8comentários

Kodak Pakon F135 Plus: o salvador de workflows

por em 04/08/2014
 

Algumas semanas atrás chegou meu tão esperado scanner Kodak Pakon F135 Plus. Pra quem não sabe, esse é um carinha que faz magia: você coloca a ponta do filme numa extremidade e ele cospe o filme do outro lado e de quebra te entrega tudo scaneado, cores corrigidas pro filme que você usou e em 300dpi pra imprimir direto maravilhosamente.

Isso era exatamente o que eu precisava para acelerar meu processo de trabalho. Vou explicar como era antes e como é hoje.

Antes:

  • Fotografava em torno de 10 rolos por ensaio, numa média eram  2 ensaios por fim de semana, ou seja, uns 20 rolos por mês.
  • A cada sábado levava os rolos do ensaio do fim de semana anterior no Gibo e buscava no fim de semana seguinte. Era o único tempo livre que eu tinha disponível.
  • Pegava tudo lindo, com folha de contato pra me dar uma guiada nas cores (o Gibo sabe como minhas fotos tinham que ser na folha de contato. Sempre mostro uma digital de teste de luz pra ele se guiar. Antigamente a galera mostrava polaroids :).
  • Chegava em casa, perdia em torno de 2~3 horas por rolo de filme pra scanear e ajustar as cores. Fazia isso durante semana depois do trabalho. Ou seja, fim de noite extremamente cansativo.

Eu poderia gastar essas 2~3 horas diarias estudando fotografia, planejando novos ensaios e coisas do tipo e não o fazia. Me sentia extremamente estupido.

Até que o bendito Pakon caiu no meu colo :D. EBA!.

Como é hoje:

Tirando as etapas das fotos, hoje scaneio todos rolos em 2 horas no maximo! sim, 10 rolos ou mais em 2 horas no maximo. Leva em torno de 5 minutos pra cada rolo + tempo de exportação e organizar as fotos nas pastas control freak.

Mais como nem tudo que brilha é ouro, vamos a lista de coisas ruins no Pakon:

  1. Só funciona no Windows XP
  2. Só scaneia até 6mp/300dpi
  3. Não reconhece algumas das novas emulsões
  4. Não tem mais assistência técnica no Brasil ou em qualquer lugar do mundo :(

Esse cara é antigão, como podem ver, é da época de ouro da Kodak, ou seja, quebrou quebrou e você vai chorar, no caso eu :'(

Algumas fotos ficam verdes quando ele não reconhece o DX Code do filme, mais só as coloridas :/ porém ele te entrega um arquivo tiff e você consegue editar as camadas de cores e ajustar ;) sem problemas.

300dpi parece pouco, porém é suficiente pra uma revista! e mais que suficiente pra web que usa 72dpi ;)

E vamos a parte de fotos? seguem abaixo algumas que fiz nessa coisa linda:

Modelo: Amanda Brolese

 

Modelo: Amanda Brolese

Modelo: Amanda Brolese

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixa aí seu comentário!