2comentários

6 câmeras da Lomography que valem a pena dar uma olhada

por em 26/12/2013
 

“Merging with the City” / Foto: Bruno Massao

Tá ok: nós sabemos que a Lomography “fechou as portas” no Brasil e que está sendo reestruturada mundialmente. Mesmo assim, vale a pena citar que nós, do Queimando Filme, consideramos a marca importante para manter a fotografia analógica viva e bla bla bla – por mais que alguns de nós não usemos câmeras deles.

Dito isso, eu fiz um compilado de câmeras da marca, daquelas que valem a pena vocês usarem pelo menos uma vez. Todos prontos? Então lá vai:

—————-

6. La Sardina

La Sardina from Tertulia Andaluza

Começo a lista com uma câmera que considero bem versátil. Ela tem uma lente de plástico grande angular 22mm de abertura f/8, com duas possibilidades de foco: de 0.6m a 1m, e de 1m ao infinito. Ou seja, ela possibilita fotos com foco em praticamente inúmeras situações.

Apesar da velocidade fixa em 1/100, a câmera ainda é capaz de fazer longas exposições (se utilizada no modo Bulb) e múltiplas exposições (com o auxílio do botão MX), além de ter entrada padrão para cabo disparador. Em contrapartida, ela tem um contato próprio de flash (compatível apenas com o Fritz the Blitz).

Para saber mais: http://microsites.lomography.com/la-sardina/

—————-

5. Fisheye No.2

fisheye toy camera

Essa é, de longe, a mais “diferentona” de toda a Lomography. Ela é uma compacta 35mm com uma objetiva olho-de-peixe circular de “aproximadamente” 10mm, que produz imagens com ângulo de visão de 170º, com abertura fixa de f/8 – o que possibilita um foco de 30cm ao infinito. Além disso, a câmera possui um viewfinder “off camera”, que fica preso na câmera na sapata de flash. O usuário da câmera, porém, pode retirar o viewfinder para utilizar outros acessórios na câmera, como flashes.

Em adição ao disparo normal, cuja velocidade é de 1/100, a câmera possibilita longas exposições (Bulb). Porém, não há a possibilidade de se usar um cabo disparador, o que torna a câmera meio chatinha para longas exposições. De todo modo, a câmera também possibilita múltiplas exposições (com botão dedicado, o MX). O flash embutido também quebra um galho, mas se você se aproximar muito do assunto ele cria uma sombra horrenda.

Nota: a câmera com o Ringflash se torna uma experiência absurda de divertida. 

Para saber mais: http://microsites.lomography.com/fisheye/

—————-

4. Horizon Perfekt

Horizon Perfekt

Sabe aquela câmera que você bate o olho e não entende muito bem o motivo dela estar lá? Então, a Horizon Perfekt é uma dessas câmeras. Ela possui comandos manuais de abertura e velocidade, nível bolha para você garantir que suas fotos panorâmicas saiam perfeitas e é bem fácil de utilizar – isso é, desde que você se empenhe um pouco.

A câmera aceita cabo disparador padrão (o que a torna utilizável mesmo em situações mais escuras, caso você queira fazer fotos panorâmicas à noite) e tem entrada padrão de tripé. É quase uma câmera profissional para fotos panorâmicas – e por ser totalmente mecânica, dispensa o uso de baterias. 

Para saber mais: http://microsites.lomography.com/horizon/perfekt

—————-

3. Belair X 6-12

Belair X 6-12 + Gordy's Camera Strap FTW

Essa câmera é diferente de todas as outras câmeras da Lomography que utilizam filme 120, por isso está aqui. Convenhamos: aparentemente é a unica médio formato da Lomo que deve ser levada à sério. A Lubitel 166+? Não tem metade do charme que as anteriores. A Diana F+? Pfffff. A Holga nem da Lomography originalmente é. Então ok, fim de papo: a Belair X 6-12 é a unica, unica que deve ser levada a sério.

Com possibilidades de fotografar até em formato 6×12, uma panorâmica em médio formato, a Belair conta com fotômetro, bulb, lentes intercambiáveis e mais uma cacetada de frufrus acessórios que a tornam uma câmera bem versátil. Mas sabe o que falta agora, Lomography? Um Instant Back que utilize FP-100. #ficadica

Para saber mais: http://microsites.lomography.com/belair/

—————-

2. LC-Wide

Lomo: LC-Wide

Quando você pensa em angular, num primeiro momento, você pensa em 28mm, 24mm, certo? No caso da Lomography, eles foram extremistas e pularam direto para 17mm. Praticamente um tapa na cara das SLRs que precisam de uma objetiva consideravelmente grande para ter essa mesma distância focal. Mas isso vem com um preço: a lente produz vinhetas fortes, aberrações e distorções extremas – o que para alguns pode ser brochante. A câmera ainda possibilita três formatos de quadro: 35mm, meio quadro ou “quadrado”, embora a lente ultrawide perca um pouco o sentido nesses dois últimos formatos. O foco por zona da câmera possui duas fases, devido à distância focal reduzida da objetiva, possibilitando foco a partir de 40cm.

No mais, a sapata do tipo hot shoe, com contato, o botão disparador com encaixe padrão para cabo disparador e o fotômetro preciso tornam essa câmera uma das compactas automáticas mais divertidas já lançadas.

Para saber mais: http://microsites.lomography.com/lc-wide/

—————-

1. LC-A+ 

Lomo LC-A+ 1

Essa é a melhor câmera da Lomography. Fim de papo. A LC-A+, porém, é uma câmera relativamente nova, tendo sido lançada em 2007 para substituir a então LC-A. Sua lente Minitar 1 32mm f/2.8 é capaz de reproduzir cores fieis. Junte isso à seleção de ISO que vai de 100 a 1600 e o manuseio despreocupado da câmera – que é totalmente automática – e você terá umas das melhores compactas analógicas já lançadas – até porque chamar a LC-A+ de “lomo” é, basicamente, restringir o que a câmera é capaz de fazer.

Além disso, os acessórios são inúmeros, que variam de cabos disparadores até splitzers, flashes e instant backs. Some isso tudo ao “lomografismo” da coisa, incluindo múltiplas exposições e uma vinheta capaz de produzir desfoques interessantes ou vinhetas fortes e você tem a câmera lomográfica mais versátil do mundo.

Resumindo a ópera toda: ela é uma câmera capaz de andar no mundo lomográfico, para os que estão nessa pelo experimentalismo, ou pelo mundo convencional, atendendo quem quer uma câmera simples de manusear e confiável.

Para saber mais: http://microsites.lomography.com/lca+/

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Helena
    17/02/2016 em 10:44 pm

    oi! será que vc ainda responde comentários desse post? ahahah
    enfim, queria saber se para conseguir os efeitos legais da lomo (tipo aqueles que se vê na galeria do site) precisa usar filmes especiais ou se dá pra conseguir os efeitos (ao menos parecidos) com filmes normais? hoje em dia ta quase impossível comprar os filmes mais diferentes (só acho pelo site da lomography e tá o olho da cara). queria comprar uma diana mini e o que mais me fez querer uma lomo são os efeitos de cores que aparecem nas fotos.

    Responder

  • 26/12/2013 em 2:33 pm

    Tenho 5 câmeras da Lomo e nenhuma está na lista! rs
    Ao menos que a fisheye baby conte pela fisheye nº2

    =D

    Responder

Deixa aí seu comentário!