8comentários

Matando saudade: fotografando com filme 126

por em 09/11/2013
 

Lembra aquelas câmeras de quando você era criança (bom… se você tiver mais de 35 anos)? Aquelas da Kodak que usavam como filme um cartucho bonitinho? Pois é as Instamatic da vida!

As câmeras Instamatic foram criadas em 1963 pela Kodak mostrando uma nova maneira de carregar o filme de maneira simples.  Estas câmeras usavam um filme criado pela Kodak chamado 126. Já falamos dele aqui no QF nesse post. Com ele você não tinha que colocar a ponta do filme na bobina receptora (no caso dos filmes 120 e no bobinados dos filmes 135). Como o cartucho é assimétrico, não existe a possibilidade de colocá-lo ao contrário. Você só coloca o filme na máquina, fecha a tampa traseira, avança o filme, fotografa e corre para o abraço!

Eu sempre gostei de velharia fui nostálgico, por isso tinha vontade de fazer uma baita gambiarra adaptação para minha Instamatic 54x para voltar a fotografar com ela.

AgfaIsopan125_0_

Filminho que comprei na FPPS

Um dia estava passeando na web e achei um site (filmphotograhyproject.com, o QF já falou dele aqui e aqui.) e nele havia um lote de cartuchos 126 P&B para venda (Agfa Isopan 126 ASA 100).

Só existiam dois problemas: eles haviam vencido em 1986 e custavam 15 obamas. Perdi o juízo Criei coragem e comprei um cartucho. Fiquei pensando, e agora? E se não sair nada? E se não der certo?

Estes pensamentos costumam perseguir aqueles que gostam de experimentar filmes vencidos, câmeras que já deveriam estar aposentadas e processos de revelação nada ortodoxos.

O problema é que eu gosto de tudo isto :)

Deixei de lado as dúvidas e entrei na empolgação da coisa dar errada, aliás se tudo desse errado eu poderia carregar o cartucho 126 com filme 135 e tirar fotos coloridas mesmo!

Quando o cartucho chegou eu só dei uma limpada na câmera, coloquei o filme e gastei todos os 20 frames. Só perdi um por navalhada minha um erro técnico.

3834091088_d9ca03bda3

Cartucho igual ao que comprei. Só que o meu tinha 20 poses, e não 12.

Depois do filme queimado eu fiquei com vontade de mandar bala no cafenol mesmo… e foi o que eu fiz. Coloquei o senhor que havia vencido há 27 anos no meu tanque e mandei bala.

Grata surpresa! As fotos ficaram boas! É claro que algumas ficaram subexpostas por conta da idade, mas dane-se eu gostei! Se você não gostou azar o seu :P não tem problema, a amizade é a mesma!

Veja abaixo os resultados e faça os comentários.

E você gosta de experimentar com filmes vencidos? Manda pra gente os seus resultados!

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Marcos Vinícius
    22/01/2016 em 8:54 am

    EXCELENTE! Adquiri nesta semana uma Instamatic 177xf que utiliza cartucho 126. Mal posso esperar pra adaptar um filme 135 nela. Como posso fazer essa adaptação e após utilização levar o filme a qualquer loja de revelação?

    Responder

    • Marcos Nava
      22/01/2016 em 9:22 am

      Marcos,

      Para revelar em algum laboratório fica um pouco complicado pois você precisa “trabalhar no escuro”.

      Seria interessante você treinar fazer isto com um filme velado primeiro na luz do dia e depois na total escuridão.

      Os passos seriam: tirar o filme do cartucho 35mm e colocar no cartucho 126, depois de tirar as fotos você tem que tirar do cartucho 126 e colocar no cartucho 35mm. Seria interessante, mas não fundamental, falar com a pessoa do laboratório o que você fez para ele não achar estranho.

      Não sei se eles escaneariam o negativo pois o formato não é padrão.

      Eu faria o seguinte, seguiria os passos acima e pediria só para revelar e escanearia eu mesmo.

      Espero ter ajudado.

      Responder

  • Marcos Nava
    12/03/2015 em 11:39 am

    Lidia, existe duas “gambiarras” que você pode fazer:

    1 – Carregar um cassete 126 com filme 135. Acho que é a forma que menos altera a câmera. Você só precisa vedar melhor o back dela.

    2 – Alterar a câmera para aceitar cartuchos 135. O problema é que depois não dá mais para usar o cartucho 126.

    De qualquer forma dá trabalho.

    Responder

  • 11/03/2015 em 11:39 pm

    existe algum filme alem do 126 que possa ser usado na KODAK INSTAMATIC 54X?

    Responder

  • Mauro
    10/11/2013 em 1:27 pm

    Muito legal! Estou com um Kodak T400 CN aqui vencido a uns 10 anos doido para ser usado. :-)
    Me diz uma coisa, sabe aquelas receitas de livros bem antigos de fotografia para fazer uma química sensível a luz para aplicar em porcelana ou papel? Usavam para fazer aquelas fotos antigas em medalhas de sepulturas. Já experimentou fazer algo do genero?

    Responder

    • Marcos Nava
      10/11/2013 em 3:44 pm

      Mauro,

      Nunca fiz, mas estou querendo fazer cianotipia.

      O maior problema é encontrar os químicos! Mas eu achei um kit de cianotipia que eu quero comprar!

      Responder

  • Kari
    09/11/2013 em 12:51 pm

    Muito bom! Fotografei um filme 35mm normal que comprei vencido há 2 anos e a qualidade tava das imagens foi bem inferior a essa!

    Essa Kodak foi a única câmera que eu encontrei em casa, filha única de herança da família aqui e nunca tive a oportunidade de usá-la pela falta do filme 126 :/

    Mas parabéns, acho que o resultado foi mais que satisfatório! :} muito bom!

    Responder

Deixa aí seu comentário!