenhuma foto. De agora em diante, foda-se ligado! :D

    Ah e as fotos ficaram muito legais!

    Responder

Deixa aí seu comentário!