6comentários

Taylor Swift e ‘1989’: muito mais analógico do que você pode imaginar

por em 27/11/2014
 

Taylor Swift: amada por uns, odiada por outros. Porém, é difícil deixar passar batido a capa de seu último álbum, lançado no final de outubro. Intitulado ‘1989’, em referência ao ano em que a cantora nasceu, a capa trás um autorretrato da cantora, com um corte no enquadramento pouco abaixo dos olhos. Seria algo comum se a foto não fosse, simplesmente, uma Polaroid. E não é a primeira vez que Taylor demonstra um certo interesse por fotos instantâneas: ainda em 2013, ela participou de um photoshoot em que empunhava uma Polaroidque acredito ser uma 636 Close Up o Cadu Dias corrigiu aí nos comentários e disse que parece mais a 635CL. ;)

Voltando ao álbum, que demorou aproximadamente dois anos para ficar pronto, a própria cantora fez questão de explicar o porque do uso de uma Polaroid, e o fator que essa escolha tomou no disco. Em uma conferência ao vivo para o Yahoo e a ABC News, ela explicou toda a ideia por trás do disco – e da capa:

Eu estava escutando muita música pop do final dos anos 80, e essa é basicamente a inspiração para esse disco. Tinha muita inovação, eles estavam apostando em muita coisa, parecia um potencial ilimitado. A ideia de ser e fazer que quisesse foi mais ou menos o tema da minha vida nesses dois últimos anos. A foto da capa, por exemplo, é uma Polaroid que nós tiramos. Todo o álbum foi feito com Polaroids. Foi meio que um acidente, então porque não fazer dessa foto a capa?

A capa da versão deluxe é um pouco diferente da versão normal

A capa da versão deluxe é um pouco diferente da versão normal

Claro que houve edição digital – se você for parar pra pensar, uma Polaroid comum não tem o formato quadrado de um disco, e eu duvido que ela tenha escrito à mão o título do disco, visto que as capas do álbum comum e deluxe são com a mesma foto, mudando apenas a disposição do título. Além disso, todas as cópias físicas do álbum contém um pack com treze Polaroids aleatórias, de recordação para os fãs… e que eu duvido que sejam fotos mesmo – talvez tenham usado o Impossible Instant Lab para copiar as Polaroids infinitamente.

Pô, Massao, mas se eles usaram o Impossible Instant Lab pra copiar fotos e colocar no disco, o que impediria a gravadora de fazer o mesmo com a capa?

A resposta é: absolutamente nada. Mas, considerando o histórico da cantora, eu realmente acredito que ela seja entusiasta desse tipo de fotografia. Uma prova disso foi a festa que ela deu, pré-lançamento do álbum, onde os presentes foram proibidos de tirar qualquer fotografia… que não fosse com a Polaroid da cantora. Quer a prova? Vai lá no site da MTV.

Quanto vale esse post pra você?
Pense nisso e, se achar justo, colabore conosco! Você pode apoiar o Queimando Filme através de doações (faça a sua aqui!), divulgando esse post para seus amigos, ou até simplesmente clicando nos banners dos anunciantes! Tudo isso ajuda o Queimando Filme a continuar postando conteúdo de qualidade para todos os amantes da fotografia analógica ;-)

comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixa aí seu comentário!