2comentários

Meia memória é melhor do que nenhuma.

por em 04/10/2013
 

Imagine viver num tempo em que a fotografia analógica não era opcional. Agora imagine que as memórias de família muitas vezes dependiam de um único rolinho de filme com 36 poses. Imaginaram? Pois é, e se eu dissesse que se acontecesse um acidente qualquer com a câmera o lab não te devolvia as fotos ou simplesmente dizia que não deram certo e que nada saiu? Era isto que acontecia antigamente.

Eu estou digitalizando os negativos da família. Diversão garantida por um bom tempo, já que cada vez mais alguém me traz um bolo de negativos. Viva!!!

O que me espantou foi a quantidade de fotos que estou aproveitando dos negativos antigos. Na década de 70, que foi quando algumas das fotos foram tiradas os vazamentos de luz e desfoques não eram considerados um efeito legal. Eram um defeito e fotos assim não eram nem entregues.

light leak, um efeito cool, que na década de 70 era defeito.

light leak, um efeito cool, que na década de 70 era defeito.

Resgatei as fotos do casamento dos meus pais. O que aconteceu foi que durante a festa alguém abriu a traseira da câmera, uma Pentax Spotimatic F, aquela mais do que famosa câmera que herdei do meu pai. O resultado foi que queimaram meio frame de quase todas as fotos. A única lembrança do casamento dos meus pais estava arruinada, já que o laboratório se recusou a ampliar as fotos com a metade queimada.

Com o resgate dos negativos, digitalizei as fotos, mesmo com o meio frame queimado e meus pais ficaram super emocionados por resgatar uma lembrança tão importante.

Abaixo uma mostra das foto:

E eu continuo achando que meio frame de lembrança é melhor do que nada.

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Edson
    07/10/2013 em 8:21 am

    Olá Andrea!!

    Não preciso nem imaginar essa época… é de lá que eu venho!!..rs

    Muito gostoso de ler seu post.
    Por uma feliz coincidência, estou me divertindo (e muito!) com isso também.
    Estou digitalizando a História da Família, e vou aproveitar pra ti perguntar algo:

    Tenho Zilhões (literalmente) de negativos 35mm pra digitalizar.
    Uma boa parte está com mofo por conta de ter sido mal armazenado, mas nada que os tenha danificado significativamente (rendem mais do que meia memória…rs).
    Como você procede com a limpeza de negativos antes da digitalização?
    O que posso usar, sem danificar os negativos?
    Agradeço desde de já (tanto o Post, quanto uma dica mágica…rsrs)
    Abraços!!

    Responder

    • 07/10/2013 em 11:32 am

      É divertido mesmo rever as pessoas nas fotos e a minha família está se divertindo muito com este reencontro.
      Quanto à conservação dos negativos, não fique chocado, mas eu não faço nenhuma limpeza neles. Os negativos estão num bom estado de conservação e sem fungos, mas mesmo os que estão mais deteriorados e com a imagem quase desaparecendo estou digitalizando do jeito que está pra mostrar a passagem do tempo e a deterioração.
      No grupo do Queimando Filme no Facebook você encontra alguns tópicos sobre conservação de negativos que podem te ajudar. =D

      Responder

Deixa aí seu comentário!