4comentários

O desafio de revelar um filme vencido há 50 anos

 

Recentemente comprei uma Kodak Flash Bantam no eBay, e o antigo dono foi generoso ao mandar um filme junto com a câmera. Acontece que a Kodak Bantam é uma câmera da década de 1950 que utiliza um formato extinto chamado 828, então o rolo que veio de brinde era muito idoso!

O filme 828 é um filme de rolo (tipo filme 120mm) com negativo da mesma altura de um filme 135 enrolado em papel. A bobina era de metal com pontas afiadas para encaixar na câmera, algo nada seguro e que machuca os dedos quando mexemos no filme.

Kodak Bantam Flash

Rapidamente carreguei a câmera e fui fazer minha pesquisa de como iria fotografar e revelar o filme! Para minha surpresa e sorte, o filme era um Kodak Verichrome Pan ISO 125 com vencimento para 1964. Acontece que o Verichrome Pan é um filme que muitos sentem saudade principalmente pela sua ótima capacidade de armazenamento em temperatura ambiente e por ele não deteriorar tão rapidamente com o tempo.

Kodak Verichrome Pan Kodak Verichrome Pan

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Após ler alguns artigos e experiências, decidi expor o filme como ISO 32 (seguindo mais ou menos este post) e revelar no método stand com Caffenol CL, para ajudar a puxar qualquer tipo de informação do filme mesmo que isso deixasse com véu.

Na falta de brometo de potássio para a receita do Caffenol CL, segui com sal iodado (sal refinado comum de cozinha) na seguinte receita para 500ml:

Água destilada – aqui uso 350ml para dissolver os ingredientes e depois completo até meio litro.
8g – Barrilha – eu uso barrilha hidratada. Se a sua for decahidratada tem que ajustar multiplicando por 2.7
5g – Vitamina C pura, em pó
20g – Café instantâneo – eu uso da Melita marca mais barata
7g – Sal iodado – no Brasil o sal de cozinha é iodado, então é só usar sal comum (nada de sal light ou afins)

O preparo é simples: dissolver completamente cada ingrediente antes de adicionar o próximo e seguir a ordem que listei. Eu gosto de dissolver a barrilha em água morna (35ºC é o ponto ideal para dissolver a barrilha) mas também uso um freezer para resfriar a solução até 20ºC rapidamente, pois a vida útil do Caffenol CL é menor que a do Caffenol comum.

É bom usar termômetro, balança de precisão e copo com medidas precisas. Eu procuro o maior controle possível, então sim, uso água destilada e sim, você pode usar água filtrada. O problema é que a água da torneira pode ser mais ou menos ácida dependendo de onde você mora e atrapalhar a reação. E não pode usar água mineral, ok?

Revelei por 1 hora com apenas 1 minuto de agitação no começo e 5 inversões leves aos 30 minutos. O resto do tempo o tanque permaneceu em banho maria a 20ºC completamente parado. Fiz o banho maria dentro de uma caixa de isopor para facilitar!

Banho maria

O resultado foi mais que satisfatório como mostram as imagens a seguir:

 

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • 17/09/2015 em 2:05 am

    sensacional! que delicia ter vindo com esse presente. agora é penar pra achar outros hehehe
    ainda quero testar o caffenol, porem, nao tenho um tanque :( ja tentou/sabe de alguma gambiarra que substitua o tanque? pensei em jetear alguns potes de preto. porem, o que me intriga é como irei substituir a grade.

    maria

    Responder

  • WILLIAM DIAMANTINO DE SOUZA
    14/03/2015 em 3:39 pm

    FASCINANTE! EU TRABALHEI POR ANOS COMO FOTÓGRAFO E PREPARAVA O REVELADOR BASEANDO EM FÓRMULAS QUE HERDEI DE MEU PAI. FÓRMULAS ESTAS QUE REMONTAM OS IDOS DA DÉCADA DE 50 E 60. O RESULTADO ALCANÇADO PELO COLEGA É SIMPLESMENTE ÓTIMO! DEIXO MEU ABRAÇO.

    Responder

  • Michael Ambriola
    24/10/2014 em 11:34 pm

    de mais! bela receita culinaria pra revelar esse filme… por isso que fotografia é “quase magica”!

    Responder

  • 20/10/2014 em 12:13 pm

    Que fantástico!

    O 828 surgiu por teimosia dos chefões da Kodak quando o 35mm começou a ser usado em fotografia – acho que eles nunca gostaram de outra firma inventando formatos, pois isso era mania deles!

    E o Verichrome era um baita filme. Até lá por 1997 era fácil encontrar em 120. E ainda por cima com a vantagem de ser bem mais barato do que as demais películas.

    Responder

Deixa aí seu comentário!