3comentários

O filme venceu? Não tem problema…

 

Então você encontrou ou comprou um filme vencido? Não se preocupe… existem grandes chances dele funcionar!

Os filmes tem data de vencimento por funcionarem à base de reações químicas. Nos filmes coloridos os corantes estragam e no PB ocorre a oxidação da prata e aparece um “véu” no filme. É para combater este processo de deterioração que muitos fotógrafos colocam os filmes na geladeira e até congelam! (*antes de congelar um filme, leia o datasheet dele. Alguns filmes não podem ser congelados pois a emulsão pode rachar).

Quando passa da validade, um filme em geral começa a apresentar cores diferenciadas, falta de contraste, grão acentuado e até falhas na emulsão, como rachaduras.

Então como saber se meu filme vencido tem potencial? Simples. Filme de ISO baixo dura mais. Filme de ISO baixo guardado na geladeira dura muito mais!

Rola pelo mundo fotográfico um boato sem origem confirmada de que a cada 10 anos o filme perde 1 stop de sensibilidade, ou seja, de modo geral, um filme ISO 400 que venceu em 2003 hoje em dia seria um ISO 200. Mas levando em consideração que filme de ISO baixo é mais resistente ao tempo, um filme de ISO 100 vencido em 2003 podemos considerar como sendo ISO 64 em 2013.

Esta conta serve bem na maioria dos casos, mas compensar nem sempre dá jeito nos defeitos (granulado, contraste e etc). Um filme de ISO 800, por exemplo, perde qualidade com muito mais intensidade então mesmo compensando encontraremos problemas!

Filme estragado. Foto ficou ruim mesmo compensando a exposição

Filme estragado. Foto ficou ruim mesmo compensando a exposição

Um defeito comum com filmes vencidos é "color shift" ou mudanças de cor e tons. Algo fácil de corrigir na pós produção, mas neste caso eu gostei!

Um defeito comum com filmes vencidos é “color shift” ou “color cast”, que são mudanças de cor e tons. Algo fácil de corrigir na pós produção, mas neste caso eu gostei!

A ideia é tentar compensar a ação do tempo aumentando a quantidade de luz.

Kodak Gold 200 vencido em 2006, exposto como ISO 160 em 2013.

Kodak Gold 200 vencido em 2006, exposto como ISO 100 em 2013.

E funciona? Quase sempre. Lembra que falei sobre colocar o filme na geladeira? Então… se o filme foi bem conservado, há grandes chances dos efeitos serem minimizados. Também existe a possibilidade do filme ter ficado na gaveta da cozinha de alguém exposto a calor e umidade, aumentando a deterioração e até arriscando fungos no filme. Se você não tem outro filme do mesmo lote para testar, o jeito é arriscar.

Já fiz filmes de 1991 seguindo esta regra de compensação e as fotos ficaram lindas.

Mas também já peguei filmes de 2009 (!) que estavam detonados além do limite.

Filme vencido em 2009 deteriorado além do limite.

Filme vencido em 2009 deteriorado além do limite.

E claro, já aconteceu de compensar um filme que não estava estragado e o resultado foram fotos superexpostas…

Uma dica para aumentar as chances de fotos boas com filmes vencidos é bracketing. Você tira a mesma foto com duas (ou mais) exposições diferentes! Em um filme ISO 100, tirar da mesma cena uma foto com ISO 50 e uma com ISO 100, por exemplo.

Filmes vencidos fazem parte de um mundo de experimentos, testes e riscos. Os resultados podem ser divertidos ou não, por isso não vá fotografar o casamento da sua irmã com um filme assim!

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Reginaldo
    24/01/2015 em 8:05 pm

    A minha primeira experiência com filme (muito) vencido foi com o soviético Svema 32, vencido em 1993 e fotografado em 2014. Utilizei a regra do “1 stop por década”, o que resultou na incrível sensibilidade ISO 8 (!!!) (A sensibilidade dos filmes soviéticos era classificada segundo a escala GOST até 1987, então um filme ISO100 era GOST 90. Depois de 1987, a escala GOST foi alinhada à escala ISO). Com um ISO tão baixo, tirei algumas fotos com uma 55mm f/1.4 sob luz do dia. A caixinha em que vem o filme (Detalhe: vem apenas 1,7 m (36 poses) de película embrulhada em duas camadas de papel opaco, VOCÊ tem que colocar a película em um cartucho vazio, no quarto escuro. Quer moleza? Compra uma PowerShot!) tem informação de tempo de revelação (em russo) para um revelador russo X. Ouvi falar que podia usar o mesmo tempo para o D76, e foi o que fiz. Resultado: fotos praticamente sem grãos visíveis, tonalidade “cremosa”, como dizem os americanos, e baixo contraste. Eu normalmente gosto de fotos P&B com bastante contraste, mas gostei muito das fotos de baixo contraste que obtive, e comprei mais Svema 32 vencido na mesma época, pois foi o filme que me convenceu de que baixo contraste também é legal. Já utilizei outros P&B vencidos há menos tempo, cerca de 8 anos, mas não apresentaram grandes diferenças em relação ao filme na validade. Agora tenho um filme especial que venceu no ano em que nasci (não vou contar minha idade, mas posso adiantar que vou ter que compensar 3 stops… rsrsrs) que estou doido para usar!

    Responder

  • 29/05/2014 em 2:20 pm

    Pois é! Geralmente uma opção ótima quando o assunto é diminuir gastos… Aprendi a fotografar com filme vencido, Fomapan 100 ASA. Uma lata saía pelo preço de um rolo 36 poses de Plus-X. Uma bomba de filme, por certo – mas foi o bastante para experimentar e entender alguma coisa do riscado.

    Responder

Deixa aí seu comentário!