8comentários

Opinião: Menos câmeras, melhores fotos

por em 26/06/2014
 

Costumo dizer que fotografia é 60% olhar, 30% técnica e 10% equipamento, mas não esquentem a cabeça com essas proporções (repeti o primeiro ano colegial em matemática). Pode acreditar: grande parte da “boa foto” é feita com o olhar, ou seja: com a sua percepção do momento, do local exato, da cena prestes à acontecer.

Vejo uma preocupação desproporcional com equipamentos crescendo nos últimos anos. Fotografia sempre foi um hobby caro e viciante. Se não se controlar, ao invés de fotografar mendigo na rua, vai acabar sendo o mendigo fotografado. Não dá pra brincar de comprar equipamentos fotográficos como se não houvesse amanhã.

Mas no fim das contas, quanto da boa foto é responsabilidade do equipamento? A questão sobre o que é uma boa foto é complexa e o Marcello Galvão já explicou aqui o Paradoxo de Tostines. Mesmo assim eu respondo, na minha humilde opinião: Um pouco. Nem tanto quanto parece, meus nobres padawans.

Podemos dizer que os equipamentos são mais responsáveis pela qualidade “física” da foto. A nitidez da lente, velocidade de disparos por segundo e coisas do tipo são ferramentas para que se consiga captar aquele exato momento que queremos com a qualidade que queremos. Porém, estes mesmos equipamentos são limitados e limitadores. Muitas vezes a criatividade extrapola o que aquela geringonça com uma caixinha preta dentro pode fazer. Isso não significa que você tem que ter todos os equipamentos necessários para cobrir a gama toda da sua criatividade.

Como minha mãe dizia quando a situação tava ‘braba’ em casa, “Não! Se vira com o que tem, moleque!”. É nesse momento que se desenvolve a criatividade. Criar com as limitações inerentes ao equipamento é muito mais desafiador. E quando o resultado é bom, aquela foto é como se fosse um filho (até porque foi quase um parto pra fazer).

Antes de mais nada, essa não é uma crítica à aqueles que colecionam equipamentos. Não é nada disso. Eu mesmo gosto de colecionar esses brinquedos todos. É mais uma reflexão e um exercício para que se possa aproveitar muito melhor o equipamento que se tem.

  1. Experimente carregar uma só câmera com um só rolo de filme (sem sobressalentes), e saia somente com ela. Esqueça outros corpos, lentes ou acessórios em casa, assim, de propósito. Não ouse usar uma mochila com 30kgs de equipamentos nas costas. Além de correr o risco de ser roubado ainda pode ganhar uma hérnia de disco.

  2. Passe um tempo da sua vida observando o local onde vai fotografar. Sente num banco de praça, caminhe lentamente, olhando toda sua volta (em local seguro, por favor). Muitas coisas nos passam desapercebido quando estamos na fúria loucos pra testar aquele filme PB tcheco que compramos no ebay. Muita coisa legal que normalmente não vemos vai começar a aparecer.

  3. Tenha mais capricho, poxa vida! Chega de macros de florzinhas! Deixe seu cachorro ou gatinho em paz e mostre ao mundo a beleza daquilo que só você percebeu.

Garanto que usando esses passos ou ao menos um deles, as quantidades de acertos no fim das contas será maior que o normal. Você vai querer fotografar menos, mas melhor. E não, você não precisa daquele equipamento de mil novecentos e guaraná de rolha, com uma lente lapidada por camponesas lésbicas do sul da Macedônia, para ser feliz. Experimente! Tente, invente, faça um 92 diferente Satisfação garantida ou seu dinheiro de volta!

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • JULIO CESAR
    29/03/2015 em 1:36 pm

    GOSTEI. O NEGOCIO É OLHAR E PENSAR ANTES DE APERTAR O BOTÃO

    Responder

  • Léo Vintage
    23/07/2014 em 11:08 pm

    Gostei do post. É exatamente assim que estou aprendendo. Comecei a fotografar a pouco tempo. Sempre fui muito auditivo por gostar muito de música e imaginativo por gostar de leitura, mas a fotografia está me abrindo o olhar, que nunca havia dado muita importância e o mundo está parecendo novo. Estou aprendendo ver melhor e diferente. abrass

    Responder

    • Bruno Silva
      24/07/2014 em 12:02 am

      Valeu, Leandro! Acho que todo mundo que queira fotografar melhor tem que fazer isso. Que bom que gostou!
      Abração!

      Responder

  • 26/06/2014 em 2:11 pm

    É exatamente esse o ponto. E na realidade, toda vez que levamos muita coisa acabamos usando 1/10 de tudo. Eu tenho essa mania de me preocupar em levar tudo e sempre me ferro pra carregar a mochila. haha Hoje em dia menos, bem menos.

    Responder

  • 26/06/2014 em 2:09 pm

    Opa! Essa aí deve ser mega blaster boa! hahaha Valeu, Rose!

    Responder

  • 26/06/2014 em 2:06 pm

    Tens toda razão. Eu fiz uma viagem de férias por 10 dias e levei sempre comigo (todos os dias), uma mochila com a Olympus OM-1 e a 5D e 3 lentes (1 zuiko 28mm pra om-1 e a Canon 40/2.8 e super takumar 135mm/3.5). Apesar das 3 lentes ser referencia em tamanho e peso, mesmo assim pesou a mochila…Consegui me contentar em usar apenas 2 rolos de filme na viagem toda, um colorido e outro PB, foi dificil mais muito legal. Já a 5D sairam umas 1200 fotos, nas quais umas 10 prestaram, já a OM-1, das 72 poses, umas 30 ficaram lindas… Aproveitamente muito melhor.

    Responder

  • 26/06/2014 em 11:09 am

    vc tem toda razão.
    só uma obs: a raridade aqui em casa é feita pelas freiras virgens, albinas, descalças. rsrs.

    Responder

Deixa aí seu comentário!