7comentários

Polaroid ao extremo #1: recuperando negativos de fotos…

 

Há alguns dias estava fotografando com uma Polaroid One Step carregada com um problemático Impossible PX600 Silver Shade e, por falta de atenção, fiz uma foto superexposta… muito superexposta. Saiu branca, com apenas alguns detalhes no canto.

Chateado com o erro (afinal, fotos Impossible custam caro!), Gabriel e eu resolvemos abrir a foto para analisar suas entranhas e recuperar o negativo que fica dentro dela.

“Mas… negativo em uma foto Polaroid?”

Sim! Por trás da transparência há um dark slide, que é aquele fundo preto e fosco no verso. Nele fica registrado um negativo da sua foto, coberto por uma pasta de químicos reveladores e a transparência com a foto positiva na frente.

Como todo negativo, ele tem um pouco mais de latitude e retém informações que foram perdidas na exposição incorreta. Mas, nem tudo são flores. Este dark slide é de baixa resolução, ainda mais quando forçado com uma exposição acima do ideal… então nada de sair abrindo fotos boas para pegar os negativos!

O primeiro erro eu não imaginei que ia virar post, então não cheguei a fotografar, mas sacrifiquei uma segunda foto para ilustrar o processo para vocês leitores.

Impossible PX600 Silver Shade

Eu começo abrindo pelo verso da foto, as laterais são presas com um adesivo metálico que removi com as unhas, depois de levantar a ponta usando uma faca.

Verso Impossible PX600 Silver Shade Moldura Impossible PX600 Silver Shade

Uma vez removida a moldura, temos acesso para remover o reservatório de químicos (eles ficam armazenados nestas bolsas antes de serem espalhados para revelar a foto).

Reservatório Impossible PX600 Silver Shade Impossible PX600 Silver Shade desmontada

Aqui podemos separar as duas camadas e remover esta pasta branca… a transparência que contém a emulsão com a foto positiva, e o dark slide onde fica registrada a imagem negativa.

Camadas Impossible PX600 Silver Shade Dark Slide Impossible PX600 Silver Shade

A lavagem é feita em água corrente em temperatura natural.

Lavagem Impossible PX600 Silver Shade

Alguns pedaços da pasta ficam grudados (principalmente se a foto já secou completamente) e precisam ser removidos com a mão. Nesta hora, quanto mais delicadeza, melhor o resultado. Na minha primeira foto ficaram algumas impressões digitais, pois não fui cuidadoso.

Resíduo Impossible PX600 Silver Shade Impossible PX600 Silver Shade Lavado

Uma vez limpo, faça um ultimo enxágue e coloque para secar em um local com pouca poeira.

Dark Slide pronto - Impossible PX600 Silver Shade Negativo secando

Agora é hora da digitalização! Eu fiz em uma multifuncional comum, com configurações para scan em escala de cinza com 1200 dpi. Neste passo não é necessário nenhum scanner especial para negativos porque ele é opaco, então podemos usar qualquer um.

Photoshop scan

No Photoshop (ou seu programa de preferência) entram alguns passos simples. Vamos cortar somente a área que contém a imagem, inverter (Ctrl + I) e ajustar os níveis. Os níveis automáticos (Ctrl + Shift + L) não fizeram um bom serviço no meu caso, então complementei manualmente, abrindo os níveis (Ctrl + L). Puxei a primeira seta – dos pretos – até um ponto que a imagem ficou legal e ajustei a seta do meio, dos “meio-tons”.

Photoshop scan invertido com auto-levels

Photoshop - ajuse manual de levels

O passo seguinte foi ajuste de contraste e pronto! O resultado é este:

Negativo Polaroid - Impossible PX600 Silver Shade Negativo Polaroid 2 - Impossible PX600 Silver Shade

Está longe de uma imagem de qualidade, mas é possível salvar detalhes de uma foto perdida! Além de ser bem divertido brincar com a foto.

Fiz alguns testes depois e descobri que fica bom com a foto recente. Depois que a pasta branca seca (algo que leva algumas horas), ela deixa marcas no negativo e fica bem complicado de remover.

Mas e a transparência que sobrou? Bom, com uma imagem superexposta não temos muito o que fazer, mas se você quiser usar para treinar transferência da emulsão, a receita é simples, e vamos ensinar amanhã. Fique de olho! ;-)

 

Update: O Eduardo fez o teste com uma foto de 2 meses de idade e comentou o seguinte. Deixei apenas em água corrente e passei o dedo levemente, mas o negativo, por baixo da pasta, começou a criar bolhas e se desgrudou, então vale lembrar o que escrevi no post. Fica bom com a foto recente.

E obrigado pelo teste, Eduardo!

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • 24/11/2013 em 11:57 am

    Tentei com os negativos de fuji FP-100C e meio que deu certo. E vale mesmo o que disse, eh bom quando ta recente. no meu negativo ja tinham algumas marcas. Nao tentei lavar pois nao sei se funciona pro fp-100c mas valeu a dica!

    Responder

    • Gabriel Chacon e Rodrigo Kairala
      25/11/2013 em 6:06 pm

      Sergio,
      Na verdade o esquema com o filme “peel-apart” como o Fuji FP-100C é diferente. Comprei uma câmera que usa este filme e em breve vou montar um post sobre como recuperar os negativos de forma segura! Fique de olho que até dezembro sai algo sobre o assunto

      Responder

  • Eduardo
    19/06/2013 em 1:23 pm

    Nossa!
    Jamais imaginei que há um negativo no “coração” da foto =D

    Experimentei o mesmo PX600 Silver Shade e apesar de satisfeito com os resultados uma coisa me incomodou muito.
    Não sei se peguei algum cartucho dos primeiros lotes, mas em questão de dois meses as imagens desapareceram quase completamente, não passam pouquissímos detalhes em um quadrado “creme”.

    Mesmo depois de tanto tempo, será possível eu recuperar os negativos?

    Abraços!
    Ótimo post!

    Responder

    • Gabriel Chacon e Rodrigo Kairala
      19/06/2013 em 8:07 pm

      Eduardo,
      A mesma coisa acontece com minhas fotos do PX600 Silver Shade. É o lote mesmo… um jeito de minimizar o avanço é deixando a foto em uma caixa com sílica assim que termina de revelar, mas ainda assim ela estraga. A sílica ajuda a foto a secar mais rápido e interromper a reação química que, nos lotes mais antigos, continuava mesmo depois do final da revelação. A Impossible vende uma “dry box” para conservar as fotos.
      Sobre o negativo, eu fiz o teste com uma foto no dia seguinte e já tive problemas para remover a pasta branca. Ela seca e deixa várias marcas no negativo. Tive que usar banho morno e esfregar bastante para conseguir remover, e o resultado foi uma foto cheia de manchas e riscos. Não acho que no seu caso teria uma imagem utilizável, mas se quiser experimentar, a imagem está lá! O problema são as marcas e manchas que aparecem nela.
      Abraços!
      Rodrigo Kairala

      Responder

      • Eduardo
        19/06/2013 em 9:56 pm

        Opa, fico menos angustiado em saber que não fui o único.
        Ainda me resta uma foto, tentarei a dica da sílica, valeu!

        Quanto a tentar recuperar o negativo, eu tentei hoje mas foi um fracasso total.
        Deixei apenas em água corrente e passei o dedo levemente, mas o negativo, por baixo da pasta, começou a criar bolhas e se desgrudou. Perdi a foto, mas como já não tinha nada nela mesmo, não foi grande coisa =)

        Agradeço a ajuda e faço outra pergunta:
        Os lotes atuais estão com uma qualidade melhor?

        Abraços!
        Eduardo

        Responder

        • Gabriel Chacon e Rodrigo Kairala
          19/06/2013 em 11:27 pm

          Bom saber que isso acontece. Vou até editar o post colocando seu comentário… eu testei com uma que tinha só um dia de idade.

          Eu testei o PX680 Color Protection, que é o último lote de coloridos. Ainda protegi as fotos quando saíram da câmera, apesar de o anúncio falar que não precisa mais proteger. As fotos estão com 5 meses de idade e ainda não desbotaram, mas algumas ficaram paradas na câmera muito tempo (em torno de 4 meses) e saíram com uma cor rosada, então se for usar, não deixe passar muito tempo.

          Abraços!
          Rodrigo Kairala

          Responder

Deixa aí seu comentário!