3comentários

Minha Primeira Vez #02: Vagner Luiz

por em 10/05/2014
 

Continuando com a série!

O segundo a dar um passo a frente e contar a sua história foi o Vagner Luiz, que conta como uma Yashica apresentou a ele o mundo do filme, e da fotografia. Fala Vagner!

Meu primeiro contato com fotografia foi aos 7 anos de idade, no natal de 1993. Sou de família simples, filho de mãe solteira, e fotografia não fazia parte das nossas vidas. Naquele natal minha avó, meu tio e a minha tia foram a nossa casa. Meu tio tinha uma Yashica. Acho que um dos modelos MF. Uma câmera simples. Lembro de posar para a câmera e de uma brincadeira que meu tio fez à noite. Ele fez todo mundo posar para uma foto e apagou a luz do quarto dizendo que mesmo no escuro a foto sairia, por causa do flash.

Depois desse contato, meu irmão comprou uma Yashica também. Já com avanço eletrônico do filme, acho que uma MD-35, que tinha aquela bolsa com uma faixa toda colorida na diagonal, quase um arco-íris. Ele mandava revelar no Centro Fotográfico, em BH. Vinham aquela porção de negativos e fotos reveladas em um formato pouco menor que os 10×15. Muitas vinham repetidas.

_04750022

Nessa câmera eu pude pegar. E um dia eu fiz essa foto. Lembro de ficar olhando essa foto e me vangloriar do enquadramento perfeito. Que podia medir com a régua o espaço que havia à direita e à esquerda.

Meu retorno à fotografia se deu entre os 16 e 17 anos. Eu já trabalhava nessa época. Como gostava muito e ler (livros, revistas, quadrinhos), sempre que voltava do trabalho para casa entrava em bancas de revistas e sebos. Certo dia entrei na Livraria Riccio, na Tamoios, e comprei um livreto sobre fotografia. Devorei ele e fiquei ansioso em por tudo que tinha lido em prática. Comprei um filme e lembrei que minha cunhada tinha uma câmera com alguns controles. Pedi pra ver, pedi empresta e depois que fotografei alguns quadros entendi como funcionava o fotômetro e o foco dela. Era uma Ricoh 500G. Em meia hora bati as 36 chapas e mandei revelar.

O bicho da fotografia já tinha me mordido. Precisava da minha câmera. No trabalho meu irmão soube de uma câmera à venda. Comprei ela. Uma Yashica FX3 super 2000 com a lente de kit 35-70mm por R$500. Cara, R$500 reais. E eu ganhava salário mínimo que, se não me engano, era R$240. Não tinha o dinheiro todo. Acho que paguei de duas vezes e minha mãe me emprestou um pouco da grana.

Fiz curso do Instituto Universal Brasileiro, Comprei lentes, filtro, bolsa, tripé. Fotografei. Fui pro digital com uma Canon Powershot G5 quatro anos depois. Daí não sei quantos filmes fotografei, mas foram pouquíssimos.

Voltei ao filme ano passado. E não quero mais sair dele…

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixa aí seu comentário!