2comentários

Uma lua de mel em filmes (Parte 2: Lisboa)

por em 08/11/2013
 

Como eu já disse, Porto e Sintra foram minhas cidades favoritas – muito mais por causa da grande similaridade com minha cidade natal – mas não se engane: Lisboa é um lugar fantástico.

Passear com os bondes foi a escolha mais divertida para poder conhecer um pouco de tudo e curtir a onda de turista. Mesmo com os muitos séculos de história deixando lembranças memoráveis, a verdade é que o volume de arquitetura moderna é de encher os olhos.

Uma capital que oferece todo tipo de oportunidade aos seus visitantes, desde o tradicional ao moderno. Fotograficamente, a capital portuguesa é um dos lugares mais interessantes que já fui. Retratos, street, arquitetura, apresentações, paisagem – de dia ou de noite… Pode escolher seu prato: esse é um lugar muito fotogênico!

Toda vez que eu embarco em uma viagem, aprendo um pouco mais e é isso o que mais me atrai – conhecendo mais o equipamento e a mim mesmo. Aqui vão algumas lições que aprendi e outras que confirmei:

  • Baterias são as suas melhores amigas. Leve uma de reserva, especialmente se Flash for sua praia, para poder seguir clicando all night long.
  • Pense leve. No meu caso foi uma câmera, duas lentes e uma bolsa bem portátil para não entulhar. Até garrafa de água e lanche dividiam espaço. E falando em câmera…
  • Leve uma câmera bem revisada e que lhe seja familiar. Assim você tem mais agilidade para o próximo click. Melhor ainda seria ter duas opções (ISOs/filmes diferentes, lentes diferentes…), o que nem sempre é conveniente. Mas…
  • Tenha um pouco de tudo – viagens são sempre boas oportunidades de testar algo novo. Vai que você encontra uma cena perfeita para usar justamente AQUELE filme que você tem na geladeira… Um pouco de experimentação pode ser extremamente recompensador.
  • Um tripé pode ser o seu melhor amigo. Longa exposição sempre me revelou surpresas interessantes e as vezes é a única opção na hora de fazer um auto retrato.
  • Lenços, bombas de ar, o que for. É sempre bom ter algum material de limpeza para cuidar do seu equipamento – mesmo que seja só ao fim de cada dia.

No todo, eu tive uma ótima experiência – com um monte de boas lembranças que agora vão viver para sempre conosco. Se alguém puder um dia, recomendo MUITO conhecer Portugal e seus encantos!

Um abraço!

PS: Menção honrosa (abaixo)!

Cadê?

Por muito pouco, nessa viagem aconteceria o primeiro encontro internacional/ transnacional/transatlântico/ lusófono de colaboradores do Queimando Filme…
Fica para uma próxima, né Diogo G?

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixa aí seu comentário!