0comentários

Desmistificando compras fora do Brasil pela Internet

por em 19/02/2014
 

Foto acima, por Camila Guerreiro.

Pode ser que você sofra de SNCE, pode ser que você não acha nada de fotografia analógica na sua cidade, pode ser que você quer equipamentos diferentes dos que vendem por aqui, pode ser que você queira filmes que acabaram de lançar no exterior, ou pode ser que você simplesmente queira pagar menos porque já não aguenta mais comprar suprimentos para fotografia (que não são baratos) com o custo Bra$il embutido.

Calma, não se desespere e nem deixe sua câmera analógica no fundo do guarda roupas (pegando fungos na lente), afinal temos a internet, uma infinidade de lojas de equipamento analógico online por todo o planeta e os gênios da economia nacional ainda não tiveram a brilhante idéia de copiar los hermanos argentinos para resolver definitivamente todos os problemas da balança comercial :-S

“Certo, mas é seguro, vou receber meu produto, vale a pena?”

É seguro sim. Mas mas precisa tomar alguns cuidados básicos.

Compre sempre de lojas renomadas, confiáveis e antes de apertar “buy now” faça uma busca no Google para ver se tem muita gente reclamando da loja (como você deveria fazer com qualquer loja online nacional também). Geralmente quando uma loja é boa, é normal ver muitas pessoas comentando sobre ela em forums, e quando é ruim, também. Vale a pena sempre dar uma lida, especialmente se é a primeira vez que fará um pedido ou se a loja não é assim tão conhecida. Se for comprar no ebay, certifique-se que a reputação do vendedor é boa antes de fechar negócio, e cuidado com produtos despachados de países do leste europeu, o vendedor pode até ser gente boa, mas os correios lá são tão confiáveis quanto os daqui, se é que você me entende. Freestyle, B&H, Amazon, KeH pode comprar de olhos fechados que o produto chega mesmo e essas lojas não vão te enrolar. Na hora de pagar, essas lojas vão aceitar somente cartões de crédito internacionais ou paypal, mas tudo bem, se a loja for confiável não precisa se preocupar com fraudes ou com ter seu cartão clonado. Alias, se o site não for dos mais conhecidos, prefira o pagamento via Paypal se houver a opção, qualquer problema na compra, é mais fácil lidar com o Paypal (com suporte em português), do que com uma loja online sediada em Kuala Lumpur.

Mas e o frete? A maioria das lojas oferece algumas opções de frete, outras, apenas uma opção e apenas deixa você escolher se quer um frete mais rápido ou mais lento (caso da Amazon) e alguns vendedores do ebay tem apenas uma opção de frete para o Brasil, e qual a diferença entre eles?

Captura de Tela 2014-02-17 às 22.47.36

Foto por Morgana Rocha

Correio normal sem rastreamento – Geralmente é o mais barato, mas nada garante que você vai receber seu produto. Pode ser extraviado pelo correio do país de origem, pode sumir aqui na alfandega, ou pode sumir nos correios daqui, pode levar eras e chegar (alguém já ouviu falar de operação maré vermelha?) ou pode ser que nunca chegue. É o barato que pode sair caro, gera uma tonelada de reclamações para as lojas, e todas as lojas mais confiáveis praticamente já aboliram essa opção, porque aqui para o Brasil, não funciona. O item era despachado pelas lojas, ficava no limbo por meses, o cliente aqui morrendo de raiva cancelava o pagamento junto ao cartão de crédito, e por fim o item chegava (ou não), mas o vendedor levava o preju, por isso muitas lojas e vendedores do ebay simplesmente se recusam a despachar qualquer coisa para o Brasil. Pode ser taxado na alfandega aqui ou não.

Correio normal com rastreamento – Melhorzinho que o anterior, mas longe de ser perfeito, assim como o anterior o vendedor coloca nos correios de lá, que avisam os correios daqui que está vindo uma entrega pra cá. O número de rastreamento aparece tanto nos correios daqui quanto na empresa do país do vendedor, mas uma vez que chegou aqui senta e espera, e espera, e espera um pouco mais, o produto vai ficar naquele limbo entre a estação de tratamento internacional daqui e o carteiro que vai levar até sua porta por vai-saber-lá quanto tempo. Pode ou não ser taxado pela alfândega, mas pelo menos você tem certeza que o item foi despachado pelo vendedor.

Correio prioritário com rastreamento – Mais caro que o anterior, geralmente significa que o vendedor pagou mais pelo frete, na esperança que seu prezado cliente recebesse o produto mais rápido. Na prática o item vai chegar rapidinho até os correios daqui, que por ser item importado, por ser taxável, por ter que passar pela alfândega, por marés de todas as cores e pelo calor que está fazendo, não vai levar muito a sério a etiqueta “prioritário” no pacote. Senta e espera mais um pouco. Pode ou não ser taxado.

Fretes por Courrier (Fedex, UPS, DHL, etc) – Mais caro que anterior, costuma ter diferentes velocidades e o valor varia razoavelmente conforme a velocidade. Certeza que vai chegar na tua porta rapidinho (em São Paulo, itens vindos dos EUA chegam em até 3 dias após ser despachado), certeza que o item vai chegar inteiro, certeza que o frete não vai ser muito barato e certeza que a alfandega aqui vai te taxar com todo o rigor da lei. Já calcule que além do valor do produto + o frete, você vai gastar, simplificando a conta, mais uns 110% do valor do produto em impostos e taxas (ou mais). Exemplo, você comprou uma lente usada na KeH por 100,00 dólares, o frete foi outros 40,00 dólares, a empresa vai te cobrar mais ou menos 110 vezes o valor do dólar do dia para te entregar o produto, a lente de 100 dolares acaba saindo  por 250,00 dolares (100 + 40 +110). Sai caro, mas é confiável. Quando pedir via courrier, é bom colocar o CPF junto com seu nome no endereço de entrega, algumas empresas te cobram uma taxa extra (no meio daquele monte de taxas) se não tiverem um CPF para fazer o desembaraço alfandegário. Algumas empresas de courrier aceitam cartão de crédito para o pagamento das taxas e impostos, outras só dinheiro, todas só entregam a encomenda mediante pagamento (para pessoas físicas).

Fretes por Courrier com imposto pré-pago – É o que a Amazon e lojas como a B&H tem usado para evitar dores de cabeça com os consumidores por aqui, porque alguns compravam fora aí quando chegava a continha do nosso maior sócio cobrando impostos e a compra dobrava de valor, tinha gente que mandava voltar o produto, para evitar isso eles te cobram o imposto antecipado, tudo quase dobra de valor (até o frete) mas você já sabe de cara quanto vai gastar e sua compra chega em casa mais rápido que certas compras nacionais, e sem dor de cabeça (na prática uma compra de 100,00 dólares com 40,00 de frete vai sair por módicos 270,00 doletas aproximadamente), a única dor de cabeça é pagar a fatura do cartão depois.

“Mas com todos esse fretes caros e impostos e taxas e zaz, vale a pena?”

Pior que vale, dependendo do que você for pedir, vale muito a pena, e em outros casos em que o produto que você quer nem vende aqui, não resta outra opção a não ser comprar fora.

Também é sempre bom comparar preços entre lojas europeias e americanas, isso porque a maioria das lojas europeias descontam o imposto dos produtos ao despachar para o exterior, então o preço final é uns 20% menor que o preço que aparece na loja (os preços americanos por padrão já são sem impostos locais, e quando você compra para entregar num endereço de lá o valor do imposto é adicionado no fechamento da compra).

Foto por Dani Starck

Foto por Dani Starck

Aquele lance dos pedidos abaixo de 50,00 dólares na verdade não funciona para evitar impostos, essa regra só vale para envios de pessoa física para pessoa física e onde o produto + o frete não ultrapassem 50,00 dólares. E produto vir pra cá sem nota fiscal pode ser uma enorme furada, porque nesse caso o agente da receita federal pode decidir quanto ele acha que vale o produto e te taxar bonito.

Outra coisa que faz valer a pena, é que muitos produtos que são vendidos por aqui já recebem uma carga de impostos similar para entrar aqui, mais os impostos que o comerciante vai pagar aqui pra te vender o produto, mais os custos de manter a loja, mais a margem de lucro do vendedor, inflacionam muito o preço de venda de produtos importados. Por isso o preço importando por conta própria ainda consegue ser competitivo, na verdade a única coisa que encarece muito para quem compra fora pela internet é o frete, que para ser confiável tem que ser muito caro. Os impostos como o nome já diz, não são opcionais de qualquer forma. Nesse caso, pra fazer valer a pena é melhor fazer pedidos maiores de cada vez e aproveitar o mesmo frete, ao invés de pedir um rolinho de filme por vez, vale e pena pedir um pouco mais, quem sabe rachar as compras com um amigo, usar o frete por courrier para não ter estresse com o funcionalismo público local e ter sua comprar de forma rápida e confiável.

A única coisa melhor é viajar e comprar pessoalmente, mas nem sempre é possível.

Pode comprar sem medo, apenas escolha bem as lojas e faça as contas direto, para ter certeza que foi um bom negócio.

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

Seja o primeiro a comentar!
 
Deixe uma resposta »

 

Deixa aí seu comentário!