1comentário

Imagem Latente: Diário de Bordo #1

por em 30/07/2014
 

Foto acima: Sandra Silva – Eu fotografando uma menina ajudando o avo. Ela leva mais de dois litros d’agua. Vila São José – Buique – PE

E hoje vamos continuar dando aquela força ao Projeto Imagem Latente, do Tiago Henrique, sobre o qual falamos um tempo atrás. Combinamos com ele que de tempos em temos ele vai mandar pra gente um textinho contando como estão as coisas. Vamos lá? 

Olá pessoal!

Como alguns devem saber, estou no agreste pernambucano, na cidade de Buíque, realizando o projeto “Imagem Latente: Fotografo, logo existo”. Se você ainda não sabe do que se trata clique aqui.

Dando sequência ao diário de bordo (se é que posso chamar assim) do projeto, neste primeiro post vou falar das dificuldades e das coisas boas que aconteceram até aqui:

10579293_871758329520524_1053549277_oMaterial e Logística

As câmeras estão chegando! Com a ajuda de pessoas que acreditam no projeto, foram arrecadadas mais de 60 câmeras. Hoje, (24/07) recebi do Rio Grande do Sul (com o apoio da empresa Acelera Turismo e Viagens) uma caixa com 51 câmeras de diversas marcas. Número mais que suficiente para começar o projeto piloto e já pensar numa ampliação após seu término!

Mas para isso ainda precisamos de rolos de filme para levar o projeto até o final proposto: a exposição das fotografias, que deveria acontecer entre Janeiro e Fevereiro do ano que vem. Mas ainda não temos rolos de filme suficientes para o andamento das atividades. Com o dinheiro que arrumo por aqui, consegui comprar alguns, mas eles só são comercializado em Arcoverde, cidade vizinha, 30km de onde estou,e  o custo da passagem é alto para uma distancia tão curta. Tentei me arriscar descendo a estrada da serra de bicicleta, mas quase morri não poucas vezes… Portanto fica mais uma vez o apelo para quem achar interessante o projeto e puder colaborar com rolos de filme 35mm.

Como tudo chegará até aqui?

Da mesma maneira que eu cheguei. Num ônibus que transporta trabalhadores rurais de São Paulo ao nordeste e vice versa.
A loja de equipamentos fotográficos Portssar é o ponto focal para receber as doações. Para quem ainda não tem o endereço fica na Rua 7 de Abril 79 CJ 205. CEP 01043-000. E é para lá, aos cuidados de Luiz Soares, que devem ser encaminhadas os rolos de filme.

Revelação e ampliação

Uma grande dificuldade por aqui foi encontrar um laboratório que revelasse com qualidade os negativos. Quando eu já não sabia mais o que fazer, o laboratório 337 (conhecido por muitos aqui) resolveu apoiar o projeto reduzindo os custos e rachando a postagem! Fiquei bem aliviado, pois conheço a qualidade da revelação, confio e sei que o Rogério comprou a ideia e vai se dedicar tanto quanto nós.

10523361_871181212911569_1285473193409813997_n

Damião – trabalha em uma fabrica de gaiolas – Buíque – PE

E as crianças?

Essa é a principal dificuldade! Em Maio desse ano a prefeitura lançou um comunicado dizendo que multaria estabelecimentos e feirantes caso um fiscal visse crianças trabalhando. Segundo relatos das pessoas que entrevisto, isso causou um alvoroço na cidade, pois, de modo geral, as crianças ajudam muito na composição da renda da família, como é o caso de Damião (foto ao lado) que trabalha fazendo gaiolas e sua renda representa 70% do entra em casa. Esse garoto, que não sabe quantos anos tem, nem estuda me disse que não pode deixar de trabalhar, pois mora com irmãs mais velhas que, também são analfabetas e trabalham fazendo “bicos”. Damião fará parte do projeto.

A cidade mostra preocupação com o trabalho infantil, mas escolas municiais e estaduais não tem estrutura para o regresso de tantas crianças. É comum vermos crianças mais velhas misturadas as mais novas e professores dividindo o tempo para ensinar 3 ou 4 turmas… Desestimulados, alguns voltam para rua, outros para o trabalho.

Enfim, esse comunicado, fez com que eu parecesse um fiscal, o que tem dificultado minha aproximação. Mas, no geral, sou muito bem recebido e percebo que os pais compreendem a importância do projeto na vidas dessas crianças. Uma boa conversa regada a café e bom humor resolve tudo!

Em meio a tudo isso, já sei quais crianças irão participar desse piloto e já prevejo o inicio da oficina em Agosto!

E depois de tudo? Acaba?

Acho importante tocar nesse assunto, pois algumas pessoas me perguntaram se depois que eu fizer o projeto “vou pegar minhas coisas e vou embora”. Não. O sonho do projeto é se tornar um Instituto, um Centro Cultural, que depois possa agregar outras formas de expressão, como literatura e música. Mas é algo que pensaremos juntos mais para frente.

Em breve precisarei de recursos financeiros para as revelações, ampliações, por exemplo, e pretendo laçar o projeto para consegui-los através de financiamento colaborativo e espero contar com a ajuda de todos na divulgação!

Quem quiser entrar em contato comigo pode me mandar um e-mail: tiagohqsilva@gmail.com ou pelo Facebook.

É isso! Meus sinceros agradecimentos a todos que ajudaram e que estão ajudando essa iniciativa.

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Marcos Ferreira
    01/08/2014 em 2:18 pm

    André sei que não tem a ver com o post, mas gostaria de saber se sabe de algum fotografo brasileiro que fotografe com filmes 8×10 polaroid ?
    Obrigado desde já

    Responder

Deixa aí seu comentário!