6comentários

Pensamentos de fotógrafos famosos sobre o filme 35mm (135)

por em 18/01/2014
 

Outro dia o site “Shooting Film” publicou uma interessante lista de frases de fotógrafos famosos sobre filme 135 (35mm). Várias delas me fizeram pensar alguma coisa e, como não gosto de ficar compartilhando post de outros blogs sem agregar valor ao camarote, vamos aqui colocar uns pensamentos sobre os pensamentos das figuras. Segura aí, e posta os seus pensamentos (sobre os meus pensamentos sobre os pensamentos deles) nos comentários, tá?

W. Eugene Smith

W. Eugene Smith

“O mundo não se encaixa de forma conveniente no formato 35mm de uma câmera.” – W. Eugene Smith

Noooossaaaa… que drama, Eugene… não é pra tanto, vai… é claro que formatos maiores são melhores pra determinadas composições mais detalhadas, pra registros, digamos, mais apurados. Mas e a velocidade do mundo? E a espontaneidade do mundo? Não se encaixam num 35mm?

“De forma geral, eu diria que pra um ensaio de sete fotos eu usaria de 20 a 30 rolos de filme 35mm de 36 poses.” – David Hurn

Ok, obrigado por compartilhar.

Sebastião Salgado

Sebastião Salgado

 “Eu trabalho somente com o formato 35mm. Eu tenho uma bolsa pequena onde carrego filmes pra um ou dois meses. Isso significa que fico completamente independente.” – Sebastião Salgado

Olha, Seba, todo mundo sabe que você, de tanto querer ficar independente, trocou o filme pelo digital, e agora carrega uma bolsa ainda menor (só que mais pesada, já que tem que andar com trocentas baterias carregadas, né? ;-). Mas você bem que poderia bater um papo com seu amigo Eugene Smith lá do primeiro comentário pra mostrar pra ele como o mundo se encaixa SIM muito bem em um quadro de 35mm, né?

“Foram necessários muitos anos fotografando pra eu perceber que não estava satisfeito com o meu trabalho. Eu descobri então que não era com a minha fotografia que eu estava insatisfeito, mas sim com o formato. Eu percebi que os limites impostos por um quadro de 35mm não estavam me permitindo registrar o que eu estava vendo. – LeRoy Zimmerman

Amigo do Eugene Smith, né?

Mary Ellen Mark

Mary Ellen Mark

“A câmera (35mm) é feita para (fotografar) a vida e as pessoas, os rápidos momentos da vida” – Ansel Adams

Pois é, tio Ansel… tava falando disso agora mesmo…

“Não existe nada de errado com um o 35mm que uma Hasselblad 5×4 não possa ajeitar.” – Ted Orland

#hasselbitch…

“A técnica do 35mm parece ser simples. Você pode acabar se enganando com a visualização e operação rápidas, e pela duvidosa possibilidade de se fazer várias fotos em sequência com a esperança de que alguma fique boa” – Ansel Adams

Boa tio Ansel! Matou a pau! #Quemnunca saiu disparando a câmera (qualquer uma) numa ânsia de que quanto mais disparasse maior a chance de sair uma foto boa, sem perceber que, na verdade, se estivesse cometendo um erro em uma, estaria cometendo o mesmo erro em todas? _o/

“Aprender a usar diferentes formatos me fez uma fotógrafa melhor. Quando comecei a trabalhar com médio formato, me tornei uma fotógrafa melhor com o 35mm. Quando comecei a trabalhar com o formato 4×5, me tornei melhor fotografando médio formato.” – Mary Ellen Mark

Finalmente alguém equilibrado pra falar sobre como não se pode ser radical nas coisas… é sempre bom fotografar em todos os formatos pra dominar melhor as técnicas e usá-las nas práticas. Obrigado tia Mary Ellen!

Henri Cartier-Bresson

Henri Cartier-Bresson

“Fotografar com uma LEICA é como um beijo longo e gostoso, como disparar uma pistola automática, é como uma hora no divã do seu analista.” – Henri Cartier-Bresson

Finalmente, ele, o mito, a lenda, o mais famoso e mais ranzinza dos fotógrafos, tio Henri. Eu li pelo menos duas biografias dele, e tomo a liberdade de interpretar essa frase. Cartier-Bresson nunca foi ligado em equipamento (marcas e etc). Quando ele fala “LEICA” aí, entenda-se “uma câmera 35mm”. Isso porque, na época dele, LEICA era sinônimo de “a única boa câmera 35mm pra se fotografar”. Nessa época ainda predominavam as câmeras de médio formato, e os profissionais, principalmente fotojornalistas, começavam a usar câmeras 35mm, mais práticas, mais ágeis… portanto, pense nisso: fotografar com uma câmera rangefinder 35mm é, pra ele, isso aí que ele disse ;-)

Enfim, essas são as frases, e esses são meus comentários. E os seus, quais são?

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • 24/01/2014 em 2:08 pm

    Post muito legal. Eu, sinceramente, acho uma palhaçada ficar procurando melhor formato pra fotografar. Cada um tem seu estilo próprio e tal, não adiante ficar generalizando tudo e dizer que o 35mm é uma merda. Não sou fotografo analógico, comecei agora e tenho muuuito a aprender. Mas é o que a Mary disse, experimentar todos os formatos pra se tornar um fotografo melhor… independente do formato.

    Responder

    • Eduardo
      27/01/2014 em 9:44 pm

      Companheiro, vc chegou a ler o post inteiro? Ou leu meio parágrafo e tirou meia-dúzia de conclusões precipitadas? Primeiro, ninguém aqui tá falando que o formato 35mm é uma “merda” (muito pelo contrário), e outra coisa, se esse formato não fosse versátil, não teria sido o adotado nas câmeras digitais full-frame, o que quer dizer que, de certa forma, o formato 35mm é o que “deu mais certo” em termos comerciais, tanto pelo tamanho quanto pela conveniência, o que levou as empresas a investir pesado nesse formato, deixando as câmeras e lentes full-frame como herança desse legado.

      Responder

  • Eduardo
    21/01/2014 em 9:54 am

    “Eu percebi que os limites impostos por um quadro de 35mm não estavam me permitindo registrar o que eu estava vendo. – LeRoy Zimmerman”… Ahhhh, tá de brincation with to me??? A 17-40mm L no corpo Canon Elan 7 me permite ver coisas que nem meu olho consegue ver, e com muito pouca distorção…35mm é o formato perfeito! Se não fosse, as câmeras digitas full frame não teriam esse formato até hoje…

    Responder

  • 19/01/2014 em 1:08 pm

    Interessante o artigo, porém alguns fotografos estão se referindo à proporção do quadro, como o Eugene Smith. Outros se referem à praticidade, qualidade da imagem, etc.

    Quanto à Leica do HCB, já na década de 70 havia uma enorme proliferação de câmeras de 35mm, e ele não abria mão de sua Leica M3. Fato interessante sobre o HCB é que ele costumava pedir ao seu printer pra deixar uma borda preta nas ampliações, pra deixar claro que a foto não havia sido re-enquadrada na ampliação. Ele tinha uma precisão fantástica no enquadramento.

    Abs

    Responder

  • Estevam
    18/01/2014 em 4:39 pm

    Esses dias tava lendo alguém reclamando que o problema do 35mm é a proporção 2:3; em outras proporções mais “quadradas” o enquadramento (!) ficaria mais agradável.
    Tudo culpa do Oskar Barnack.

    Responder

  • 18/01/2014 em 1:09 pm

    Nossa, muito bom. É legal ver as opiniões diversas de vários profissionais renomados a respeito desse formato tão popular (ao menos era, né?) E chegar à conclusão de que ele pode ser bom ou ruim, só depende de como é usado.

    Responder

Deixa aí seu comentário!