3comentários

Akira: o marketing incorporado de fotografia mais bizarro que você já viu

por em 26/11/2013
 

“KANEDAAAAAAAAA!” 

Uma das técnicas mais antigas que os marketeiros de plantão utilizam para vender seus produtos é chamada de “marketing incorporado” (ou merchandising). Consiste, basicamente, em inserir sua marca (ou produto) em um filme, seriado ou novela como fazendo parte do enredo em questão. E não poderia ser diferente com as empresas de fotografia.

Em um dos mais recentes exemplos, a série The Walking Dead colocou, de forma inusitada, uma Diana F+ no contexto do seriado – fiquei sabendo por terceiros, já que desisti de assistir a série ainda na primeira temporada. Mas esse é apenas um exemplo recente envolvendo fotografia analógica em si, pois, como vocês estão cansados de saber, o mercado hoje é focado em fotografia digital e bla bla bla. O ponto que eu quero chegar é que isso é normal, e praticamente todas as marcas fizeram isso, seja de um jeito normal, ou seja de um jeito estranho. E é justamente de um desses marketings incorporados estranhos que eu vou falar.

akira-posterbig

Todo fã de animes, desenho animado, cinema e ficção científica já assistiu Akira. Todo o resto da população mundial já ouviu, ao menos, alguma coisa a respeito. O filme, de 1988, é uma animação dirigida por Katsuhiro Otomo, baseado em seu mangá de mesmo nome – sendo que o filme é focado principalmente na primeira parte da história.

Não vou falar muito a respeito do filme, porque é sua obrigação assisti-lo – caso não tenha feito isso ainda. O ponto que eu quero apontar é que alguém, dentro da divisão de marketing da Canon, lá em 1988, achou que seria uma boa ideia colocar um adesivo da marca na moto do protagonista, Shotaro Kaneda.

Saca só o adeso da Canon ali na moto...

Saca só o adesivo da Canon ali na moto…

O que muita gente não sabe é que o tio Otomo é parceiro, de longa data, da Canon. Além de inserir a Canon no longa-metragem, Otomo também fez uma série de ilustrações sci-fi para divulgar a Canon T70, na época de seu lançamento, sempre se baseando no universo cyberpunk de Akira, que na época era apenas um mangá. Saca só:

otomo_canon

Canon T70 – Uma câmera para a Neo-Tóquio

Além das ilustrações, o pacote envolvia um spot de 30 segundos para televisão:

A grande sacada da Canon é que eles inseriram sua marca em uma área do cinema que nenhuma empresa de fotografia, na época, pensava em utilizar dessa forma – e ainda aproveitaram para passar a ideia de que a Canon T70 seria uma câmera tão futurista, mas tão futurista, que fazia parte do universo de Akira, que se passava em 2019. Tudo isso porque ela era eletrônica.

Bônus: Para quem quiser (re) assistir ao filme, tem lá no Youtube. Só que é dublado em inglês, o que tira metade da graça.

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Bruno
    27/11/2013 em 4:39 pm

    Um dos meus filmes preferidos. Ja tentei comprar o manga mas o preco eh exorbitante e a unica versao disponivel em portugues que achei foi lancada pela Globo, via EUA, ou seja, colorido e invertido. Como sou purista xiita, passei.
    O longa foi pioneiro em muitos aspectos, cheio de inovacoes tecnicas e ainda hoje deslumbrante para os olhos.
    Legal os anuncios da Canon, vou procurar os outros.

    Responder

Deixa aí seu comentário!