1comentário

Na Sua Bolsa #40: Rafael Ferreira

por em 24/05/2014
 

No “Na Sua Bolsa” de hoje Rafael conta pra gente como se vira pra levar suas “tralhas fotográficas” nas viagens que faz à trabalho… fala Rafael! :-)

No planejamento para 1 semana em Conferências (99u e Advertising Week) em Nova Iorque, sempre tento limitar o equipamento, desde a dura lição aprendida em 2007, quando levei todas as lentes, câmeras e o tripé para lá, o que é um típico erro de novato na fotografia. De lá para cá, em cada viagem tento limitar o equipamento o quanto posso. Na penúltima vez na Big Apple foi somente com a Hasselblad 500 c/m, na última, o tema foi câmera digital com lentes adaptadas e foco manual. O resultado foi muito melhor a cada vez que restringia a tralha fotográfica na bagagem. Você acaba tentando levar ao limite o potencial do pouco que carrega, o que é uma experiência que recomendo sempre.

Desta vez, será “Grande Formato”, algo que ainda não domino, e só fiz duas sessões anteriores para praticar. E claro, recarregar os cartuchos de filme no banheiro do hotel na total escuridão. Pelo menos tem serviço de revelação em 3 horas por lá. No total são 40 fotos que pretendo tirar, o que, pelo próprio processo de grande formato, te leva a pensar e planejar muito mais todos os passos da foto, 1 deles em falso e você perde o filme:

Carregar o cartucho, e lembrar qual filme está carregado, posicionar a câmera com o tripé, medir a luz, acertar a velocidade e abertura da câmera, focar com muita paciência, colocar o cartucho, remover o dark slide, tirar a foto, colocar o dark slide volta do lado inverso (para saber que aquele filme já foi exposto), tirar o cartucho da foto da câmera (ufa!)

Os dois lugares na mira são Coney Island e o Flat Iron Building

Na bolsa:

  • Câmera Speed Graphic Pacemaker – A clássica com back Graflok, que possibilita usar tanto os filmes 4×5, como adaptadores para 120, Polaroid Backs, etc.Ela vem com uma ótima lente, Kodak Ektar 127mm f4.7.
  • Lente Aero Ektar 178mm f2.5 – Essa lente de reconhecimento aéreo da segunda guerra (por isso o nome “aero”), quando acoplada na Speed Graphic (precisei de um adaptador Jolo para tal), forma o chamado “David Burnett Combo”, já que é o mesmo usado pelo famoso fotojornalista.
  • Filmes – Fujichrome Astia 100, pelas ricas rores, Portra 400nc, e Ektar 100 + 1 caixa vazia para os filmes já utilizados.
  • Tripé Manfrotto com Headball (essa câmera/lente fica super pesada)
  • Disparador com trava automática
  • Light Meter Sekonic Deluxe 2
  • 10 4×5 film holders

Quando voltar da viagem postarei os resultados. Um abraço

Nota do editor: Ele já viajou e já voltou. recomendo FORTEMENTE uma visita aos álbuns do Facebook do Rafael pra ver as fotos feitas nessa viagem. São os albuns “New York – Part X of 3”

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixa aí seu comentário!